Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

CRENTES HIPÓCRITAS? GATO RUIVO DO QUE USA DISSO CUIDA!



Igreja: algo que os profetas no Antigo Testamento não viram, mas que Deus planejou, no Seu Eterno Propósito, estabelecer sobre a face da Terra. Do grego ekklesia, ek-kaleo, "chamados para fora", é conhecida na Bíblia por vários adjetivos, que expressam o seu caráter e propósito: Noiva de Cristo, Coluna e Baluarte da Verdade, Assembléia dos Santos, Primícias, Casa de Deus, Casa de Oração, Porta dos Céus, Igreja de Deus, etc. Pelos adjetivos bíblicos, cujo registro foi inspirado pelo Espírito Santo de forma Plenária e Verbal, é fácil perceber como Deus vê a Sua Igreja.

Hoje, infelizmente, com o advento de movimentos religiosos descaracterizadores como o neopentecostalismo, com seus ensinos hedonistas, feiticistas e até mesmo animistas e panteístas, ficou muito difícil reconhecer o que é Igreja e o que não é Igreja. Infelizmente, numa sociedade cada vez mais tendenciosa e afastada de Deus por seu pecado, onde a desonestidade e a violência grassam casas, famílias e até mesmo instituições anteriormente tidas como referenciais, a lógica prevalecente é a do "balaio de gatos": se você é um gato, ou pelo menos intitula-se desse modo, estará inevitavelmente no mesmo balaio que os demais. Noutras palavras, se um grupo ostenta o nome de Igreja, fala de Jesus e lê a Bíblia (não importando como ou de que maneira) então esse grupo é "reconhecido" como Igreja.

Há muito tempo venho me deparando como argumentos desse tipo, minimalistas e geralmente feitos por pessoas que não querem nada com Deus. Sim, porque se quisessem, se tivessem o mínimo de seriedade e honestidade consigo mesmas, procurariam analisar as coisas antes de fazer julgamentos desprovidos de base factual. "Mas o apóstolo fulano é ladrão, então vocês não são diferentes"; "A igreja XPTO é picareta, a sua também é"; "fulano e beltrano, que são crentes, não valem nada"; e coisas do tipo. Ora, minha resposta - isso quando tenho vontade de responder, porque esses comentários não valem sequer um bilionésimo de bilionésimo de nanômetro de vibração das cordas vocais ou um nanovolt de eletricidade cerebral - oscila entre o "óbvio ululante" e o "inverso do Número de Avogadro de sabedoria". É o dilema de Provérbios: responder o tolo de acordo com sua estultícia ou não?

Há, por outro lado, aqueles que desejam aparecer como "eruditos", metidos a espertos, que insistem em criticar a fé e a Bíblia, sem nunca sequer ter lido-a ou estudado-a com seriedade. "A Bíblia é um livro escrito por homens"; "dãaa", sim, é lógico: foi escrita por 40 homens por cerca de 16 séculos. Ela não é a Palavra de Deus porque foi escrita por Deus, mas sim porque o Espírito Santo inspirou e guardou os escritores bíblicos no registro dos fatos, de forma que eles registraram apenas aquilo que pareceu bem a Deus que assim fosse feito. Ela é a revelação de Deus aos homens, não sobre ciência, literatura ou filosofia, mas revelação sobre Deus, sobre o pecado, sobre o diabo, sobre o juízo eterno, etc., enfim, sobre coisas espirituais.

Mas não escrevo para tratar desse tema - a evidência que merece um veredito - a despeito de sua importância. Não. Escrevo para tratar de outro tema, muito comum atualmente. Trata-se da prática de alguns, que estando fora da Igreja, insistem em acusar aqueles que estão dentro de hipócritas e fingidos, nivelando todo mundo por baixo. Lógico que quem gosta de nivelar outros por baixo é porque precisa urgentemente se ver por cima. Assim, por exemplo, há muitos que amam viver numa vida de pecado e que não querem nem saber de abandoná-lo - "meu precioso", diria o Golam de "Senhor dos Anéis" - e acusam os crentes de serem hipócritas porque estes não compactuam nem aprovam a vida que levam. Sobre isso, Jesus disse: "Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia." (Jo 15.19)

