Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sexta-feira, 30 de abril de 2010

SUBMISSÃO, HONRA E FIDELIDADE: AS MARCAS DO CHAMADO DE DEUS

E SUCEDEU depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo: Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel. Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés. Desde o deserto e do Líbano, até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus, e até o grande mar para o poente do sol, será o vosso termo. Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria. Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares. Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares. (Josué 1:1-9)

O livro de Josué começa com Deus admoestando Josué a confiar Nele, diante da difícil tarefa que ele teria pela frente, na condução do povo de Israel à terra da promessa. A tarefa não seria fácil, pois grandes obstáculos e inimigos tremendos seriam encontrados naquela região e, certamente, as lutas viriam e com elas as dificuldades. Porém, Deus agora confirmava a chamada e a vocação de Josué como líder daquele povo, a quem o Senhor escolheu devido a sua fidelidade, submissão e honra desprendida à Moises, durante o tempo em que este era o líder da nação de Israel.

Josué compreendeu a necessidade de cobertura espiritual e, por isso, durante toda a vida de Moisés, esteve debaixo de sua cobertura e de sua experiência ministerial; e isto com extrema humildade, amor à obra de Deus e à visão que o Senhor havia concedido a Moisés.

Neste texto, observamos que Josué é chamado de "servo de Moisés". Ele, portanto, é caracterizado por seu ofício, exercido durante todo o ministério de Moisés: o ofício de servo. Josué se tornou líder no lugar de Moisés porque ele era servo de Deus e também porque ele era servo de Moisés, o homem de Deus.

Jesus afirma que o seu ministério consistia no serviço, isto é, Ele foi servo até a cruz. A chamada cristã consiste no serviço a Deus, mas também no serviço aos irmãos e ao próximo.

Eliseu chamava Elias de seu senhor e os reis de Israel e Judá eram chamados de "meu senhor". O que vemos nas Escrituras Sagradas, portanto, é o princípio claro de autoridade espiritual e da relação que as ovelhas e demais obreiros da seara do Senhor devem ter em relação aos seus líderes, ou seja, respeito, honra e submissão.

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

COMPRANDO GATO POR LEBRE

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. (Mt 24.4-13)

Neste texto, Jesus aborda o princípio das dores, dentro de um contexto profético-escatológico. Ele faz uma analogia dos acontecimentos que antecederão a manifestação do anticristo e do arrebatamento da Igreja com as primeiras contrações sentidas por uma grávida antes de dar a luz. Os últimos dias da Igreja seriam, portanto, comparados às primeiras contrações proféticas da dor maior, sentida durante todo processo de parto, o que biblicamente acontecerá na grande tribulação, quando a Igreja não mais estará na Terra.

Nos versículos 4, 5 e 11 Jesus, respondendo, disse-lhes: "Acautelai-vos que ninguém vos engane, porque muitos virão em meu nome, dizendo: eu sou o Cristo; e enganarão a muitos... E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos." Vemos nestas palavras de Jesus uma advertência ao cuidado diante daquilo que seria pregado e ensinado nesses dias de esfriamento do amor a Deus, de libertinagem espiritual, do culto ao homem, dos modismos, dos "fast-foods" teológicos e da ênfase demasiada no marketing religioso.

É comum, hoje em dia, Igrejas com grande poderio econômico e forte influência política, de líderes carismáticos que mais parecem apresentadores famosos de programas televisivos do que ministros do altar de Deus, onde os púlpitos apresentam manifestações da libertinagem e imoralidade ética transvestida de graça barata. Temp(L)o de valores morais e espirituais diminuídos e de sã doutrina afrouxada. É comum vermos testemunhos mentirosos e marqueteiros que apresentam soluções instantâneas para todo o tipo de problema e enfermidade, de enriquecimento relâmpago. 

Deus é o Deus do impossível, mas esses líderes estão fazendo o impossível sem Deus. Hoje já não precisamos de milagres como a transformação da água em vinho, da ressurreição de mortos ou da abertura do Mar Vermelho, mas sim de dinheiro e marketing televisivo. O pior é que o marketing dessas Igrejas está "balançando" até mesmo os crentes fiéis.

Os leitores já observaram que eles nunca explicam a origem do enriquecimento? Que os testemunhos são conduzidos e manipulados para enfatizar a Igreja e não Jesus? Que muitos destes supostos testemunhos demonstram incoerências e contradições? Que estes testemunhos não têm contribuído para uma mudança de vida, mas sim para endossar o terrível egoísmo humano? Que estes tipos de ministério só têm servido para criar crentes "freelancers", isto é, sem compromisso com Deus e com Sua Palavra?

