Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

segunda-feira, 9 de maio de 2011

AH MENINOS, QUANDO VOCÊS VÃO FINALMENTE CRESCER?

"Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente." (Ef 4.14)

Um dos propósitos dos ministérios de ascenção (apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres), conhecidos como "Cinco Ministérios de Efésios", é o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo. Estes ministérios são dados pelo Senhor "até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo" (vv. 13). Eles são manifestações da graça que foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo (vv. 7).

Conforme o apóstolo, os dons variam, mas o propósito final é sempre a unidade da Igreja. Nenhum dom verdadeiro, dado pelo Senhor, pode se constituir em empecilho ou mesmo em adversário da unidade do Corpo de Cristo, daí Paulo afirma os "7 um só": "Um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós" (vv. 4-6). Os dons de ascensão - ou dons ministeriais - foram dados, deste modo, como elementos preservadores da unidade. Assim, por exemplo, todo verdadeiro apóstolo milita para preservação da unidade; do mesmo modo age todo verdadeiro pastor, todo verdadeiro profeta, todo verdadeiro mestre e todo verdadeiro evangelista. Nenhum deles objetiva construir algo pessoal, mas sim edificar a Igreja em torno da sêtupla unidade. Quem não discerne a unidade da Igreja e não a persevera é chamado pelo apóstolo de "menino", "inconstante"

A meninice tem tomado conta da igreja, apesar da multiplicação de apóstolos. A conclusão óbvia é que estes apóstolos que aí estão não são "homens-dons", ou seja, não foram dados por Cristo à Igreja. Assim, ou são "homens que com astúcia enganam fraudulosamente" ou são "meninos inconstantes", seguidores de homens fraudulentos. Na verdade, é possível encontrar os dois tipos, as duas classes de pessoas - aqueles que enganam, e aqueles que são enganados e tornam-se transmissores ("vetores", uma espécie de Aedes aegypti da fé) do mesmo engano.

O texto de Efésios 4:14 no grego é revelador. Os crentes-meninos (gr. nēpioi, "imaturos") são jogados aqui e ali pela fúria das ondas do mar (gr. kludōnizomenoi), rodando como um pião, tontos (gr. peripheromenoi), pela artimanha (gr. kubeia, "golpe de mão ao jogar dados", "trapacear" - termo que designa os jogadores de dados que usam truques fraudulentos e artes de ilusionismo, engano, malandragem) dos homens que com astúcia (gr. panourgia, "faz qualquer coisa, no mau sentido: inescrupuloso, sem critério") enganam (gr. planēs, "errante", "afastam do caminho correto") fraudulosamente (gr. methodeian. Dá origm a palavra "método", significando "à espreita", "astúcias, planos, esquemas"). Os meninos parecem nunca chegar a convicções firmes. Pelo contrário, suas opiniões são as do pregador famoso que ouviram ou do último livro que leram, e caem facilmente como presa de cada novo modismo religioso.

Apesar de muita informação, há uma proliferação assustadora da ignorância bíblica e teológica no meio religioso hodierno. Conhece-se cada vez menos a Bíblia, vive-se cada vez menos a Palavra de Deus. A Bíblia, para muitos, não passa de um livro de sortilégios, ou de artes mágico-espirituais, cujo propósito tal como entendido pelos membros de igreja seria meramente servir de "exemplos de fé" e "garantia sobrenatural de resultados no mundo físico". Baseando-se em interpretações distorcidas dos textos bíblicos e "convenientes achismos" pessoais, os atuais apóstolos e mestres criaram toda uma "verdade mitológica" das Escrituras, de fazer inveja aos textos mitológicos gregos e romanos. Textos como "os Doze Trabalhos de Hércules" viraram fichinha perto do que os homens inventaram! Assim, afirmam que "a Bíblia diz", quando nunca foi intenção do autor dizer aquilo; fazem grandes asseverações sobre coisas espirituais, sem ter nenhuma base bíblica.

