Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sábado, 23 de junho de 2012

PROVADOS POR DEUS!

"Estou passando pela prova", "a prova tá difícil!", etc são algumas expressões outrora comuns no meio evangélico antigo, do século passado, especialmente em voga na década de 80/90, a "golden age" do evangelicalismo brasileiro. Uma época onde o cristão evangélico, de forma geral, buscava ser leal em sua procura pela graça de Deus, a fim de ser fiel à revelação que Deus fez de si mesmo em Cristo e nas Escrituras. Naqueles dias, não havia confusão entre a fé evangélica e uma visão peculiar ou  esotérica da fé cristã. Não era uma inovação recente. A fé evangélica era o cristianismo original, bíblico e apostólico.

O que significa ser provado por Deus? Significa basicamente um crente em Cristo, fiel ao Senhor, vivenciar uma ou mais privações ou situações adversas de intensidade considerável, por um período de tempo determinado pelo Senhor, com o objetivo de evidenciar, na vida do crente, uma ou mais características ligadas a sua fé (perseverança, dependência em Deus, paciência, fidelidade, domínio próprio, etc).

Na Bíblia, em diversos episódios, vemos Deus colocando à prova seus servos. Por exemplo, Deus conduziu o seu povo, Israel, pelo deserto por 40 anos, por uma caminho circular saindo do Egito em direção à Terra Prometida, quando simplesmente podia tê-los guiado numa linha reta. Por que? A própria Bíblia responde: "E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o Senhor teu Deus tem te conduzido durante estes quarenta anos no deserto, a fim de te humilhar e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos." (Dt 8.2) O propósito de Deus era provar o Seu povo, de forma que cada pessoa (e não Deus, que é onisciente, ou seja, tem  todo o conhecimento) visse, na realidade, o estado do interior do seu coração quanto à fidelidade ao Senhor. Eles precisavam ver o seu real estado espiritual, cada um deles,  fim de que pudessem buscar ao Senhor para tratamento de suas mazelas. Afinal, o médico só é procurado quando sabemos que estamos doentes ou que potencialmente podemos ficar doentes. O propósito de Deus era fazer bem a eles! (8.16)

No período de Juízes, vemos mais uma vez colocando Seu povo à prova. Ele fez isso a partir das nações gentílicas, extremamente malignas, que não foram desterradas por Israel conforme o Senhor ordenara. Josué havia deixado que estas nações ficassem naquela terra e essas nações influenciaram negativamente o povo de Deus, os quais passaram a servir aos falsos deuses (baalins e astarotes) daquelas nações, sendo por elas subjugado em escravidão e violência. Eles então clamavam ao Senhor e este, ouvindo o clamor, se compadecia deles e levantava juízes para os livrar. Porém, quando aquele juiz morria, o povo, uma vez livre, voltava a cair novamente no mesmo erro, no mesmo pecado. Juízes 2:19 nos mostra isso com muita clareza: "Mas depois da morte do juiz, reincidiam e se corrompiam mais do que seus pais, andando após outros deuses, servindo-os e adorando-os; não abandonavam nenhuma das suas práticas, nem a sua obstinação". Daí, "se acendeu contra Israel a ira do Senhor, e ele disse: Porquanto esta nação violou o meu pacto, que estabeleci com seus pais, não dando ouvidos à minha voz,  eu não expulsarei mais de diante deles nenhuma das nações que Josué deixou quando morreu;  a fim de que, por elas, ponha a prova Israel, se há de guardar, ou não, o caminho do Senhor, como seus pais o guardaram, para nele andar." (Jz 2.20-22)

É preciso deixar bem claro que provação não é tentação. Deus a ninguém tenta, é o que diz a Bíblia; cada um de nós é tentado por nossas próprias concupiscências, por nossas cobiças interiores. Na prova, as nossa real natureza surge, aflora, ficando evidente o nosso real estado espiritual; nesse processo, fica muito claro quais são as nossas dificuldades interiores, as nossas tentações, as quais devemos orar e resistir para não cairmos em pecado e em condenação. Tiago declara: "Ninguém, sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta.  Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência;  então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." (Tg 1.13-15)

O objetivo final da prova é, invariavelmente, sermos aprovados por Deus - quer naquela prova específica, quer num contexto mais amplo - ainda que nem sempre o crente obtenha a aprovação. Todas as coisas cooperam para o nosso bem, inclusive as provas. Sobre isso, Tiago declara: "Bem-aventurado o homem que suporta a provação; porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam." (Tg 1.12) Provação, aqui do grego "peirasmos", "colocado à prova" (pela experiência do bem, pela experiência do mal, solicitação, disciplina ou provocação, adversidade) é algo que traz bênção, que traz felicidade, para aqueles que obedecem, suportam, perseveram pacientemente a prova. A recompensa da prova, aqui revelada, é tanto presente quanto futura; o homem que se mantém firme é verdadeiramente feliz agora, mas também receberá a coroa da vida.

