Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

ENTRAR PARA A IGREJA NÃO É O MESMO QUE CONVERSÃO


Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. (Evangelho segundo São João, cap. 3, versículos 3 a 7)

Necessário vos é nascer de novo. Foi exatamente o que Jesus disse a Niocodemos, fariseu, mestre da lei e líder dos judeus. Sem novo nascimento, não há como alguém ver o reino de Deus. Em verdade, em verdade, ou seja, amém e amém, é necessário gennēthē anōthen, "nascer de cima", "nascer do alto". Sem nascer do alto, segundo Jesus, ninguém "pode ver", do grego dunatai eido, "sem poder para ver" o reino de Deus. É, deste modo, o novo nascimento que confere poder para que o homem veja (no sentido de conhecer, ou por extensão mais ampla, entrar) o reino de Deus. Assim, o nascer de novo é o imperativo de Deus para que o homem tenha acesso ao Reino de Deus.

O que é nascer de novo? Nicodemos interpretou essa necessidade no sentido humano, ou seja, uma pessoa voltando ao útero de sua mãe e tornando a dele nascer. Por mais estranho que possa soar para nós, hoje, essa linha de interpretação de Nicodemos, na verdade é justamente assim que muitos e muitos entendem e ensinam as palavras de Jesus. Talvez não no mesmo sentido de Nicodemos - voltar ao ventre e tornar a nascer - porém num sentido tão humano quanto o que ele deu. Para muitos - não-crentes e crentes, não-cristãos e cristãos - o "nascer de novo" resume-se, na prática, em alguém aderir a uma Igreja ou denominação religiosa evangélica, uma simples adesão, onde "promete-se solenemente" (sic) obedecer (é ruim, ein?) a tudo o que o pastor mandar. Então a pessoa toma um banh... ops, é batizada e então torna-se automaticamente um salvo, um cristão. Tudo resolvido.

Outros, por sua vez, encaram esse "nascer de novo" como uma espécie de "reforma de vida". Aquele que abandona os pecados exteriores (como deixar de beber e de fumar, de mentir, de falar palavrão, de fornicar, etc) e/ou joga fora seus utensílios religiosos pagãos (imagens, roupas, livros, etc), "aceitando a Cristo" e "tornando-se crente" seria, no entendimento comum, uma pessoa que "nasceu de novo". Este aceitar a Cristo se constituiria num "levantar a mão" dentro da Igreja diante do apelo do pastor, vir a frente, receber uma oração e... pimba! pronto! É um salvo, "nascido de novo", pendente no SPC do céu de apenas uma imersão na água (ou borrifar, depende). Depois disso, tal pessoa torna-se "um irmão" (ou irmã) e é inserida nos programas da Igreja.

Por sua vez, para os não-crentes, a pessoa que entra para a Igreja entrou para um sistema de moral e ética. O foco da fé, para essas pessoas, é a reforma moral do indivíduo. Uma pessoa com problemas morais e éticos que agora vai "melhorar de vida". Por exemplo, um bêbado entraria para a Igreja para deixar de ser bêbado, um drogado deixaria de se drogar, etc, porque agora seria "doutrinado" a não viver mais desse modo. Ou seja, a Igreja faria uma espécie de "doutrinação moral", levando o indivíduo a um outro tipo de comportamento "adequado a Igreja". Aqui entraria, por exemplo, a visão do mundo da tal "cura gay", alvo de profundas e irremediáveis polêmicas e disputas: a igreja, na concepção de seus opositores e adversários, faria uma "lavagem cerebral" na mente dos gays. Nada mais distante da realidade, nem mais calunioso.