Veja por exemplo o vídeo abaixo:


 

Pergunta-se: onde está escrito, na Bíblia - um pequeno exemplo, que seja - que anjos massageiam às costas dos crentes? Anjos massagistas e, pior, específicos da família Valadão?!? E a irmã ainda tem a coragem de dizer que "viu" isso?!? Outra coisa: perseguição "por causa do Evangelho" é, como o nome diz, devido ao Evangelho, ou seja, por causa da pregação do Evangelho que contraria os interesses das trevas - não os fomenta com ensino herético, por favor! Paulo, o apóstolo, foi inúmeras vezes criticado e não apelou para "anjo massagista de crente dodói"; antes, defendeu seu apostolado! Note o que ele diz em II Coríntios 6:

3 Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado;
4 Antes, como ministros de Deus, tornando-nos recomendáveis em tudo; na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias,
5 Nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns,
6 Na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido,
7 Na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda,
8 Por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama; como enganadores, e sendo verdadeiros;
9 Como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos;
10 Como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo.


Em lugar algum encontra-se esse tipo de coisa, essa angelomania apócrifa que tem grassado as igrejas evangélicas. Sobre os anjos, a Bíblia diz apenas que são "espíritos ministradores", "enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação" (Hb 1.14). O serviço (ministração) angelical prestado aos crentes envolve inúmeras coisas, tais como proteção, revelação da Palavra e/ou de acontecimentos, etc., mas nunca infantilidades como "massagistas do ego ferido dos pastores meninos".  São essas coisas que prejudicam a igreja e o Reino de Deus. São essas coisas que acabam gerando escândalo, deboches e levando ao descrédito todo um grupo de pessoas, que procuram viver a sua fé de modo bíblico, e que jamais foram consultados ou puderam se pronunciar contra essa sandice gospel.

Pior: como a fonte desse ensino é de um midiático, famoso, a tendência é que daqui a pouco vários crentes estejam falando a mesma coisa. Afinal, o "jardim de infância" do ponto de vista bíblico é uma realidade. Hoje, as pessoas preferem "dar ouvidos" e replicarem estes ensinos do que pararem para verificar se há conteúdo bíblico e lógica no que se está sendo proferido como "verdade". Não demora muito vão fazer "seminários proféticos" sobre o ministério dos anjos, segundo os pastores-apóstolos-cantores dos últimos dias, que venderão muitos livros acerca da "última revelação". Então se levantarão muitos e corroborarão a maluquice com uma profetada, ou com uma "visão", ou sonho. E uma multidão de "nēpioi" afluirão a estes seminários, sendo jogados de um lado para o outro pela fúria das ondas do falso ensino, ficando mais tontos do que já são.

Ah, sim: nestes seminários também serão vendidos os CDs com as pregações e músicas ali cantadas, por módicos R$ 50. Para variar, as letras das músicas são as piores possíveis, com refrões cheios de vogais (elas mostram sua espiritualidade e encobrem sua capacidade de criar refrões inteligentes."Ouaieoua" é algo que vai fazer todos sentirem o maior êxtase espiritual), enfocando ou rio/chuva ou fogo ou uma combinação destes (afinal, fogo e rio/chuva são "pentecostais": se você pedir chuva de fogo, você será ungido com a unção da face de leão marinho do norte, e rio de fogo com a unção do peixe boi sagrado).

Parece brincadeira, mas infelizmente não é. Como o ensino bíblico é precário, as músicas são sofríveis. Multiplicam-se ministérios esquizofrênicos, ensinando as formas mais patológicas de adoração possível, como "rolar no chão" e emitir sons ininteligíveis, dissimulados como se fossem o "poder de Deus". Alguns chegam às raias de imitar animais ("unção de animais"), como leão, galinha, cachorro, etc.    

Enquanto isso, na Sala da Just...ops..., quer dizer, a Sala de Aula dos Seminários e Escolas Teológicas estão cada vez mais vazias. Quem, hoje, se interessa em estudar a Palavra? Para quê, se qualquer um, despreparado e sem chamada nenhuma alcança o pastorado? Como diz meu pastor: o médico precisa estudar medicina por 06 anos para ser médico (fora a residência), o engenheiro tem que estudar cálculo, física e outras, num currículo de 05 anos, para ser engenheiro (fora o estágio); já para ser pastor/bispo/apóstolo basta ter "uma visão especial", inventar curas/milagres/maravilhas e juntar um grupo de pessoas para segui-lo... E assim novamente o "pião" girará até ficar tonto!

