Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quarta-feira, 6 de maio de 2015

A PARÁBOLA DOS SOLOS E SUA APLICAÇÃO ATUAL

E, ajuntando-se uma grande multidão, e vindo de todas as cidades ter com ele, disse por parábola: Um semeador saiu a semear a sua semente e, quando semeava, caiu alguma junto do caminho, e foi pisada, e as aves do céu a comeram; E outra caiu sobre pedra e, nascida, secou-se, pois que não tinha umidade; E outra caiu entre espinhos e crescendo com ela os espinhos, a sufocaram; E outra caiu em boa terra, e, nascida, produziu fruto, a cento por um. Dizendo ele estas coisas, clamava: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Que parábola é esta? E ele disse: A vós vos é dado conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros por parábolas, para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam. Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus;  E os que estão junto do caminho, estes são os que ouvem; depois vem o diabo, e tira-lhes do coração a palavra, para que não se salvem, crendo; E os que estão sobre pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e no tempo da tentação se desviam; E a que caiu entre espinhos, esses são os que ouviram e, indo por diante, são sufocados com os cuidados e riquezas e deleites da vida, e não dão fruto com perfeição; E a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra, a conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança. (Lucas 8:4-15)


A palavra "coração" é usada de forma muito variada nas Sagradas Escrituras. Aqui (e em muitas outras passagens), a Bíblia se refere ao "coração" (gr. kardia e heb. leb) figurativamente, como sede da vontade humana, dos pensamentos, sentimentos e intelecto (anatomicamente, a mente humana; espiritualmente, a alma humana). Já disse um certo filósofo: "O coração emite razões e reações que a própria razão desconhece", corroborado pelo autor sagrado: "enganoso é o coração do homem, quem o poderá conhecer?" ( Jr 17.9 )

Esta parábola poderia ser chamada a "Parábola do Coração", visto refletir a atitude de muitos corações frente a Palavra de Deus, de crentes e descrentes. O apóstolo Paulo, escrevendo aos Romanos, nos ensina que o coração é a parte principal onde pode se dar a salvação: "Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação." (Rm 10.8-10)


Que semente é essa que é semeada? Apenas Lucas registra: "um semeador saiu a semear a sua semente". A cópia Alexandrina registra, "a semente de si mesmo". Nosso Senhor Jesus semeou Sua própria semente em todos os tipos de corações humanos, conforme lemos nessa parábola. Não houve um único coração onde Ele não tenha lançado a semente de Si mesmo, do Bendito Grão de Trigo, como Ele referiu-se certa vez de a si mesmo (Jo 12.24). Nenhum homem foi jamais preterido por Ele, nem jamais o será. Todos os homens daquela época, bem como todos os homens de todas as épocas recebem a divina semente de Cristo em semeada em suas vidas, de forma que nenhum homem jamais poderá dizer "eu fui esquecido" ou "eu fui preterido". Muitos são os meios pelos quais Cristo é semeado nos corações dos homens. Quer pela pregação do Evangelho, quer por um louvor inspirado, quer por um estudo, um folheto... até por um blog, Cristo vai sendo semeado. Até mesmo o sangue dos mártires, como dizia Tertuliano, um dos pais da Igreja, "será sempre a semente de novos cristãos".

Contudo, o fato é que Nosso Senhor Jesus nem sempre encontrou receptividade em suas mensagens. Muitos não tinham ouvidos para ouvir. Hoje, do mesmo modo, muitos não tem ouvidos para ouvir. Não têm um coração responsivo à Palavra de Deus e ao Deus da Palavra, um coração que responda positivamente ao Evangelho da Graça. Pessoas que ouvem sempre e nunca aprendem, pessoas estéreis espiritualmente falando. Para ilustrar este problema, Nosso Senhor Jesus enuncia a Parábola do Semeador, para as diferentes reações do homem frente a Palavra de Deus. Podemos desta forma constatar nesta parábola 4 tipos de corações onde a Palavra é semeada. Quais são eles?