Se você, querido(a) leitor(a), é um crente fiel, você será posto(a) em prova. Se você deseja mais de Deus, se você quer aumentar a sua fé, ou quer ser mais semelhante ao Senhor Jesus em seu caráter e vida, saiba que há uma prova (ou mais) reservada para você. Deus provará você e, durante a prova, será revelado aos seus olhos com toda clareza as áreas de sua vida que você precisa entregar nas mãos do Senhor, aquelas que você ainda não submeteu ao senhorio do Cristo. A luz gerada pelo fogo da provação iluminará todas as áreas de sua vida, revelando aquilo que até então estava oculto aos seus olhos, aquilo que você sequer considerava como importante. A prova é fácil? Não, não é. Sofrer privação, especialmente num mundo onde a abastança e a passividade são ensinados como ideais para uma vida próspera e feliz, onde o sucesso de alguém é medido por sua estabilidade social e econômica, se revela como algo muitíssimo ruim e doloroso. Não são poucos aqueles que diante da prova cogitam intensamente em "entregar os pontos" e "dar um jeitinho" para resolver a situação; infelizmente, muitos são os que não resistem e assim agem, sendo reprovados por Deus. Na prova, a nossa velha natureza agita-se, buscando a todo custo livrar-se desse estado. Isso é comum. Porém, ceder a estes impulsos, utilizando-se de subterfúgios anticristãos, não é o "padrão de resposta" que Deus espera de cada um de nós.
   
A prova traz consigo abundância de lágrimas; ela deve produzir em nós abundância de orações intensas, de busca incessante de Deus e de renovação e estreitamento da comunhão no Corpo. Fugir da prova é impossível; você só poderá ser aprovado ou reprovado, nunca evitar a prova. Assim, se você está sendo provado(a) por Deus, entregue-se imediatamente nas mãos Dele, em orações e súplicas no Espírito Santo. Essa prova não vai destruir a sua vida, nem arruinar os seus sonhos e projetos. Ela vai aperfeiçoar a sua vida! Isso mesmo: a prova serve para seu treinamento para a Obra de Deus. Ela ensina, na prática, aqueles valores e caráter grandiosos que todos nós devemos possuir, como a humildade. Somente debaixo da potente mão de Deus é que vemos a nossa pequenez, a nossa fragilidade e a inutilidade e loucura da soberba e do orgulho. São nesses momentos que aprendemos, na prática, que aquele que se orgulha é falto de entendimento, de juízo.  Do mesmo modo, aprendemos que a Igreja tem um papel primordial em nossa vida cristã, pois é nela que recebemos o consolo do Espírito a partir da comunhão com nossos irmãos; é nela que somos fortalecidos pelas
orações e pela Palavra de Deus, é nela que tudo o que outrora parecia estranho passa a fazer sentido diante dos nossos olhos.

Amado(a), se você está passando pela prova, não resista a Deus. Saiba que essa prova tem duração definida e que ao final dela o Senhor trará a Sua bênção sobre sua vida. Se, porém, você foi provado e fracassou, volte para o Senhor, quebrantado e contrito; volte para a Casa de Deus, para a comunhão da Igreja. Permita-se novamente ser exortado e edificado por Deus a partir daqueles que Deus instituiu verdadeiramente na Sua Casa para este mister. Você foi reprovado, mas não foi rejeitado, assim como Israel muitas vezes foi reprovado por Deus, mas jamais e em momento algum foi ou será rejeitado pelo Senhor. O Senhor ama Seu povo Israel e eu e você, crentes gentílicos, somos parte do Israel de Deus. Venha, com mágoas e feridas, venha com frustrações e desapontamentos, mas venha! Não importa se você se considera um galho seco, pois o Senhor pode fazer você florescer novamente!

Ofereço para você a mensagem musical abaixo:




Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

3 comentários:

  1. Mensagem vinda de Deus! As provas e as tentações são parte da vida cristã, cada uma tem sua origem e intenção. São difíceis, mas necessárias. Por vezes trazem sofrimentos, tomadas de decisões e dilemas. A tentação quer nos destruir, já a provação nos aprovar e proporcionar maturidade e experiência com Deus.
    E quantas provações e tentações somos submetidos todos os dias...

    Ótima postagem pastor Ricardo.
    Obrigado pela ministração da parte de Deus.
    Deus continue lhe abençoando.
    Em Cristo,
    Pr. Magdiel G Anselmo.

    ResponderExcluir
  2. As provas servem para nos mostrar se estamos progredindo ou se paramos de crescer.Servem também para nos mostrar como podemos estar enganados a nosso respeito.Muitas vezes,pensamos que estamos bem,caminhando sem tropeçar,mas na verdade,pegamos um desvio faz tempo(e não nos damos conta do fato).Por meio delas suplicamos a Deus,que nos ajude a vencer nosso eu,os gigantes da nossa carne,que vem tentar nos fazer cair.Também nos levam para mais perto Dele,pois conhecendo nossas fraquezas,vemos o quanto carecemos da Sua Graça.

    ResponderExcluir
  3. Uma bênção a mensagem. Não é fácil passar por tribulações mas sabemos que somos aperfeiçoados no processo. Um abraço

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.