Isso tudo não passa da visão humana, da interpretação simplória e carnal daquilo que Jesus ensinou a Nicodemos. É o "tornar a entrar no ventre e nascer", uma espécie de regressão/conversão biopsíquica a um estágio anterior para daí progredir: voltar à realidade anterior ao fato indesejável e, a partir daí, usando ferramental psicológico, implantar na pessoa um padrão moral que impeça o retrocesso ao estágio anterior. Uma pessoa "transformada" seria, assim, uma pessoa que teve sua psiquê alterada por imposição contínua de conceitos modificadores. E, para piorar ainda mais esta "não-visão" por parte dos opositores e adversários da igreja e do homem comum (isto é, não conhecedor da verdade de Deus), isto seria feito por "imposição", como se o indivíduo não procurasse voluntariamente a Igreja, mas fosse "forçado", "imposto", a dela fazer parte e, assim, passar por todo esse "processo".

Porém, Jesus não ensinou uma reforma moral de vida; também não veio pregando a necessidade de atos exteriores auto-suficientes (como batismo, etc). Não. A necessidade da qual Jesus falou com Nicodemos é superior à humana. É uma necessidade espiritual. Quem estabeleceu esta necessidade? O próprio Deus, o Pai de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Que necessidade é essa? A necessidade de regeneração espiritual (o que o homem comum chamaria de "conversão"), algo que só pode ser produzido por Deus no homem. Portanto, algo que não pode ser alcançado por "esforços humanos", não importando o quão bem-intencionados ou psicologicamente estruturados eles sejam.

Jesus respondeu a pergunta de Nicodemos. Ele disse: aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. Nascer de cima, do alto, é o mesmo que nascer da água e do Espírito (Espírito Santo) conforme Jesus explicou. "Nascer da água" é interpretado por alguns intérpretes e teólogos como o batismo nas águas. Este, segundo o Novo Testamento, é mais do que um simples rito exterior; é, na verdade, um símbolo exterior de uma realidade interior. Essa realidade é a identificação da pessoa com a morte, sepultamento e ressurreição de Jesus num nível interior, espiritual e profundo. No batismo, identifico-me com Cristo sendo crucificado em meu lugar, vejo Nele os meus pecados - vejo, portanto, duas coisas: que sou pecador e que o Senhor morreu por causa dos meus pecados. Isaías no diz sobre o Senhor: "Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. (Isaías 53:4). Vejo, assim, Jesus como Aquele que remove os meus pecados, que retira os meus pecados de sobre mim e os põe sobre Ele mesmo.

Vejo também a consequência disso: meus pecados, sobre Jesus, o levaram a morte. Ele morreu por causa dos meus pecados. Noutras palavras, Ele recebeu sobre Si, sobre Seu corpo, todo o juízo de Deus por causa dos meus pecados, o que implicava a necessidade Dele morrer por isso. Havia uma sentença de morte, sobre mim; sentença dada por Deus - o pecado produz em seus efeitos a morte, inevitavelmente. Todos nós - toda a humanidade - passamos a morrer por causa do pecado, e por causa do pecado o homem morreu espiritualmente - foi separado, teve a comunhão, teve a aliança com Deus rompida, quebrada. O pecado trouxe afastamento do homem de Seu Deus. É por isso que Jesus, estando na cruz, exclama "Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mateus 27:46): porque meus pecados estavam sobre Ele, Deus o abandonou ali, na cruz, para morrer. Sobre Ele pesou toda o juízo e justiça de Deus, que ao homem pecador estavam destinadas!

Vejo, ainda mais: vejo-o ressuscitando dentre os mortos! Meus pecados, os quais Ele carregou, não estão mais sobre Ele; já foram todos julgados na cruz! Cristo ressuscitado não traz mais nenhum pecado do homem Sobre Si, pois acerca de todos esses pecados Ele já padeceu - como se fosse eu, ou seja, em meu lugar - na cruz. Portanto, agora ressuscitado, vejo-me livre dos meus pecados! Vejo-me livre daquilo que me afastava de Meu Deus, que me colocava distante Dele por força da justiça e santidade de Deus. Agora, posso me aproximar de meu Deus novamente! Tenho na Obra de Cristo realizada em meu lugar na cruz a justiça necessária; cumpri, em Cristo, a exigência de Deus - morri, em Cristo, por meus pecados! Assim, deste modo, como Ele ressuscitou, eu também ressuscitei em Cristo - sim, porque segundo a Bíblia, antes, estava eu morto em meus delitos e pecados: "E VOS vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus" (Efésios 2:1-6). Agora, estou vivificado - tive a vida restituída, revivi dentre os mortos - em Cristo Jesus!