Há outros, contudo, que buscam viver segundo a sua própria regra, nunca se submetendo a Vontade de Deus para suas vidas. Pessoas que um dia estiveram na Igreja, mas que a abandonaram num determinado momento de suas vidas. Quando você vai ver os "tipos", acaba descobrindo que são pessoas extremamente problemáticas.  Geralmente são pessoas que não conseguem se relacionar com ninguém, nem no mundo. No trabalho, brigam com os colegas; quando na Igreja, brigam com os crentes. Na família, arrumam confusão por nada, desrespeitando pais e mães, sogras e sogros, cunhados e cunhadas; separam filhos de seus pais, destruidores de famílias (e que tem a audácia de dizerem que possuem "ministério de família"). Gente fantasiosa, com mania de perseguição: tudo e todos estão sempre contra eles! Gente que quer impor-se sobre os outros, que quer sobressair a todo custo. Autoritários! Rebeldes e insubmissos! Pessoas doentes de alma. Nunca se vêem como errados mesmo diante dos seus erros crassos, mas rapidamente levantam o dedo para acusarem quem quer que seja que não "reze" segundo a mesma cartilha. Gente que se levanta contra a Igreja. Gente de língua inflamada pelo inferno, como diz Tiago em sua epístola.

Claro, nem todos os desviados (aqueles que abandonam a Igreja) se enquadram neste grupo. Existe gente séria, que saiu da Igreja porque alguém errou com eles. Ou cairam espiritualmente - pecaram - e não encontram misericórdia quando precisaram; ou foram alvo de fofocas destruidoras; ou de cobranças descabidas. Não é desse grupo de irmãos que estou me referindo nessa postagem, que isso fique claro. Essas pessoas são sérias em sua fé, são pessoas de caráter, que infelizmente sofreram um ataque satânico onde não podiam tê-lo sofrido. Talvez, por desconhecimento, se filiaram a uma igreja que nunca foi Igreja, ou quem sabe se depararam com gente não-séria (que está na Igreja por estar, só para a intensificar a própria condenação) numa Igreja séria.

Ora, ainda que numa Igreja verdadeira possa haver vários grupos de pessoas, quem quer viver a fé verdadeiramente, pessoa genuinamenta convertida, e quem quer viver no "oba-oba" e "vamos que vamos" (e eu já vi vários assim, que estão na Igreja atrás de namoro, quer jovens, quer velhos; ou atrás de uma bênção; ou porque tem amigos e/ou parentes lá; ou porque julgam tratar-se de um programa dominical melhor que a TV; ou para se dar financeiramente; ou ainda por muitas outras razões), é um erro grave classificar a Igreja como hipócrita. Tem gente séria que, ao contrário do que dizem as línguas inflamadas pelo inferno, buscam viver vidas santas. E quanto a esses convertidos, são Perfeitos? Sim, mas de forma relativa, isto é, perfeitos à medida que estão em busca da perfeição. Perfeitos à medida que são aperfeiçoados por Deus, da mesma forma que santos quando salvos (ato) e a medida que se santificam (processo). Isso não exclui erros. Ninguém, nenhum ser humano, enquanto estiver na face dessa Terra, estará imune ao erro. Por isso mesmo a Igreja existe. Igreja é o lugar de gente que erra, mas que reconhece seu erro e não se conforma com ele, buscando ao Único que é capaz de perdoar os erros (= pecados) e purificar de toda a injustiça.

Do mesmo modo, NENHUMA Igreja será plenamente perfeita, isto é sem erros, enquanto estiver nesta Terra. Igreja perfeita só se nenhum homem entrasse nela, apenas anjos; se entrar um homem sequer - quem quer que seja - a perfeição acabou. Mas Deus não planejou Igreja para anjos, mas para homens. Do mesmo modo, Cristo não deu Seus dons a anjos, mas sim a homens, dando uns para "apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres" (Ef 4.11). Assim, o dom é sempre maior do que aquele que o recebe; o dom é perfeito, quem recebe o dom não o é. Ainda assim Cristo escolheu dar Seus dons perfeitos a homens imperfeitos. Do mesmo modo, homens imperfeitos pregam a mensagem perfeita do Deus Perfeito. Imperfeições são sempre do homem, nunca de Deus. Mesmo assim, mesmo diante das falhas do Seu povo, daqueles que são genuinamente povo de Deus, Deus na Bíblia chama essa igreja de "Sua Igreja", de "Igreja do Deus Vivo"! Paulo, escrevendo aos crentes da Igreja de Corinto (uma das mais complicadas do Novo Testamento), diz: "à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso" (I Co 1.2).