I.  AO LADO DO CAMINHO:

Segundo a parábola, uma semente caiu ao lado do caminho, na estrada. São caminhos batidos, muito rígidos, em que nenhuma semente pode penetrar. A semente que caiu nesse solo acabou sendo pisada pelos transeuntes e sendo comida pelas aves do céu.


Aqui, vemos o "ouvinte ao lado do caminho", aquele que não reage de maneira nenhuma ao que ouviu, pois Satanás e seus demônios removem todas as impressões espirituais produzidas pela Palavra. Sim, Satanás busca ativamente remover toda a influência espiritual do coração onde a Palavra de Deus é semeada, e há corações tão duros e insensíveis que fazem sua tarefa muito fácil. São ouvintes endurecidos pelo pecado e ignorantes com relação a Deus, que desprezam e pisam na Palavra, com escárnio e oposição crítica.

Vejo pessoas assim todos os dias. Pessoas que estão tão duras, insensíveis a qualquer coisa que se relacione com Deus e com as coisas espirituais. Pessoas extremamente materialistas. Há também àquelas que mesmo tendo certo grau de espiritualidade são tão endurecidas em seus ídolos e falsos deuses que se tornam exatamente como esse solo da Palestina, de dureza inigualável. Pessoas que mesmo tendo fé em alguma coisa, estão na verdade cegas em seus entendimentos, por ação do deus deste século:  "Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus."  (II Co 4.3,4) Nas palavras de Paulo, pessoas que não conseguem enxergar, de tão cegadas que estão, a luz do Evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. Pessoas que para Deus se encontram andando em trevas, mesmo achando que tem a luz de alguma religião ou filosofia espiritualista.

Dentro das Igrejas há muitas pessoas assim. Gente que engana-se a si mesma, pois não passa de ouvintes da Palavra, mero "escutador", que vai aos cultos, sem nada mudar em sua vida. Sobre este comportamento mau, Tiago nos exorta, dizendo: "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era." (Tg 1.22-24) Gente que vai a Igreja assistir ao culto pelas mais variadas razões - porque alguém mandou (geralmente, jovens trazidos por seus pais), porque alguém convidou, para reencontrar um parente ou amigo, para conseguir bênçãos, para arranjar namoro promíscuo, por que não tem coisa melhor para fazer, para assistir a alguma programação (de Natal, por exemplo), para encher a barriga, etc. Nunca por causa de Deus. Nunca por causa da salvação. Pessoas que escutam a mensagem do Evangelho e reagem como se nada tivessem ouvido. 

Infelizmente, há também muitos ditos crentes que agem do mesmo modo. Do púlpito, pregando a Palavra, você os vê facilmente. Pessoas que dizem professar fé em Deus, mas cujo coração está tão duro que é incapaz de germinar qualquer fé advinda da Palavra pregada. Acerca deles, o Pr. David Wilkerson certa vez pregou o sermão intitulado "Corações Duros Na Casa De Deus!" (Disponível em: http://www.tscpulpitseries.org/portuguese/ts970901.htm. Acesso: 06/05/2015). Segundo ele, os corações mais duros são encontrados justamente na casa de Deus:

"Em minha experiência, os corações mais duros - o tipo incurável - sempre foram encontrados ao alcance da voz da pregação ungida pelo Espírito Santo. Essa dureza não existe em igrejas frias, mortas, formais, onde o evangelho tem sido corrompido por gerações. Não - ela sempre é encontrada onde uma palavra pura é pregada do púlpito - e rejeitada nos bancos! Você pode perguntar: "Que é exatamente um coração duro?" Um coração duro é aquele que está determinado a recusar obediência à palavra de Deus. Ele ficou impossível de tocar, imune às convicções e advertências do Espírito Santo". (Pr. David Wilkerson, Corações Duros Na Casa De Deus!)


II. SOBRE AS PEDRAS:

A semente não caiu sobre a rocha nua, mas sobre uma fina camada de terra sobre a pedra. O calor da rocha fez a semente brotar rapidamente, antes da hora habitual do desabrochar da semente, mas a terra secou depressa e sem umidade suficiente a planta morreu. Não havia profundidade suficiente nesse solo para manter a vida da nova planta que brotou da semente.