No entanto, no versículo 12 Jesus nos exorta a perseverarmos até o fim em nossas convicções ministeriais e doutrinárias, pois só assim seremos salvos.

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

O VALE-TUDO NA ARRECADAÇÃO DE DINHEIRO DOS CRENTES

No programa Vitória em Cristo, exibido na Rede Bandeirantes e dirigido pelo apresentador Silas Malafaia, do dia 8 de agosto de 2009, esteve presente o “grande” pregador da unção financeira, Morris Cerullo. Na opinião deste "pregador", o número 9 é símbolo de “estar completo”. Na profética palavra de Morris Cerullo o número “9″ simboliza “completeness”, ou seja, “inteireza”, “totalmente completo”.

Disse Morris:
“Se você quer que Deus te dê a unção financeira, a unção financeira dos últimos dias, eu quero que você pegue esse telefone, eu quero que você faça um compromisso, para 900,00 Reais (o intérprete diz “para você semear 900,00 Reais). E você diz: ‘Irmão Cerullo, eu nunca fiz isso na minha vida, especialmente para um programa de televisão!’, mas eu te digo: Quando você semear o que Deus está nos pedindo para fazer hoje, você vai receber da parte de Deus algo que você nunca recebeu antes. Por que 9? Por que eu estou pedindo por 9? Eu vou tedizer por quê. Por que este é o ano de 2009. E os números são importantes para Deus. No ano passado foi 2008, e você se lembra que celebramos um novo começo, porque o número 8 significa um novo começo. [...] 9 significa completo; 9 significa cumprimento total [...] Ouça a voz de Deus hoje. Se você for ao telefone e fizer este compromisso, para semear 900 Reais, e você disser: ‘Deus, eu quero dar um passo na minha unção financeira dos últimos dias’, Morris é profeta de Deus, eu te prometo que antes de chegar o dia primeiro de janeiro, toda promessa, toda profecia, [...] você que está sentado em sua casa, repita comigo “nove”, este é o momento de Deus para cumprir toda profecia, toda promessa.”
(http://holofote.net/2009/08/17/900-reais-e-o-ensino-de-morris-cerullo/)

A questão é como ele chegou a essa conclusão. No que se baseou? Há algum tipo de referência sobre o símbolo do número 9 que se encaixe na interpretação do "poderoso profeta"?

Para esclarecer a questão, fui buscar o significado do número 9. Eis os meus achados:

1) é o princípio da Luz Divina, Criadora, que ilumina todo pensamento, todo desejo e toda obra, exprime externamente a Obra de Deus que mora em cada homem, para descansar depois de concluir sua Obra:. O homem novenário que pelo triplo do ternário, é a união do absoluto com o relativo, do abstrato com o concreto:. O número nove, no simbolismo maçônico, desempenha um papel variado e importante com significados aplicados na sua forma ritualística:. O número 9, é o número dos Iniciados e dos Profetas. (site: "Simbologia Maçónica", disponível em http://www.maconaria.net/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=163. Acesso em 15/04/2010)

2) O número 9 é a cifra da semente, da semeadura e do renascimento, que requer nove meses. (FRAGMENTOS DAS REFLEXÕES ESOTÉRICO-INICIÁTICAS DE SERGE RAYNAUD DE LA FERRIÈRE. Disponível em http://paxprofundis.org/livros/laferriere/laferriere.html. Acesso em 15/04/2010)

3) O número 9 representa o que se acha terminado, perfeito. (http://mtc-profissional.com/cerebro_ou_coracao.php. Acesso em 15/04/2010)

4) O número 9 representa o máximo da perfeição por ser 3 vezes a representação da Santíssima Trindade. (http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/modules/mydownloads_01/visit.php?cid=63&lid=1407. Acesso em 15/04/2010)

5) 9 attracts money effortlessly, but also lets it go just as easily, similar to the 3. [9 atrai dinheiro facilmente, mas também deixa ele ir tão facilmente quanto, similar ao 3 - tradução livre] (Numerology Symbolism: How Numbers 1-9 relate to Money, disponível em http://hubpages.com/hub/numerologyandmoney. Acesso em 15/04/2010)

Todos os significados acima têm sua origem no esoterismo e nas religiões de mistério. E há muito mais significados, além destes, todos com a mesma origem - o inferno! Até que ponto (sic) vão os "ungidos" com óleo de peroba de Mamom para sustentarem seus impérios... É um vale-tudo, com direito a gravatas, cotoveladas, dedo no olho e toda sorte de golpes baixos; promessas mirabolantes, unções fantásticas, fórmulas declaratórias, decretos... E tudo isso usando o nome de Deus!

