Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

ENFIANDO O PÉ NA JACA NO NAMORO: DEPOIS, NEM COM ÓLEO DA UNÇÃO SAI O VISGO!

ENFIANDO O PÉ NA JACA NO NAMORO: DEPOIS, NEM COM ÓLEO DA UNÇÃO SAI O VISGO!

"Enfiar o pé na jaca". Essa expressão muito comum quer dizer "precipitar-se", "cometer excessos", exagerar na dose de qualquer coisa. Significa também "tomar uma ação ou decisão muito equivocada". Enfia-se o pé na jaca quando se age de maneira impensada, sem ponderar no que se vai fazer ou no que está fazendo, agindo por mero impulso, pelo calor da emoção que a ação por si mesma provoca. 

Não é de hoje que o homem "enfia o pé na jaca". A Bíblia registra muitos episódios onde o homem enfiou o pé na jaca, em especial no relacionamento com o seu semelhante. Por exemplo, Davi, ao ver Batseba pelada tomando banho no seu terraço ficou doidão, querendo a todo custo ter um caso com ela. Tanto fez que conseguiu; conseguiu cometer adultério; não satisfeito, fez de um tudo para "tributar" ao marido de Batseba o filho gerado no adultério e, como não teve êxito, armou uma armadilha para ele, cometendo assassinato. Como Deus é justo, o filho gerado no adultério morreu. Mais ainda, a consequência do pecado, do "pé na jaca", se estendeu até a família de Davi. Seu filho Amnom comete incesto com sua irmã Tamar e Absalão, irmão de Tamar, vinga-a matando seu irmão Amnom. A história segue, com Absalão cometendo incesto com as concubinas de seu pai Davi, perseguindo o pai e, ao final, acabando morto numa batalha. 

Davi queria somente um caso com Batseba. Levou a mulher, mas perdeu 3 filhos no episódio, além de perder a paz, a família, a honra e quase perder o reino. Tudo por causa do bendito "pé na jaca". 

Assim é também a garotada hoje. Com os hormônios a mil, fervendo mais do que leite na leiteira, estão a todo momento "enfiando o pé na jaca". Não conseguem controlar os "calores hormonais" e, com isso, "estão em chamas", agindo sem ponderar, sem considerar nenhuma de suas ações, apenas o prazer - imediato - que estas proporcionam.  Há um "fogo" bem presente na juventude moderna, que não é o "fogo pentecostal". Estou falando de gente inteligente, de gente que pensa, que sabe fazer escolhas. De gente que conhece o que é certo e o que é errado, que sabe a Vontade de Deus para sua vida. Estou falando de gente que é crente, que frequenta igreja, que ama a Deus. 

"Foge também das paixões da mocidade", já aconselhava o experiente Paulo ao jovem discípulo Timóteo. Fugir das paixões da mocidade é  fugir dos desejos que incidem peculiarmente à juventude; isto é,  o amor do prazer sensual e a inclinação para satisfazer os apetites e sentidos do corpo, ou, por outro lado, o orgulho, a ambição, a vanglória , imprudência, disputa, obstinação; vícios comuns aos jovens que os tornam particularmente reprovados para a Deus e Sua Obra. No entanto, os jovens fazem justamente o contrário: ao invés de fugirem das paixões, eles fogem em direção às paixões. Aliás, paixão é um termo bem escolhido por Paulo, pois denota um sentimento muito forte em relação a uma pessoa, objeto ou tema. A paixão é uma emoção intensa convincente, um entusiasmo ou um desejo sobre qualquer coisa. Em suma, é um sentimento de excitação incomum ou de forte emoção.

Ah emoções, como vocês são enganosas...! "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações." (Jr 17.9,10) Pelas emoções, agimos como seres irracionais, incapazes de enxergar um palmo diante da face. Sim, as emoções muitas vezes lançam o homem em trevas, porque ele confia nas emoções, confia que o sentimento provém de Deus, que Deus está aprovando tudo aquilo, só porque a pessoa se sente realizada com tudo o que está fazendo ou pretende fazer. Coração perverso, cheio de perversidades, cheio de apostasias, cheio de emulações da carne, cheio de justificativas mirabolantes para o injustificável.

Nosso coração é repleto de razões que a própria razão desconhece! Por causa das emoções, somos capazes de até mesmo usar Deus, a Igreja e a Bíblia para "enfiarmos o pé na jaca". Usamos o que Paulo nos ensina em I Coríntios 7:9 ("Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se") para nos ajuntarmos matrimonialmente em jugo desigual. Usamos o relato da união entre Isaque e Rebeca (Gn 24.67) para justificar a fornicação e o amasiamento.  Minimizamos a extensão do ensino sobre "jugo desigual" (II Co 6.14) quando isso é de nosso interesse; até negligenciamos isso. 

Parênteses: O ensino do jugo desigual não se estende apenas ao caso crente-descrente, como querem alguns. Esse é, aliás, o caso mais simples. Ignoramos, por exemplo, o necessário ajuste que precisa haver entre as famílias do futuro casal. Ignorar isso é trazer a guerra entre as famílias "Martin e Coy", no melhor estilo de Ozark Lark (1960), para dentro do lar, trazendo o inferno para o dia-a-dia do casal. Nota: "O Último Martin" (título original: Ozark Lark) é um curta-metragem de 1960 produzido pela Walter Lantz Productions e distribuído pela Universal Pictures. A história se passa na região de Ozark, marcada pela rixa entre as famílias Martin e Coy. Fecha Parênteses. 

