Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

HOROSCOPIZADORES PROFÉTICOS

Durante minha vida cristã, tenho me deparado com um tipo de "profecia" muito comum no meio evangélico pentecostal: a profecia "horóscopo". O termo "horóscopo" pode ser definido, segundo o Dicionário Aurélio, como "predição, por mera conjetura, acerca de uma pessoa ou coisa". Ou seja, é um juízo ou opinião, acerca da vida de alguém, referindo-se em geral ao tempo presente ou futuro, sem fundamento preciso; suposição, hipótese - coloquialmente, "um chute". Não um chute qualquer, por certo; mas um chute óbvio.

Para exemplificar minha constatação, vejamos o que diz o horóscopo de hoje (26/02/2010; http://extra.globo.com/horoscopo/): "Você perceberá que ficar estagnado nas relações afetivas não é o desejável. Procure conviver com pessoas diferentes". Observe que o "prognóstico" é de uma imensa obviedade, senão vejamos: quantas pessoas, num país com aprox. 193 milhões de habitantes, não percebem que ficar estagnado nas relações afetivas é algo ruim? Aliás, o que deve ser entendido como "estagnado" - pelo contexto, parece que trata-se de estabilidade. Estabilidade em relacionamentos é algo ruim???? Isso sem mencionar a outra parte da "revelação dos astros": Quantos, em 193 milhões de habitantes, não procuram conviver, ou já não convivem, com pessoas diferentes? Aliás, podem duas pessoas serem iguais? Nem se forem gêmeos univitelinos... No mínimo, o prognóstico não passa de um punhado de obviedades, de construção obscura, de modo a facilitar toda sorte de interpretação possível.

Agora, veja um tipo clássico de "profecia", muito comum em grupos pentecostais: "hummm, meu servo... eis que falo contigo, hummm... [rita-la-na-sala]... você tem clamado pela tua bênção... eis que te digo, [chuta-la-na-lata]: você tem sofrido lutas e perseguições lá no seu trabalho, mas eu te falo nessa hora, a vitória é tua! Receba a tua vitória, [decanta-na-bacia]...em nome de Gizuz!" Observe que estão presentes os mesmos elementos que balizam a construção do horóscopo: obviedades e obscurantismo.

Veja: qual é o crente que nunca pediu a Deus uma bênção - principalmente no mundo de hoje, onde os crentes correm atrás do seu "saquinho" de bênçãos como crianças em dia de "cosme e damião"? E qual é o crente que se preza que não sofre uma perseguição, por menor que seja - algumas vezes, dentro da própria Igreja? Obviedades! Fora isso, estão presentes os grunhidos e pretensas "línguas estranhas", para validar espiritualmente a horoscopização profética! E assim são muitas outras semelhantes, com pouquíssimas variantes.

Sou pentecostal, creio no batismo com Espírito Santo e nos dons espirituais; e como tal já devo ter escutado algumas dezenas de profecias-horóscopo. Das mais ilógicas e incoerentes, capazes de fazer as sombrancelhas do sr. Spock (Star Trek) levantarem, até as mais óbvias construções possíveis. Não porque fui atrás desse tipo de coisa, mas porque é quase inevitável que elas venham até você.

No fundo, não acho que estas pessoas estavam mal intencionadas. É possível que algumas tenham pensado em me agradar para auferirem vantagens especiais e assim "chutaram o óbvio" ; outras, por conhecerem meus combates pessoais, o fizeram no afã de servir de consolo, por simples gesto de amor e carinho. Não houve nenhuma "horoscopização", até hoje, com objetivo maligno, destrutivo. Graças a Deus!

Porém, raríssimas vezes pude constatar que era algo realmente da parte Deus. E isso sem o auxílio de irmãos que tentam, a todo custo, harmonizar a dita profecia com a vida dos ouvintes, por meio de mais obviedades. São intérpretes bem-intencionados, "decodificadores do sobrenatural"; não desistem até que o ouvinte "confirme a mensagem".

É preciso entender que Deus, ao falar com o homem por meio do dom espiritual, sempre o faz de modo claro, de forma que não fique a menor sombra de dúvida quanto ao seu conteúdo. A dúvida anularia o propósito da mensagem. O que adianta uma mensagem enigmática: "você está vivendo isso porque um grilo amarelo pousou na grama verde que estava seca e, com isso, a água ficou marrom"? Deus não é buda! Nele não há nada de coisas obscuras, ou ininteligíveis; mas total clareza. Ele é o Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação (Tg 1.17). A mensagem que dele ouvimos é que Deus é luz, e não há nele trevas nenhuma (I Jo 1.5). Deus é direto! Jesus é direto! O Espírito Santo é direto!

Além disso, Deus usar o dom espiritual para falar obviedades, como querem crer alguns, é no mínimo atribuir a Deus o fato Dele considerar Seus filhos - que tem a mente de Cristo - como os mais completos idiotas. Ao ler a Bíblia, é facílimo constatar que Deus jamais se dirigiu ao homem para falar o que era óbvio para Seus ouvintes. Ele mesmo diz: Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes (Jr 33.3). Meu Deus não é óbvio, previsível. Isso é próprio de ídolos. Para o óbvio, temos inteligência!  Não é necessário ensinar que "b" com "a" faz "ba" aos leitores deste post, pois já foram alfabetizados.

Se é necessário falar algo da parte de Deus com alguém, faça-se de forma direta: "Fulano, eu sei que você está vivendo isso-e-aquilo. A Bíblia diz que o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Confie no Senhor. Ele é o teu socorro, Aquele que te ajuda. Não desista, mas sê forte e corajoso, em nome de Jesus!" Nada de teatralizações espirituais! Nada de Circ du Soleil! Seja claro como o cristal!

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

5 comentários:

  1. Bastante interessante seu argumento pastor. É bem complicado realmente lidar com este tipo de situação mesmo. Tanto para quem usa o dom quanto para aquele que está sendo ministrado... Como o senhor disse existe muito isso no meio evangélico. Essas mensagens televisivas funcionam bem parecidas com estas profecias. Óbvias e teatrais. Não se vê mais palavras proféticas. Revelações profundas da palavra de Deus ta zero hoje... só profetadas mesmo. Fica na paz...

    ResponderExcluir
  2. Tudo isso é reflexo dessa religiosidade que tomou conta da igreja.Como tb da liberdade que alguns dão a esses "profetas".Muitos
    querem o pãp bolorento e não o pão fresquinho vindo direto do coração de
    Deus para a Sua igreja na boca do seu
    ungido.Porque assim é necessário examinarem a si mesmos .A Paz.Pra

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante esse texto pastor, realmente temos que rever todo esse tipo de profecia e profetas.Não ficar omissos a esse tipo de assunto.Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Olá Pr. Ricardo,
    Gostei do seu blog e me tornei um seguidor.
    Gostaria que visitasse e também se tornasse um seguidor do meu Blog, afinal, juntos seremos mais eficazes na proclamação do Evangelho!!!
    www.teologiainteligente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O que mais falta surgir nesse meio que se diz igre
    ja?Deus nos livre destes profetas do óbvio.Seria
    muito bom se o temor a Deus fosse restaurado e por
    que não dizer se achasse de antemão nos seus cora-
    ções.Quantos profetas foram repreendidos por fala-
    rem o que Deus não falou?É muita responsabilidade
    falar "Assim diz o Senhor.."Se o que irá ser dito
    não se cumprir,o tal fala sandices,vindas de seu coração enganoso e presunçoso.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.