Este representa o ouvinte superficial, meramente emocional, que busca apenas um conforto momentâneo; depois se esquecem de tudo o que ouviram e "desaparecem da Igreja". Quando o Sol da angústia retorna, sua "impressão de fé" murcha e desaparece. Eles, ao ouvirem a Palavra, conforme disse o Mestre, "a recebem com alegria", denotando a recepção imediata da Palavra por esses ouvintes, e seu assentimento rápido para com ela; mas a sua profissão súbita e precipitada sequer considerou a natureza e a importância da mesma; a alegria aparente que eles tiveram ao professar concordância foi algo apenas exterior, hipócrita. Foi uma alegria gerada através de um princípio egoísta neles; e não surgiu qualquer experiência real do poder da Palavra em suas almas, ou verdadeiro prazer espiritual neles.  Isto ocorre porque não tem raiz profunda - ou seja, não tiveram um encontro genuíno com Cristo e Sua Palavra, apenas com as externalidades do momento.

Hoje há muita gente assim, que vive a fé de modo apenas exterior, mas sem nenhuma convicção profunda no interior de suas almas. Aparentam realmente terem recebido com fé a Palavra pela performance que apresentam; como disse Jesus - "estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria".  Ao ouvirem a Palavra, recebem a "impressão de fé" e dái começam a pular, gritar, chorar, aplaudir, se ajoelhar, dar brados de vitória, etc. e ficam nesse estado "por um tempo". A versão Persa desse texto diz que "na hora de ouvir eles têm fé"; assim, enquanto eles estão ouvindo, parecem favoráveis ao que ouvem. Porém, tudo não passa de mero emocionalismo momentâneo, efêmero, passageiro. A versão Árabe diz  "eles acreditam num pequeno tempo": a fé deles não é duradoura, não permanece. Chegando as tentações, logo se desviam (gr. aphistemi, desistem, desertam, abandonam, retiram-se). Caindo em má companhia, são facilmente persuadidos a receberem em seus corações a menor das dúvidas, pondo em xeque tudo o que ouviram, e acabam assim abandonando a Palavra.


III. ENTRE OS ESPINHOS:

Nenhum semeador semearia entre os espinhos. Muito provavelmente os espinhos haviam sido previamente arrancados superficialmente, ficando no solo suas raízes. O fato é que os espinhos já estavam no solo, mas não eram visíveis por qualquer razão no momento da semeadura. Isto fala de uma vida ambígua, de duplicidade de vida, de duplicidade de senhores, uma vida mundana. Jesus diz que eles "não dão fruto com perfeição" (gr. telesphoreo, frutos maduros), isto é, fruto não chega a amadurecer. Isto mostra uma interrupção do desenvolvimento espiritual - uma vida continuamente infantil quanto a fé, um "infantilismo espiritual". Noutras palavras, pessoas que insistem em serem carnais, eternamente meninos na fé. Sua meninice contínua é o resultado da sua duplicidade de vida, ou seja, a fé e o mundo - os espinhos. São 3 tipos de espinhos listados por Jesus:

a) Cuidados: Ansiedades e preocupações relativas a presente era. É o tipo que ouve mas não toma posição devido às conseqüências que irão perturbar a sua vida de pecado, seu amor ao mundo - I Jo 2.15; Sl 1.1. Pessoas que recebem a Palavra com fé, mas quando percebem que terão de abrir mão de sua vida de prazeres e do bem-estar que estes proporcionam, que terão de abrir mão de suas amizades pecaminosas, de todo o seu modo de vida egocêntrico, acabam sufocando a fé dentro de si, numa tentativa vazia de conciliar o inconciliável. Egocentrismo puro, comportamento muito semelhante ao que é cantado pelo grupo Legião Urbana - "tem uma festa legal e a gente quer se divertir" e pela Cyndi Lauper - "girls they wanna have fun". "Nós só queremos nos divertir!" esse é o grito no coração do crente-mundano: no mundo alegria, na Igreja, bicudos! Vivem em shows - gospel ou não, pouco importa. Nele, são cheios de alegria. Na Igreja, diferentemente do show, é só bico, só cara feia; nem no momento do louvor levanta da cadeira, parecendo estar colado com o verniz da cara-de-pau da pessoa! Nas "rodinhas de amigos(as)", tratam todos como se fossem "irmãos de sangue". Na Igreja, tratam os irmãos em Cristo como se fossem "leprosos", isolando-se do contato com os outros. Pior: há aqueles que não participam de nada, não se envolvem com coisa nenhuma e ainda reclamam quando são chamados a participarem de algo; quando você deixa o(a) sujeito(a) de lado, ele reclama dizendo que foi excluído, que existe panelinha... A pessoa não se envolve com nada, vai forçada a Igreja, tranca a cara nos cultos, se isola, trata todo mundo na Igreja com ignorância e depois vem com conversa fiada!   