Qual é o resultado disso tudo? Vai desde intermináveis encrencas e confusões, passando por gravidez indesejada e DSTs, podendo muitas vezes chegar à violência (verbal, sexual ou mesmo física) e a morte (espiritual, eterna ou até mesmo física). Quantos casais hoje vivem infelizes no casamento, vivendo de aparências diante das pessoas e/ou da Igreja, até mesmo orando até para o cônjuge "bater com as dez", porque hoje constataram que "enfiaram o pé na jaca" no passado? Quantos jovens vivem uma infeliz vida dupla, passando por crentes fiéis quando na presença dos irmãos de fé e, quando longe destes, uma vida completamente mundana e impura, entregando-se às paixões da mocidade? Quantas famílias foram e são solapadas por gravidez indesejada, com o filho - resultado do sexo sem compromisso - sendo criado por avós e mães/pais soletiras(os)? Quantas moças e rapazes estão escondendo de seus pais as DSTs que contraíram? Isso sem falar no consumo de maconha/cocaína/crack/ecstasi, nos estupros, no alcoolismo, etc.

A moçada tem o costume de achar que "a parada é o momento", ou seja, que o que importa é o aqui e agora; depois a gente resolve. Porém, a experiência mostra que problema nenhum se resolve com o tempo, ao contrário: se agrava  mais e mais. Cada vez mais o problema se avoluma, tomando conta de tudo e de todos, até que por fim ele acaba sufocando a pessoa de tal ponto que não resta mais alegria, mais contentamento, mais felicidade alguma. Daí, o abismo está aberto e, para mergulhar de vez nele, para sempre, resta muito pouco; o diabo, sabendo disso, fará de um tudo para dar à pessoa uma última e derradeira pisada na jaca. Essa última pisada na jaca, induzida pelo terrível Acusador, pode ser de muitas formas: um mergulho sem volta no mundo da prostituição, das drogas ou do álcool; na violência e criminalidade; ou até no suicídio. A lógica infernal dessa última pisada é a seguinte: "uma vez no inferno, abrace o capeta". 

Daí, mano/mana, para você que está com o pé coçando para enfiar na jaca, escute o coroa aqui: NÃO FAÇA ISSO! Sai fora dessa encrenca! Pica a mula, camarada! Corra para Jesus, corra para a razão e tome juízo! Não seja miolo mole! Você quer viver uma vida feliz, não quer? Quer ter o que sempre sonhou - inclusive morar no céu um dia - não quer? Então, se liga! Se você insistir com isso, vai dar bode - e bodão preto - para chifrar você o restante da vida! Para quê isso, se você pode ter tudo - prazer, alegria, vida, amigos, emoções fortes, etc no Reino de Deus?! Sério! Cara, você tá por fora do que é emoção!  Quer coisa mais emocionante do que arriscar a vida pregando o Evangelho aos perdidos pecadores?!? Quer mais emoção do que encarar o capeta face-a-face para libertar um prisioneiro dele? Quer mais adrenalina do que sentir Jesus de pé, do seu lado, no momento de oração e comunhão com Ele? Quer mais emoção diária: que tal ser um missionário cristão nos países árabes? Ou na China? Ou nos países africanos, comendo aranha frita no almoço em prol do Evangelho?

E você, mano/mana, que já enfiou o pezão 44 na jaca podre: Deus pode LIBERTAR VOCÊ! Sim, Ele tem todo o poder para isso! Agora, fica aqui a dica: Jesus perdoa o seu pecado e salva você; mas o cheiro e o visgo da jaca ficam no seu pé. Isso significa que a consequência da lambança virá, camarada! A jaca tem um visgo que para sair é um sufoco, e o cheiro da jaca na geladeira "contamina" a geladeira inteira! De Deus ninguém zomba, por isso aquilo que plantamos é exatamente aquilo que colheremos. Arrumou filho fora do casamento: queridona, queridão, segura a onda! Não tem como devolver para o ventre o filho gerado! Casou errado? Arrumou uma dona encrenca como esposa? Arrumou um zé ruela como marido? I'm sorry: é seu marido! É sua esposa! E na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na encrenca e no melodrama mexicano, viu? 

"Papai, tem misericórdia!" Ele tem, graças a Deus por isso! Haverá alívio em alguns momentos, mas escute novamente o coroa aqui: O IDEAL JAMAIS ACONTECERÁ! O relacionamento ideal é construído da forma ideal, dentro dos padrões e princípios divinos para o casal. Fugiu do ideal, o que resta é a não-idealidade! Isso me lembra da época que eu estudava Termodinâmica: um gás, para ser considerado gás ideal, precisa obedecer condições muito, mas muito específicas. Esse gás era descrito por uma equação simples, a equação de Clayperon (P.V = n.R.T). Não fossem essas condições específicas obedecidas, o gás não podia ser considerado gás ideal; ele era considerado gás real. E a equação de um gás real podia ser bastante complicada (como as equações de Peng-Robinson, Redlich-Kong e Benedict-Webb-Rubin, só para citar algumas)!  E quanto mais complicada a equação, mais difícil é resolvê-la...!!!

(Equação de Benedict-Webb-Rubin, BWR)
  
Enfiou o pé na jaca? Retire o pé enquanto é tempo! Saiba, porém, que o cheiro e o visgo da jaca permanecem; a intensidade depende de quanto tempo você usou a jaca como sapato! Às vezes, nem com um banho com óleo da unção sai! Tem consequências tão sérias que levamos para a vida toda, às vezes até para a eternidade. Agora, não enfiou o pé na jaca ainda? Não procure fazê-lo! 

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!