Hipócrita? Hipócrita, parodiando Tom Hanks no filme "Forrest Gump", é quem vive na hipocrisia. Quem tem telhado de vidro não deveria lançar pedras no telhado do vizinho,  já dizia a velha sabedoria popular. Hipócrita é quem se acha muito bom, melhor do que os outros, que vive uma vida de máscaras escondendo por detrás de suas acusações levianas e de sua vida "meia-boca" a sua real natureza. Aliás, é bom lembrar que não precisa estar numa Igreja para ser hipócrita, ainda que uma vez dentro dela a hipocrisia se manifeste. É possível - e muito fácil até - ser hipócrita sem estar numa Igreja. O que é a atitude de auto-justificativa perante o ardor da alma gerado pelo corte profundo da Espada do Espírito senão uma hipocrisia? O que é esse conceito utilitarista de família, que visa apenas se dar bem às custas de um(a) pobre miserável (o famoso "golpe do baú"), senão uma hipocrisia? O que é o "dissimular com os seus lábios; mas no seu interior entesourar o engano" (Pv 26.24), senão hipocrisia? Gato ruivo do que usa disso cuida, já dizia minha mãe!

Esse texto de Provérbios é bem oportuno! "Quando te suplicar com voz suave, não o creias; porque sete abominações há no teu coração. Ainda que o seu ódio se encubra com dissimulação, na congregação será revelada a sua malícia." (Pv 26.25,26) Onde é revelada a malícia, a hipocrisia, segundo Provérbios? Na C-O-N-G-R-E-G-A-Ç-Ã-O! Deste modo, ao contrário do que a língua falsa acusa, é na Igreja que a hipocrisia é revelada! Por isso essas pessoas odeiam tanto a Igreja: porque ela denuncia, com palavras e atitudes, as suas atitudes pecaminosas, os seus pecados mais interiores, escondidos! Dissimulam de cá, dissimulam de lá; mas basta estarem na congregação para que a malícia de propósito e de atitude seja revelada pelo Espírito de Deus! É na Casa de Deus onde as máscaras caem! É no Templo do Senhor onde o Castiçal brilha com suas Sete Lâmpadas que a hipocrisia - trevas, na prática - são manifestas pela luz da Palavra!

Eu categoricamente afirmo: é infinitamente melhor estar numa Igreja séria, que ama a Palavra de Deus e que busca seguir a paz com todos e a santificação, do que estar no mundo. Erros? Ti-ti-tis? Isso sempre haverá, infelizmente. Onde pessoas se reúnem e convivem, sempre haverá problemas. Na Igreja tem gente complicada? Isso é um pleonasmo vicioso. Mas ainda é o melhor lugar para o homem estar. É claro que esse "estar" deve ser seguido do "ser" ou não haverá benefício real e duradouro. Estar/Freqüentar na/a Igreja não é ser crente, mas aquele que é crente, convertido ao Senhor, busca estar na Igreja. Portanto, deixe a hipocrisia - aquela que você acusa tão firmemente nos outros - e procure primeiramente a Deus, acerte Sua vida com Ele. Permita que Ele exponha e esprema o carnegão do seu pecado; então arrependa-se e entregue Sua vida ao Senhor. Depois, procure uma Igreja séria e filie-se a ela. Então, seja mais um: mais um que não se conforma com a vida e com natureza interior, mas que baseado na Palavra de Deus busca a santificação, aguardando que o Senhor cumpra a Sua promessa: a transformação do corruptível no incorruptível, no mortal em imortal, no imperfeito em perfeito!

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

4 comentários:

  1. Brilhante postagem, como é de seu costume. Com rara exatidão revelou a hipocrisia reinante nos que por sua incapacidade de lidar com os dilemas da vida decidem acusar outros daquilo que eles mesmos padecem. Deus o abençoe querido pastor Ricardo.

    ResponderExcluir
  2. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu humilde blog, Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes julgamos outros sem conhecer seus reais motivos.Muitos fazem o papel do acusador,como se ele precisasse de ajuda...Aqueles que atiram pedras ,se esquecem de examinar suas próprias vidas.Alguns são duros com a falha dos outros e flexíveis demais para consigo próprio.Esquecem-se que somente Deus tem a capacidade de julgar,pois só Ele conhece o interior,os porquês.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.