Dinheiro, dinheiro, dinheiro... é a cobiça desenfreada, interminável! Na manutenção do atual cenário no meio evangélico, que usa e abusa do profano e infernal em prol da obtenção de dinheiro, brevemente os maiores sucessos nacionais do mundo gospel, amplamente tocados nas Igrejas, serão as músicas "Mim quer Tocar" (Ultraje a Rigor) e "Dinheiro" (Orlando Morais). Afinal, como disse Maquiavel, um dos grandes mentores dos profetas da bufunfa, "os fins [no caso, o dinheiro no bolso] justificam os meios".

Fica aqui, registrado, a urgente necessidade do cristão sincero em estudar a Bíblia, única e genuína Palavra de Deus, de forma a não mais dar crédito a tudo o que ouve, só porque foi dito por um "ungido" famoso. Somente a partir do conhecimento sólido das Escrituras Sagradas, a Igreja hodierna deixará o seu estado de meninice inconstante, levada em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente (Ef 4.14).

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

terça-feira, 13 de abril de 2010

"A CULPA É DO CAPETA"

Adimar de Jesus, 40 anos, assassino confesso de seis jovens entre 13 e 19 anos, em Luziânia (GO). O pedreiro, condenado a 15 anos de prisão, ganhou liberdade condicional no dia 23 de dezembro do ano passado, após quatro anos preso por estupro e assédio sexual. Uma semana depois que saiu da cadeia, o criminoso matava a primeira das seis vítimas em 30 dias. No depoimento, ele disse que ouvia vozes “do capeta” e sonhava com “pedidos” para que matasse os jovens. (Jornal O Dia, 13/04/2010)

"Foi o diabo" é a justificativa humana perante seus próprios erros. Justificativa tão antiga quanto o homem. A lógica é acusar o cramunhão, culpando-o pelos crimes cometidos, tirando assim a responsabilidade da ação, cometida fisicamente pelo pedreiro meliante.

Como cristão e pastor, creio que o diabo incita o homem para a prática do pecado. Porém, creio também que o homem é reponsável, perante Deus e a sociedade, pelos atos cometidos, tenham sido eles incitados pelo diabo exterior, ser espiritual e pessoal, ou pelo diabo interior, que é a inclinação maligna que habita o coração humano. O diabo nada faz sem a aquiescência do homem, que isso fique claro!

Culpar o diabo pelas mazelas humanas é prática popularizada pelas Igrejas neopentescostais, com seu eu-vangelho de prosperidade e facilidades e com seu exorcismo holywoodiano que "faz jurar" liberdade em troca de vultosas ofertas - esconjurando (fazendo desaparecer), na verdade, o dinheiro dos fiéis. O problema é que não é possível haver mudança de vida expulsando-se apenas o demônio exterior, sem expulsar o "demônio" interior. Sem conhecer a Verdade, não há libertação definitiva, porque a essência do mal continua habitando o coração humano. O que contamina o homem - os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura - continua a habitar o coração humano (Mc 7.21-23).

Coração limpo, adornado porém VAZIO é um irresistível convite a tornar-se, novamente, morada de demônios. O que saiu, voltará. E, ao voltar, transformará aquela pessoa numa pocilga, trazendo consigo mais sete "invasores" do MSC (Movimento dos Sem-Corpo). Afinal, o lugar é ainda propício, acolhedor, aconchegante: lugar repleto de contaminações!

Conhecer a Verdade é fundamental ao homem, para que de fato ele seja livre. Jesus disse: "Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" (Jo 8.32). Que Verdade libertadora é essa? É a Verdade da Palavra de Deus, das Boas Novas, do Único Evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. É a Verdade que trata da origem do problema - o pecado humano; que mostra que o homem está miseravelmente perdido, longe de Deus e condenado ao inferno (e isso com toda a sua religião, seja ela de base cristã/evangélica ou não). A Verdade que mostra que a única solução para o homem é arrepender-se dos seus pecados.