Veja: há grupos que inisistem em "demarcar territórios" ("conquistar territórios"), "com vinho, pão e azeite" (sic). Onde, meu Deus, está escrito na Bíblia que estes elementos servem para este tipo de coisa?!? O mesmo se aplica ao "costume" de se realizarem "atos proféticos" - aliás, alguns "apóstolos" ensinam que a Ceia do Senhor, o Batismo, a unção com óleo e os dízimos são atos proféticos. Um “ato profético” seria um ritual em que se busca através de símbolos e ações, que supostamente teriam repercussão no “mundo espiritual”, alcançar determinado fim. Há uma confusão enorme entre o símbolo tipológico e aquilo que ele representa. Assim, os "apóstolos modernos" levam cavalo para dentro dos templos religiosos, dão tiro com arma de fogo em pleno culto ("para matar o diabo", sic), tomam banho de lama para ilustrar a situação do pecador e por aí vai... Isso jamais foi e jamais será "uma só fé"!

Fato número 1: esse tipo de ensino/prática não serve para nada, a não ser transformar os crentes em bitolados e iletrados. Nenhuma melhoria espiritual jamais foi registrada nos locais onde estes "atos proféticos" foram realizados - todos os dêmonios e principados amarrados pelas "ministrações proféticas" pelo Brasil afora estão cada vez mais soltos e toda choradeira produzida pelas músicas atuais, hit parades no cenário gospel, só tem efeito emocional - nada é acrescentado, do ponto de vista da santificação e fortalecimento espiritual. 

Fato número 2: Os crentes imaturos, consumidores ávidos dos "kits gospel de fé" (CD, DVD, livros, vidro de óleo da unção de Israel, etc), são incentivados e ensinados a andarem atrás de seminários que ensinam uma fé "faça você mesmo" ("Dicas, Truques & Quebra-galhos" da fé). Isso aumenta as vendas do setor, enriquece os pastores-apóstolos-empresários e contribui para a manutenção do status quo. Quando se deparam, contudo, com um problema que não cede com os paliativos adquiridos, estes crentes acabam experimentando profundas angústias e depressões. Alguns abandonam a fé, por não entenderem como podem ter fracassado mesmo após tantos cursos, seminários e treinamentos, proferidos pelos "paipóstolos de última geração".

Fato número 3: Os genuínos pastores e mestres da Palavra de Deus estão cada vez mais fadados ao ostracismo. A Escola Bíblica Dominical é uma instituição falida e os Seminários Teológicos estão à caminho da falência. Resistem apenas àqueles que oferecem "cursos de nível superior", como se o propósito de se estudar a Bíblia e a Teologia fosse a formação de teólogos para o mercado de trabalho. Nestes, ainda por cima misturam-se uma enorme quantidade de disciplinas que nada tem a ver com a real necessidade de formação ministerial (nem poderia, afinal de contas...). Pensadores como Martin-Lloyds Jones, Spurgeon, C. H. Mackintosh, John R. W. Stott - isso sem falar em Blaise Pascal, Robert Boyle, Michael Faraday e Isaac Newton - são raríssimos, na atualidade, no meio daqueles que deveriam ser o povo mais culto e mais inteligente da face da terra.
 
