Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

Carregando...

terça-feira, 29 de março de 2011

O PROPÓSITO DO BLOG "APENAS PARA ARGUMENTAR"

Segundo a Wikipedia, Immanuel Kant foi um filósofo prussiano, geralmente considerado como o último grande filósofo dos princípios da era moderna. Kant define a palavra esclarecimento como a saída do homem de sua menoridade. Segundo esse pensador, o homem é responsável por sua saída da menoridade. Kant define essa menoridade como a incapacidade do homem de fazer uso do seu próprio entendimento. A permanência do homem na menoridade se deve ao fato de ele não ousar pensar. A covardia e a preguiça são as causas que levam os homens a permanecerem na menoridade. Um outro motivo é o comodismo. É bastante cômodo permanecer na área de conforto. É cômodo que existam pessoas e objetos que pensem e façam tudo e tomem decisões em nosso lugar.

Dentre as muitas obras deste filósofo, destaco aqui duas: A Crítica da Razão Pura (1781) e a Crítica da Razão Prática (1788). Para Kant, quando alguém se propõe a criticar a obra ou o trabalho de outrem é porque considera aquele trabalho importante. A crítica, deste modo, não é encarada como algo ruim ou pejorativo, mas algo bom, positivo. "A crítica da razão conduz, por fim, necessariamente, à ciência; o uso dogmático da razão sem crítica conduz, pelo contrário, a afirmações infundadas, que sempre podem ser contraditadas por outras não menos verossímeis, o que conduz ao ceticismo."

A despeito de seus conceitos errôneos sobre Deus - cuja existência não se poderia provar por argumentos filosóficos e que, portanto, não existiria (não é possível do ponto de vista da filosofia, oferecer um argumento que convença todos os homens da existência da Deus, mas isso não significa que eu não tenha uma boa razão para acreditar em Deus nem que Ele não exista), as idéias de Kant se revelam muito úteis àqueles que as compreendem.
 
Por exemplo, Kant assevera: "A crítica pura especulativa demonstra a dilatada insuficiência da mesma para resolver, de conformidade com o fim, os mais importantes problemas que lhe são propostos".  De fato, a crítica especulativa - realizada sem base sólida - é uma temeridade; por sua vez, a crítica da razão conduz ao conhecimento.
 
Devido o propósito da crítica kantiana, quem a faz precisa ser conhecedor da matéria sobre a qual propõem-se a criticar. Não pode ser mero especulador, curioso - um fofoqueiro, em essência - mas alguém que tenha formação e experiência no assunto em questão.  
 
Assim, o propósito deste blog é fornecer aos leitores críticas positivas sobre os mais diversos temas e assuntos, especialmente àqueles que se referem ao status quo das práticas constantes no meio religioso evangélico. Ao apresentar críticas - baseadas na fé bíblica segundo as boas práticas da hermenêutica e da exegese, sem focar numa determinada corrente teológica ou noutra - este blog busca edificar os leitores e seguidores, iluminando as mentes e corações com a luz da Palavra de Deus tal qual ela é.  
 
O autor deste blog é pastor evangélico há mais de 10 anos, com ampla formação tanto em ciências exatas quanto em teologia, já tendo ocupado diversos cargos eclesiásticos. Não é, portanto, um curioso ou teórico de igreja. Assim, ao criticar, sempre procura-se mostrar o erro do uso dogmático da razão sem crítica por parte de muitas igrejas e segmentos evangélicos; não motivado na "crítica pela crítica", mas sim no ardente desejo de mudança, buscando-se, quando cabível, oferecer alternativas para que esta mudança aconteça.
 
A igreja, tal como foi concebida por Deus antes da fundação do mundo e materializada no mundo físico no dia de Pentecostes, com a descida do Espírito Santo, é a expressa vontade de Deus para os homens. Conforme o apóstolo Paulo assevera, em sua epístola aos Efésios, "Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Ef 5.25a-27). O Senhor amou a igreja, entregando-Se por ela; logo, todos os cristãos precisam fazê-lo também. 
 
De modo geral, a Igreja Pentecostal não tinha faltas. Era poderosa na fé e no testemunho, pura em seu caráter, e abundante no amor.
 