Arrepender-se aqui não é remorso; é metanóia, é mudança de atitude, ou seja, atitude contrária, ou oposta, àquela tomada anteriormente. É perceber e se sensibilizar com as conseqüências ruins que seus atos causaram para outras pessoas. É sentir uma tristeza verdadeira pelo que fez, tomando uma firme decisão de não mais cometer o mesmo erro. Tristeza segundo Deus, que produz vida! (II Co 7.9) Ah, como isso falta em nossos dias!!!!

É, então, após reconhecer e arrepender-se, receber, com sinceridade, a Jesus como Único e Suficiente Senhor (ou seja, Ele passa a mandar em sua vida) e Salvador, identificando-se com o Seu sacrifício perdoador e substitutivo. Identificar-se é reconhecer que era você que merecia a morte, não Ele; mas que Ele, por amar você, deu a Sua vida para que você viva de verdade! Isto não é fórmula religiosa, é a Verdade de Deus!

Só assim o coração humano será morada de Deus; só pela libertação proporcionada pelo Filho de Deus é que o homem ficará verdadeiramente livre (Jo 8.36). Só a "expulsão" do demônio interior, por meio da Verdade que Liberta, garantirá que os efeitos da expulsão do demônio exterior sejam perenes.

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

REFERÊNCIAS
http://odia.terra.com.br/portal/brasil/html/2010/4/monstro_de_goias_diz_que_nao_consegue_parar_de_matar_74952.html Acesso em 2010

segunda-feira, 12 de abril de 2010

TEOLOGIA DA PRO$PERIDADE: ENRIQUECIMENTO DOS PREGADORE$, EMPOBRECIMENTO DOS FIÉIS

A Teologia da Prosperidade (também conhecida como doutrina da prosperidade, a saúde e riqueza do evangelho, ou o evangelho da prosperidade) é uma crença religiosa de, talvez, milhares de cristãos ao redor do mundo. Esta crença se baseia na noção de que Deus confere prosperidade material para aqueles que Ele favorece. Alguns mestres na Palavra de Deus a definem como a crença de que "Jesus abençoa os fiéis com riquezas" ou, mais especificamente, como o ensinamento de que "os fiéis têm o direito das bênçãos de saúde e riqueza e que eles podem obter essas bênçãos por meio de confissões de fé positivas e da "semeadura fiel" de pagamentos de dízimos e ofertas à Igreja".

A Teologia da Prosperidade ou Confissão Positiva teve sua origem na década de 40 nos Estados Unidos, sendo reconhecida como doutrina na década de 70, quando se difundiu pelo meio evangélico. Possuía um forte cunho de auto-ajuda e valorização do indivíduo, agregando crenças sobre cura, prosperidade e poder da fé através da confissão da "Palavra" em voz alta e "No Nome de Jesus" para recebimento das bênçãos almejadas; por meio da Confissão Positiva, o cristão compreende que tem direito a tudo de bom e de melhor que a vida pode oferecer: saúde perfeita, riqueza material, poder para subjugar Satanás, uma vida plena de felicidade e sem problemas. Em contrapartida, dele é esperado que não duvide minimamente do recebimento da bênção, pois isto acarretaria em sua perda, bem como o triunfo do Diabo. A relação entre o fiel e Deus ocorre pela reciprocidade, o cristão semeando através de dízimos e ofertas e Deus cumprindo suas promessas. (Souza e Magalhães, 2002)

Seus primeiros propagadores foram: Kenneth Hagin, Kenneth Coppeland, Robert Tilton, Charles Capps, Morris Cerullo, dentre outros. Homens influenciados por Essek Willian Kenyon, que por sua vez teve seus ensinos inspirados nos conceitos elaborados pelo curandeiro e hipnotizador Finéias Parkhurst Quimby (século XIX), precursor das heresias conhecidas hoje como Ciência Cristã. Podemos afirmar, sem dúvida, que a Ciência Cristã (que nada tem de ciência, tampouco de cristã) foi o embrião da Confissão Positiva e, por conseguinte, da Teologia da Prosperidade.


Esta “teologia” oferece fórmulas para fazer o dinheiro render mais, evitar-se acidentes, livrar-se de doenças e problemas, aumentar as propriedades, além de viver uma vida sem dificuldades. A teologia da prosperidade sustenta que nenhum filho de Deus pode adoecer ou sofrer, pois isso seria uma clara demonstração de ausência de fé e, por outro lado, da presença do diabo.