Onde estava eu morto, antes? Estava morto em meu espírito. Morto espiritual,  aguardando a morte física e a morte eterna. "De acordo com as Escrituras, o julgamento divino que caiu sobre Adão não só resultou em sua morte física, mas também em sua morte espiritual. Isso significa que ele se tornou sensível a toda sorte de estímulos perversos, tanto humanos quanto demoníacos, mas insensível à pessoa e à vontade de Deus. Assim como um homem é declarado morto no momento que deixa de reagir a todas as formas de estímulos, o homem caído também é declarado espiritualmente morto por causa de sua inabilidade absoluta de reagir a Deus [...] É importante entender que o homem não é uma vítima que está separada de Deus por causa de alguma ignorância inevitável que ele não pode evitar. A ignorância do homem é autoimposta. Ele é hostil para com Deus e não deseja conhecê-Lo ou conhecer a Sua vontade. O homem é ignorante quanto a coisas espirituais porque ele fecha os olhos e se recusa a olhar para Deus. Ele cobre seus ouvidos e se recusa a escutar. Ao endurecer seu coração contra Deus, o homem caído se torna insensível para toda verdade e virtude espiritual. Ele então voluntariamente se entrega para o próprio mal contra o qual Deus se opõe." (http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/08/paul-washer-morte-espiritual-a-verdade-sobre-o-homem-410/). Ora, o espírito humano, por causa do pecado, morreu para com Deus (ficou sem a utilidade para a qual foi criado, ou seja, possibilitar o relacionamento entre Deus e o homem). Por isso são inúteis todos e quaisquer esforços humanos para o homem regenerar-se: a regeneração é espiritual - nascer do Espírito - ou seja, só pode ser produzida pela ação do Espírito Santo na vida humana e isso só se da em conjunção com toda a identificação com Cristo, relatada acima. Por isso, falamos que o rito externo sem a devida realidade interna é inútil: não adianta banhar-se numa piscina e dizer que isso é batismo, sem a correspondência interior. Essa, por sua vez, somente pode ser gerada pelo Espírito Santo no interior do homem, pois é Ele quem "convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo" (João 16:8). 

Enfatizando, todos os esforços humanos em produzir mudança no homem, moral, ética ou espiritual, são inúteis. Não adianta tentar "converter na marra" alguém à uma mudança moral ou ética cristã, ou a fé cristã. É inútil. Daí, vemos muitos "ex" que são "ex temporários", ou seja, "ex" por um determinado tempo. Essas pessoas são empolgadas com a fé, convencidas, não convertidas (regeneradas, do ponto de vista espiritual). Diante dos problemas, das angústias, das necessidades e até diante do mundo e seus prazeres, estas pessoas "dão meia volta volver" e retornam às antigas práticas. Isso acontece porque não houve uma mudança interior, uma transformação de vida; tornaram-se adeptos de uma religião, não cristãs de verdade.  Conforme ensina o Pr. Paul Washer, "Antes da conversão, cada pessoa “anda” ou “pratica” o pecado como um estilo de vida. Eles não andam de acordo com a vontade de Deus, mas de acordo com o curso de um mundo caído que é hostil para com Deus e desobediente. Vivem de uma maneira que se conforma à vontade do diabo. A mente do morto espiritual [...] a respeito de Deus ela é vazia de verdade e cheia com todas as sortes de vaidades, heresias e contradições. Quando homens caídos buscam ser “espirituais” ou “religiosos,” os resultados são catastróficos, até mesmo absurdos. Isto acontece porque suas mentes são fúteis e obscurecidas." (http://voltemosaoevangelho.com/blog/2012/08/paul-washer-morte-espiritual-a-verdade-sobre-o-homem-410/)