Urge, deste modo, o resgate da importância da Bíblia e do seu ensino no meio do grupo de crentes gospel modernos. Pelo abandono da Palavra de Deus, cada vez mais os crentes tornam-se e mantêm-se meninos na fé, fracos e falidos espiritualmente a despeito de todas as mandingas, correntes, campanhas, quermesses, atos proféticos, anjos massagistas, músicas erótico-evangélicas e outras manifestações pseudocristãs. Foi produzida uma religião que nada tem a ver com o Cristianismo, ainda que ostente este nome, com falsas igrejas de falsos pastores e falsos apóstolos. A solução é o retorno à Palavra; só ela, a Espada do Espírito, usada pelo Espírito e no Espírito, pode gerar o arrependimento e a transformação das mentes dos crentes, tão necessárias em nossos dias. Urge, ainda, que haja a restauração dos 05 Ministérios de Efésios - dom e não título - de forma a restaurar a unidade da Igreja, do Corpo de Cristo: unidade com diversidade, mais ainda assim unidade; levando os crentes-meninos a amadurecerem na fé!     

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

5 comentários:

  1. Sem comentários para isso pastor! Me parece uma ignorância gerada pela falta de temor. Creio que o Espírito Santo está passando longe desses lugares, já que Ele guia o homem à toda verdade segundo a Bíblia. Lamentável.

    Rodrigo Aguilar.

    ResponderExcluir
  2. Sábias palavras pastor... Que Deus reavive Sua obra e levante homens dons. Nunca foi tão necessário mergulhar no Espírito para escutar e ensinar sobre Deus. Sábias palavras pastor...
    Deus nos dê visão de águia!
    Rodrigo Aguilar.

    ResponderExcluir
  3. Oi meu pastor! Graça e paz!
    Realmente, esses atos proféticos não tem servido para nada, a não ser deixar as pessoas que participam do mesmo, cada vez mais loucas e com tantas invencionices e quando muitas também ficam frustradas, pois tudo é muito belo nesses cultos, mas a hora do vamos ver, é só no dia a dia, pois quando passa todas as "unções" recebidas, o que resta?
    Fico meio enjoada e cansada com essas coisas. É tudo muito bonito na hora, mas não conseguimos viver de cultos bonitos e todos esquematizados, mas sim de algo que venha gerar mudança em nossos corações. É muito fácil fazer tudo isso, e dizer que se algo não funcionar, a culpa é dos crentes que não tem fé. Se a palavra de Deus está sendo misturada com invenções humanas, é impossível gerar fé nos corações. Se a fé vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus, ela tem que vir pura, somente ela sem acrescentar uma vírgula.
    Fico a pensar para que serve a unção disso e daquilo? Será que é para demonstrar algum “poder”? São Tantas coisas estranhas, tanta falta de temor, tantas coisas complicadas. A simplicidade se foi.
    E outra coisa que vejo é que as pessoas as vezes tem sido só ouvintes e não praticantes da palavra. Sedentas de ouvir algo que resolva seus problemas na hora e não tem a paciência de esperar dia após dia Deus curar, libertar, instruir, dar sabedoria, etc...
    Espero em Deus que isso tudo acabe, que a simplicidade volte e que a igreja desperte para o que realmente Deus quer de cada um de nós aqui na terra.

    Abraço!

    Ir. Luciana

    ResponderExcluir
  4. Enquanto isso essas igrejas estão lotadas,os pastores-artistas enriquecendo,fazendo os seus shows e o nome de Cristo sendo blasfemado.Algumas perguntas que não querem calar:isso tem edificado a quem?Aonde se pretende chegar com esse tipo de coisa?Será que Paulo ao ser maltratado,espancado,
    caluniado contou com tais anjos?Será que ele que foi levado ao terceiro céu,se fosse hoje,endossaria tais palavras?esses tais devem ter um plano de saúde espiritual...

    ResponderExcluir
  5. Cabe aqui algumas perguntas:O apóstolo Paulo,que foi levado ao terceiro céu,que foi maltratado,chi
    coteado e submetido a tantos outros sofrimentos,
    também teve ao seu lado um anjo a massagear-lhe as costas?E quanto aos irmãos,que estão em países de perseguição intensa,também usufruem desse benefício?Sem falar nos heróis da fé,citados em Hebreus 11.E os mártires que morreram queimados nas fogueiras da Inquisição,será que tiveram esse mesmo privilégio?A hora é avançada e urge por fim a tanta meninice!Jesus vem e quer espera encontrar
    uma noiva madura,adulta e não criança e adúltera.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.