Mahatma Gandhi apontou o materialismo para explicar sua reação ambivalente ao cristianismo: "Eu gosto do seu Cristo. Eu não gosto de seus cristãos. Seus cristãos são tão diferente de seu Cristo. O materialismo dos países ricos dos cristãos parece contradizer as afirmações de Jesus Cristo que diz: não é possível adorar a Deus e a Mamom ambos ao mesmo tempo." [Citado por William Rees-Mogg,
4 de abril de 2005, edição do The Times]

De fato, “a Teologia da Prosperidade é uma etapa avançada da secularização da ética protestante” (Freston, 1994: 146).

A teologia da prosperidade não passa de uma forma de exploração e enriquecimento dos seus pregadores, em detrimento do empobrecimento de seus seguidores - geralmente pessoas de baixa classe social e econômica - que anseiam alcançar por meio do sobrenatural aquilo que lhes foi privado pelas injustiças e desigualdades sociais.

Deve-se considerar que o crescimento explosivo do número de pregadores da prosperidade (com direito a importação dos Estados Unidos de formadores de opinião na área), tanto no mundo quanto Brasil, está inexoravelmente ligado a um grande "nicho de mercado" para suas palestras, livros e CDs. Este nicho, composto por pessoas insatisfeitas com seu padrão de vida, ouvintes e seguidores dos "profetas da prosperidade", detentores de uma cobiça quase insaciável, buscam meios fáceis para alcançarem riqueza e fama.

Os únicos "abençoados" por seguirem tais ensinos são os seus próprios mestres e pregadores! No livro "Supercrentes: O Evangelho Segundo Kenneth Hagin, Valnice Milhomens e os Profetas da Prosperidade", Paulo Romeiro faz uma constatação óbvia: a aplicação da "teologia da prosperidade" não gerou uma igreja rica e poderosa; produziu, sim, líderes ricos, poderosos e gananciosos, e cada vez mais distanciados da simplicidade de Cristo, enxergando a vida piedosa como meio de ganho. Esses senhores da prosperidade são filhos da avareza, que é idolatria; posto que só se ocupam das coisas desta vida. Paulo diria que o “Deus deles é o seu próprio ventre”.

Afinal, desde os mais remotos tempos, a religião é o negócio é mais lucrativo na Terra: Não dá nada para ninguém e recebe de todos; não vende nada material, mas recolhe grana como quem vendeu diamantes invisíveis; não investe em produção, mas ganha muito como indústria de promessas de milagres; não tem que manufaturar nada, pois apenas tem que manipular tudo; não tem que convencer ninguém de nada, posto que, pela pobreza, pelo medo, e pela infelicidade da existência, tais indivíduos, os “fiéis”, já compraram o “pacote” como quem compra o poder de um “despacho”, etc… Isto porque a visão de Deus anunciada nesses grupos, é a de um “Deus” perverso, avaro, ganancioso, inescrupuloso, louco por prata e ouro, e que não agüenta receber uns trocados sem dar uma demonstração pagã de poder (coisa de pequenas e medíocres divindades). (Fabio, 2006)

A teologia da prosperidade une o fútil ao desagradável, ou seja, é uma mistura de ganância e comodismo. Trata-se, assim, da teologia do egocentrismo, onde o foco não é Deus; este é apenas um meio para se alcançar a prosperidade. O foco é o homem e suas necessidades e desejos, o seu prazer. Neste particular, trata-se de uma sutil derivação do hedonismo, onde o prazer individual e imediato é o único bem possível, princípio e fim da vida moral.

Na verdade, o exercício da fé para alcançar tal prosperidade é, do ponto de vista bíblico, a ausência de fé. O autor da epístola aos Hebreus nos ensina: "Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei" (Hb 13.5). Segundo o texto, o contentamento (sentimento de prazer; contento, satisfação, alegria) está ligado à promessa de Deus em não desamparar aqueles que são seus.

Tiago nos fala do convívio de ricos e pobres, coexistindo numa mesma Igreja:

1 MEUS irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.
2 Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com trajes preciosos, e entrar também algum pobre com sórdido traje,
3 E atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado,
4 Porventura não fizestes distinção entre vós mesmos, e não vos fizestes juízes de maus pensamentos?
5 Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?
6 Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não vos oprimem os ricos, e não vos arrastam aos tribunais?
7 Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?
(Tiago 2:1-7)

Considerando a inspiração plenária das Escrituras, podemos concluir facilmente que o livro de Tiago, figurando dentre o rol de livros canônicos, aponta profeticamente para uma relação que transcederia a Igreja daquela época. Ou seja, ricos e pobres coexistiram como membros em Igrejas daquela época e coexistirão dentro de Igrejas de séculos posteriores, incluindo o nosso.