É somente a regeneração - conversão do ponto de vista exterior - que possibilita ao homem viver a Vontade de Deus. É somente essa mudança interior, esse renascimento espiritual interno, produzido pelo Espírito Santo fazendo uso da realidade do sacrifício de Cristo na cruz, é que possibilita ao homem viver para Deus, considerando Deus em seus caminhos e decisões. Porque o homem é regenerado, ele agora se interessa e tem prazer em Deus e nas coisas de Deus, tem prazer em agradar e servir Àquele que o salvou. Ele busca, agora, viver segundo a Bíblia, segundo a Palavra de Deus. E por causa da sua nova natureza, por causa do Espírito Santo que agora mora dentro dele, o homem regenerado tem condições de viver segundo a Bíblia. Aquilo que é impossível e estranho ao homem morto em seus pecados, é agora passível ao homem regenerado por e para Deus. Aí sim, entra a Igreja - comunidade dos regenerados, a qual, obedecendo o Senhor Jesus, "... Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém." (Mateus 28:19,20) A Igreja batiza e ensina os novos discípulos - e antigos - a guardarem todas as coisas que Jesus mandou, em Sua Palavra, a Bíblia. Uma outra função da Igreja é ser a voz profética, chamando os homens ao arrependimento e a fé.

Concluindo, é imprescindível entendermos a diferença. Isso é vital. Somente o regenerado pode entra no Reino de Deus. Ser membro ou frequentar uma Igreja ou denominação religiosa não é sinônimo disso. É possível ser membro da Igreja terrena, mesmo não sendo regenerado. É possível viver as exterioridades da fé cristã, seus ritos e dogmas, sem nunca experimentar essa mudança interior de vida. Noutras palavras, é possível continuar sendo um defunto espiritual que anda entre aqueles que estão vivos em Cristo - uma espécie de "Walking Dead" espiritual. Uma Igreja pode ser abrigo de muita gente sem Deus, que procura qualquer coisa menos a nova vida que Cristo dá ao homem. Gente que ali frequenta por conveniência e interesse, pelas mais egoístas e mesquinhas razões, não por Deus. Lamentavelmente, essas pessoas que assim estão, um dia terão o mesmo fim que está destinado àqueles que nunca foram regenerados, ou seja, a perdição eterna, o inferno, separados irremediavelmente de Deus para toda a eternidade. Elas verão, com seus olhos, Cristo ressurreto descer do céu juntamente com os seus santos anjos e com seu povo, regenerado por Seu Espírito; e, diante do terror que essa visão causará, gritarão dizendo "Senhor! Senhor! Salva-nos!", infelizmente ouvindo o Senhor responder, em alto e bom som, "nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade." (Mateus 7:22,23)

O tempo de conversão, querido(a) leitor(a), é hoje! É agora! É já, imediatamente! Deus hoje estende a você o convite à salvação: Ele convida você a ser regenerado, convertido e, deste modo, salvo por Cristo Jesus. "Salvo de quê, pastor?", talvez você pergunte. Salvo da ira de Deus, do juízo de Deus que virá sobre o mundo, sobre os perdidos. Somente em Cristo Jesus você pode ser salvo! O que fazer? Pare de se justificar. Para de se considerar muito bom e justo aos seus próprios olhos. Reconheça-se pecador e longe de Deus! Então, permita que Deus gere no seu coração, pelo Seu Espírito, a profunda tristeza por seus pecados. Você pode sentir todo o peso dos seus pecados sobre você? Percebe como seus pecados são horríveis diante de Deus?  Vê quanta crueldade, quanta maldade, quanta malícia e erro há em sua vida? Confesse cada um deles ao Senhor! Confesse-os pelo nome, cada um deles! Agora, querido(a) leitor(a), convido você a olhar para Jesus. Sim, olhe para Ele, inocente, santo, puro, sem pecado, carregando os seus pecados, cada um deles na cruz, diante de Deus. Veja que Ele morreu por você, por seus pecados. E assim, receba a Ele, ressurreto dentre os mortos, como Senhor e Salvador de sua vida. Fale com Ele nessa hora.