b) Riquezas: Fala da natureza enganadora das riquezas. É o amor à prosperidade, à bênçãos sem compromisso, em detrimento das riquezas espirituais. Buscam o "pão que perece", se esquecendo que "nem só de pão viverá o homem" - Mt 4.4; Jo 6.26,27. Essa é a turma que vai atrás da prosperidade, que seguem a tal "teologia da farinha pouca meu pirão primeiro". Querem bênção, querem unção, querem isso, querem aquilo... só não querem compromisso com Deus! Nem com a Igreja!

c) Demais deleites: Tudo o mais que poderia sufocar a Palavra de Deus - são as obras da carne - Gl 5.19-21. "Quer dizer que terei de parar de pegar garotas por causa de Cristo?" "Quer dizer que vou ter que jogar no lixo minha coleção de revistas eróticas?" "Quer dizer que vou ter que passar a frequentar assiduamente a Igreja, mesmo quando meus colegas forem para a praia?" "Quer dizer que não vou mais poder ir à balada, à festinha, tomar uns gorós, fumar um baseado e transar com quem me der vontade?"


IV. BOA TERRA:
    
Apenas esta terra produz fruto permanente (Gl 5.22,23). Isto está ligado a um "bom e reto coração". Um coração honesto, que vê a necessidade da Palavra em sua vida. Um coração honesto, que não fica fingindo ser o que não é, dizendo-se muito bom sem o ser verdadeiramente. Um coração que enxerga a si mesmo como miserável e que, deste modo, é apto a receber as Misericórdias de Deus. Aqui, vemos o "ouvido que ouve", que compreende o que Deus quer lhe dizer através de Sua Palavra. Compreende a mensagem do Evangelho em seu conteúdo, sabendo que ela é para si mesmo, que ela tem importância vital em sua vida e que portanto precisa abraçá-la com todas as forças e de todo coração. 

Como a Palavra é retida, ela produz vida neste coração, tornando-o capaz a produzir "cem por uma". A Palavra de Cristo é "espírito e vida" na vida de quem a recebe e pratica (Jo 6.63), ele é viva e eficaz, logo gera por si mesma o crescimento na vida de quem a retém.

Jesus conclui esta parábola dizendo: "Vede, pois, como ouvis" ( v.18 ). Que tipo de solo tem sido o seu coração para com a Palavra pregada e ensinada? O que você feito com tudo que já ouviu de Deus?

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

domingo, 3 de maio de 2015

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO NESSA CAVERNA?


Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.
E ali entrou numa caverna e passou ali a noite; e eis que a palavra do Senhor veio a ele, e lhe disse: Que fazes aqui Elias?
E ele disse: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.
E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto;
E depois do terremoto um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.
E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?
E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei; e buscam a minha vida para ma tirarem.
E o Senhor lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho para o deserto de Damasco; e, chegando lá, unge a Hazael rei sobre a Síria.
Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel; e também a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar.
E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, matá-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, matá-lo-á Eliseu.
Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou.
I REIS 19:8-18



Assista essa mensagem em:

PARTE 1:  https://www.youtube.com/watch?v=d0usygfjehU

PARTE 2: https://www.youtube.com/watch?v=gkczXODJis8

PARTE 3 (FINAL): https://www.youtube.com/watch?v=Z0VLEqjnL_0

Que Deus abençoe sua vida, família e ministério!
Deus está te dando visão de Águia!