"Os pobres sempre terão convosco" (Mt 26.11), eles sempre coexistirão com os ricos na sociedade. Mesmo dentro da Igreja, sempre haverá os mais pobres e necessitados. Assim, há que se considerar que muitos pobres, fiéis seguidores da teologia da prosperidade, durante longo tempo de suas vidas buscarão compreender porque as bênçãos exigidas de Deus não ocorreram, padecerão de angústia por terem falhado ou permitido que o Diabo roubasse sua graça. Com isso, a Teologia da Prosperidade produz efeito diverso do prometido, ou seja, crentes doentes, confusos e em eterno conflito, por não alcançarem os tão almejados resultados práticos da aplicação dos princípios que fazem de seus líderes o que eles mesmos querem ser.

Será que Deus deseja enriquecer financeiramente todos os homens? O que mais importa para Deus: que o homem seja salvo ou que seja rico? A riqueza tem o poder de trazer efeitos adversos ao homem no que tange a sua salvação: "Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! E os discípulos se admiraram destas suas palavras; mas Jesus, tornando a falar, disse-lhes: Filhos, quão difícil é, para os que confiam nas riquezas, entrar no reino de Deus!" (Mc 10.23,24)

Algumas questões para reflexão:

• até onde é lícito, ou eticamente aceitável, algumas igrejas utilizarem métodos heterodoxos, por vezes refinados, num forte contexto emocional, para motivar os seus fiéis, majoritariamente pobres, a serem generosos em seus “votos” condicionando a eles as bênçãos e os milagres?

• até que ponto é moralmente válido algumas denominações religiosas explorarem as carências e necessidades dos seus fiéis, pressionando-os e forçando-os a efetuarem ofertas financeiras, arrecadando somas fantásticas que lhes permitem construir verdadeiros impérios econômicos?

• não é chocante, como afirma C. Mariz, “ver gente tão pobre, débil, desdentada, mal vestida, dar tanto dinheiro para pastores jovens bem vestidos, com saúde, com carro do ano e com aparência de uma classe mais elevada?” (Mariz, 1995:28).

Por último, uma pergunta que não quer se calar: após as últimas chuvas, no RJ, muitas pessoas ficaram desabrigadas, perdendo entes queridos e todos os bens que possuíam. Alguns pregadores cariocas da teologia da prosperidade lançaram recentemente o "Clube de 1 milhão de almas", cujo objetivo divulgado seria a conquista de vidas para o Reino de Deus. Para tanto, cada pessoa deve dar uma "oferta voluntária" no valor de R$ 1.000,00 (MIL REAIS). Será que os recursos levantados serão utilizados para ajudar as vítimas das chuvas - ajuda segundo ensina o livro de Tiago, ou seja, DANDO as coisas necessárias para o corpo (Tg 2.15,16)? Afinal, há muitas almas ali para serem salvas, não concordam Mrs. Murdock, Cerullo e discípulos brasileiros?!?

REFERÊNCIAS

http://bible.org/article/bankruptcy-prosperity-gospel-exercise-biblical-and-theological-ethics. Acesso em 2010.

Souza, Etiane Caloy Bovkalovski de e Magalhães, Marionilde Dias Brepohl de. Os pentecostais: entre
a fé e a política. Rev. bras. Hist. vol.22 no.43 São Paulo, 2002. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882002000100006. Acesso em 2010.

http://www.vitoriaemcristo.org/_gutenweb/_site/hotsite/clube1M/. Acesso em 2010.

Fabio, Caio. A desgraça da teologia da prosperidade. 08/12/2006. Disponível em http://www.sitecristao.com/a-desgraca-da-teologia-da-prosperidade/. Acesso em 2010.

FRESTON, Paul (1994) “Breve história do pentecostalismo brasileiro” in Nem anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo, Vozes, 1994:67-162, Petrópolis.

MARlZ, Cecília (1995) “El debate en torno del Pentecostalismo Autónomo en Brasil” in Sociedad y Religión, Buenos Aires, N. 13, março 1995:21-32.

terça-feira, 6 de abril de 2010

PREPARATIVOS PARA OS ÚLTIMOS DIAS - II

Hoje, 06/04/2010, todos os principais noticiários cariocas e brasileiros mostram o fortíssimo temporal que atingiu o Rio de Janeiro e suas conseqüências. Eu fui testemunha in loco do temporal: primeiro, tentando voltar para casa na segunda-feira à noite. Fiquei mais de 6 horas num ônibus, porque nenhum veículo passava devido a bolsões de água, que atingiam os joelhos dos transeuntes que por ele tentavam passar à pé.