Deixe-me propor uma singela oração: Amado Deus, sou pecador e necessito de perdão. Arrependo-me dos meus pecados, pelos quais Cristo morreu e derramou seu precioso sangue por mim. Agora te peço perdão e convido Jesus para entrar em meu coração e minha vida, como meu Senhor e Salvador pessoal.

Se você confiou em Jesus como seu Salvador, começará agora uma maravilhosa vida com Ele. Então:

1. Leia a Bíblia diariamente;
2. Fale com Deus em oração, todos os dias;
3. Seja batizado nas águas, participe do culto e sirva numa igreja, junto com outros irmãos, onde Cristo seja pregado e a Bíblia seja a autoridade final.
4. Fale de Cristo aos outros.


Quero convidar você, agora a conhecer-me e à Igreja que pastoreio, Igreja Batista Ministério Reviver, em Vila da Penha/RJ. Convido você para vir adorar e servir a Deus conosco, aprendendo como viver sua nova vida em Cristo Jesus! Se desejar, entre em contato por este canal, ou pelo e-mail prricardoksf@yahoo.com.br! Deus abençoe sua vida e lembre-se: Deus está te dando visão de águia!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

AS TERRÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DE UM CORAÇÃO DIVIDIDO


1Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó: moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e heteias,  2das nações de que o Senhor dissera aos filhos de Israel: Não ireis para elas, nem elas virão para vós; doutra maneira perverterão o vosso coração para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão, levado pelo amor.  3Tinha ele setecentas mulheres, princesas, e trezentas concubinas; e suas mulheres lhe perverteram o coração.  4Pois sucedeu que, no tempo da velhice de Salomão, suas mulheres lhe perverteram o coração para seguir outros deuses; e e seu coração já não era perfeito para com o Senhor seu Deus, como fora o de Davi, seu pai;  5Salomão seguiu a Astarete, deusa dos sidônios, e a Milcom, abominação dos amonitas.  6Assim fez Salomão o que era mau aos olhos do Senhor, e não perseverou em seguir, como fizera Davi, seu pai.  7Nesse tempo edificou Salomão um alto a Quemós, abominação dos moabitas, sobre e monte que está diante de Jerusalém, e a Moleque, abominação dos amonitas.  8E assim fez para todas as suas mulheres estrangeiras, as quais queimavam incenso e ofereciam sacrifícios a seus deuses.  9Pelo que o Senhor se indignou contra Salomão, porquanto e seu coração se desviara do Senhor Deus de Israel, o qual duas vezes lhe aparecera,  10e lhe ordenara expressamente que não seguisse a outros deuses. Ele, porém, não guardou o que o Senhor lhe ordenara.  11Disse, pois, o Senhor a Salomão: Porquanto houve isto em ti, que não guardaste a meu pacto e os meus estatutos que te ordenei, certamente rasgarei de ti este reino, e o darei a teu servo.  12Contudo não o farei nos teus dias, por amor de Davi, teu pai; da mão de teu filho o rasgarei.  13Todavia não rasgarei o reino todo; mas uma tribo darei a teu filho, por amor de meu servo Davi, e por amor de Jerusalém, que escolhi.  (I Reis 11)

Mensagem pregada no Templo da Igreja Batista Ministério Reviver, no dia 22/02/2015,

Clique nos links e assista! Que Deus abençoe sua vida!


PARTE 1

 https://www.youtube.com/watch?v=Zd360v6Yylg#t=35:



PARTE 2

 http://www.youtube.com/watch?v=QZ1oqt4iANc


PARTE 3 (FINAL)

 https://www.youtube.com/watch?v=kAi2akLgMb8


Deus está te dando visão de águia!