Depois, na terça-feira, tentando junto com meu irmão de sangue resgatar minha vó e meus pais idosos, porque a água das chuvas invadiu a casa deles. Desta vez, senti na pele, literalmente, aquilo que os transeuntes experimentaram, na segunda-feira: água na altura dos joelhos, sem saber exatamente onde eu estava pisando. Ao final, um vizinho deles, proprietário de um caminhão, levou minha vó até um local mais seco. Minha mãe foi à pé com meu irmão. Voltamos mais uma vez para buscar meu pai.

Pelo jornal, fui informado de que mais de 90 pessoas perderam a vida por causa das consequencias das chuvas no RJ, Niterói e adjacências. Diversos jornais estrangeiros noticiaram o caos que se estabeleceu sobre o RJ. Segundo o prefeito de Niterói, "Niterói nunca registrou uma chuva como essa". Ele decretou luto oficial por 7 dias e, pela primeira vez, situação de emergência. Já no RJ, o governador decretou luto oficial por 3 dias.

Por outro lado, foi registrado hoje um tremor de 7,8 graus na escala Richter na Ilha indonésia de Sumatra, que provocou alerta de Tisunami.

Há alguns meses, publiquei uma postagem intitulada "Preparativos para os Últimos Dias" (04/02/2010). Nela, constavam dois eventos trágicos que impactaram a vida das pessoas: uma tempestade no RJ e um terremoto no Haiti. Hoje, 06/04/2010, novamente registro neste blog dois eventos trágicos: tempestade no RJ e terremoto na Ilha de Sumatra. Uma tempestade e um terremoto!

Novamente, cabe a pergunta: seriam ambos os eventos mera coincidência? Seriam simplesmente conseqüências das mudanças climáticas e mero ajuste de placas tectônicas? Eu creio fortemente que não! Não é conseqüência! Não é obra do deus destino! Não!

O que estamos presenciando é justamente os preparativos para os últimos dias, conforme as palavras de Jesus: E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu. (Lucas 21:11) Enquanto a humanidade mergulha de cabeça no pecado em suas mais diversas formas - contra o semelhante, contra Deus e contra si mesmo -, abandonando ao único Criador e Salvador, vivendo como se não existisse Deus ou se Ele nada fizesse contra a maldade humana, há um desfecho final sendo preparado bem debaixo dos nossos olhos! Deus nunca esteve e não está passivo ou inerte diante da maldade humana, como pensam alguns.

Sim, querido leitor: Há um fim. O "fim do mundo", como é popularmente conhecido; não é coisa de bitolados, é uma realidade! Não um fim holywoodiano, não um fim baseado em textos falsos do ponto de vista da aprovação divina, como o Calendário Maia. Mas um fim baseado na Bíblia Sagrada! Um fim que tem como base a Palavra de Deus! Deus não é homem para mentir (Nm 23.19); tendo falado, assim será feito, independente do homem crer ou gostar!

Jesus disse que por ocasião de sua Segunda Vinda, que inaugurará o período conhecido como Grande Tribulação, os homens estariam casando e dando-se em casamento - casamento homossexual e heterossexual estão aqui envolvidos. Exatamente como nos dias de Noé, os homens ignorariam por completo as Leis de Deus, vivendo cada um segundo seu bel prazer pecaminoso. Isso perdurou até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. (Mt 24.38,39)

Hoje, a promiscuidade, a violência, a depravação e a imoralidade assumem proporções impensáveis. O aumento da maldade - Adultérios, prostituição, pedofilia, homossexualismo, homicídios, assassinatos, idolatria, feitiçaria, inimizades, iras, dissensões, heresias, invejas, bebedices, escândalos, dissimulações, falsidade, hipocrisia, abandono da Igreja - total descaso com Deus e Sua Palavra - são a tônica, tanto na Igreja quanto fora dela, tanto por descrentes quanto por falsos crentes.  Isso é um sinal do fim!

A multiplicação dos falsos profetas, que prometem prosperidade e liberdade às custas de vultosas doações financeiras - chamadas "sementes", enganando a muitos; e dos escândalos, onde os homens trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão são também sinais do fim!

Você, querido leitor, está preparado para a Segunda Vinda de Cristo? Confessou e renunciou à sua vida pecaminosa e recebeu a Cristo como Senhor e Salvador de sua vida? Tem buscado a paz com todos e a santificação? Está preparado espiritual e moralmente para ser arrebatado, ao soar a trombeta de Deus? Ou abandonou o Teu Criador e Senhor? Está firme na Casa de Deus, ou está firme em sua busca em satisfazer seus próprios desejos pecaminosos? Há um antigo hino que diz assim:

Vai buscar, vai buscar
em segredo à Cristo
Vai buscar, Cristo Senhor
O tempo está passando

Está chamando, me chama para o trono
De Deus escuto, em mim há uma voz,
O tempo está passando

Vai buscar, vai buscar
em segredo à Cristo
Vai buscar, Cristo Senhor
O tempo está passando

Tormenta açoita, vem pecador temendo,
De Deus escuto, em mim há uma voz,
O tempo está passando

Vai buscar, vai buscar
em segredo à Cristo
Vai buscar, Cristo Senhor
O tempo está passando

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!


Referências:
  • http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2010/4/niteroi_registra_48_mortes_e_1_100_desabrigados_e_desalojados_73640.html. Acesso em 06/04/2010, 21h.
  • http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2010/04/06/terremoto-de-7-8-graus-atinge-ilha-de-sumatra-na-indonesia-916265945.asp. Acesso em 06/04/2010, 21h30min.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

PULSEIRA DO SEXO - II

Adolescente é estuprada após estourar o adorno no Paraná
Segundo a polícia, crime foi motivado pelo uso do adereço.
Dos quatro envolvidos, três são adolescentes e um tem 18 anos.

Aparentemente inofensivas, pulseiras coloridas, chamadas pelos adolescentes de "pulseiras do sexo", "pulseiras da malhação" ou "pulseira da amizade", levaram uma menina de 13 anos a ser estuprada e abusada sexualmente por quatro pessoas em Londrina, no norte do Paraná, um deles com 18 anos e os outros menores. Em razão da gravidade do caso, o juiz da Vara da Infância e Juventude de Londrina, Ademir Ribeiro Richter, proibiu nesta quarta-feira, 31, a venda das pulseiras no comércio da cidade. A Câmara Municipal também discute a proibição.

As pulseiras finas de silicone começaram a ter conotação sexual na Inglaterra, com cada cor representando uma atitude, que vai desde um abraço até a prática de sexo. O comando para que o parceiro realize a ação é feito quando um arrebenta a pulseira do outro. De acordo com o delegado da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, William Douglas Soares, o comando foi dado por volta do meio-dia do dia 15, no terminal central de transporte coletivo de Londrina.

A vítima e três dos autores tinham se conhecido no dia 14 no mesmo lugar, quando ela saíra da escola e esperava o ônibus para retornar para casa. No dia seguinte, um dos homens chegou até a adolescente e arrebentou a pulseira preta, que convencionalmente representaria o sexo. "Ficou muito claro que a motivação foi o uso da pulseira, porque eles não tinham laço de amizade", afirmou o delegado. "Ela disse que, depois que arrebentou, eles pressionaram que ela teria que fazer e ela se sentiu constrangida e os acompanhou até a casa de um deles."

Segundo o delegado, não houve nenhuma coação por meio de arma, mas ela acompanhou os três rapazes que a abordaram até a casa do que possui 18 anos. Ali chegou uma quarta pessoa. "Praticaram atos libidinosos com ela, inclusive com relação sexual", reforçou Soares. Segundo ele, o fato de ela ter acompanhado espontaneamente os rapazes não interfere no crime, pois o estupro de vulnerável (menor de 14 anos) independe da vontade.

A família da menina procurou a Delegacia do Adolescente somente no dia 23 relatando o fato. Em razão disso, não foi possível realizar o flagrante e os quatro rapazes respondem a inquérito em liberdade. Segundo o delegado, "aparentemente" a adolescente sabia do significado das cores da pulseira, embora no interrogatório, talvez por estar acompanhada dos pais, dissesse que não tinha a total dimensão do que representava e que teria de "pagar".

A adolescente foi entregue ao Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas) para que tenha acompanhamento psicológico. Para o rapaz de 18 anos, a legislação prevê, em caso de condenação, pena de 8 a 15 anos, enquanto os menores poderão ser encaminhados para medidas socioeducativas ou para internação.

Data: 18/5/2010
Fonte: Estadão