Quando olhamos para a igreja que está estabelecida, é possível distinguir dois grupos: um grupo de irmãos sérios, tementes a Deus, que buscam viver suas vidas à luz do Evangelho de Cristo. Pessoas que foram trazidas das trevas para a luz e que não se conformam com este mundo tenebroso. Irmãos fiéis ao Senhor, que pserveram em segui-Lo onde quer que seja; que dedicam sua vida à causa do Evangelho - capazes de, se preciso, darem a própria vida para que o mesmo seja anunciado aos perdidos. Pessoas cujas vidas são mais preciosas do que o ouro puro, cujas almas são mais alvas e brilhantes do que o diamante. Gente que chora pelos que estão presos pelo diabo, nas trevas da idolatria e da feitiçaria, que intercedem ao Senhor pelos cativos do inferno. Pregadores cheios de ousadia do Espírito, não tencionando outra coisa a não ser povoar o céu. São exemplos vivos do poder regenerador do Espírito Santo de Deus e da eficácia da Cruz de Cristo. Mansos e humildes.
 
Estes irmãos - ou melhor, esta igreja - você não encontra em qualquer lugar. Não há uma placa na frente indicando que ela se reúna ali. Mas são pessoas das mais diversas denominações evangélicas, quer sejam tradicionais ou pentecostais, batistas, metodistas, assembleianos, congregacionais, IURD, dentre outras. São pessoas que só Deus, em Sua onisciência, sabe quem são. São membros da Igreja invísivel. A esses irmãos, eu tenho imensa honra e prazer em servir. Tenho santo orgulho em ser chamado por eles de irmão.
 
Mas há também um segundo grupo. Infelizmente, um grupo que consiste de ímpios que nunca se converteram, mas que foram inseridos na igreja pelo inimigo, tanto nos bancos quanto nos púlpitos. Os homens dormiram - sim, a igreja do Senhor dormiu - e Satanás "veio e semeou o joio no meio do trigo" (Mt 13.25). Quando foi "esse sono"? Após a morte do último vigia, do último apóstolo. Quando foi semeado o joio? Principalmente com o imperador Constantino, no IV século da era cristã, que promoveu uma extensa harmonização entre a fé cristã e as religiões pagãs. Posteriormente, quando o Cristianismo tornou-se religião oficial do Império, o golpe na pureza da fé foi muito grande.
 
Como cita Jesse Lyman Hurlburt, em sua obra "História da Igreja Cristã",  "a oficialização do Cristianismo como religião do Estado foi, não há dúvida, maldição". Ele continua, apresentando as razões de sua argumentação: "Homens mundanos, ambiciosos e sem escrúpulos, todos desejavam postos na igreja, para, assim, obterem  influência social e política. Os costumes e as cerimônias do paganismo foram pouco a pouco infiltrando-se nos cul­tos de adoração. A humildade e a santidade da igreja primitiva foram substituídas pela ambição, pelo orgulho e pela arrogância de seus membros".
 
Até hoje, é possível se constatar com tristeza que o paganismo fincou suas garras imundas na igreja. Falsos crentes, falsos pastores, falsos bispos e apóstolos; homens mundanos, ambiciosos e sem escrúpulos, que ocuparam cargos na igreja para obterem influência social, política e econômica. Não são e nunca foram crentes. Não representam o que é a Igreja verdadeira. Contra a doutrina e ensino destes filhos das trevas, portas do inferno e discípulos de demônios este blog se alevanta, de forma profética, denunciando suas práticas maléficas, expondo sua virulência e pressionando de forma a expulsar seu fétido carnegão. Sim, destas doutrinas e ensinos infernais o autor deste blog é inimigo para sempre - goste quem gostar, não goste quem não gostar; odiando cada palavra, manipulação e falsifação com ódio consumado! Odiando tudo o que fazem com a Igreja do Senhor! Filhos do diabo, é isso que são! Deus um dia os expurgará de Sua Casa! Ele mesmo os exporá publicamente ao vitupério, como fez com o diabo, vosso pai.
 
Para os tais, este pastor e este blog são como o escorpião peçonhento, porque não suportam a sã doutrina. Que se convertam ao lê-lo, que se arrependam de sua maldade e voltem-se para o Senhor, que é rico em perdoar; caso contrário, que lhes sirva para condenação. Do mesmo modo, para aqueles que estão sendo iludidos por estes malignos obreiros, este blog tenciona trazer a Verdade da Palavra de Deus, sem hipocrisia e nem bitolação, porque a fé "que uma vez foi dada aos santos" não é nem uma coisa, nem outra. Que Deus, a partir deste blog, possa servir como instrumento de libertação e restauração, possa dar aos diletos leitores visão de águia!
 
Graça e Paz!

6 comentários:

lui disse...

Nestes dias que vivemos,o que a Igreja mais precisa é do Avivamento.E não gerado por homens,mas pelo próprio Deus.A igreja em muitos lugares não deve nada àquela da Idade das Trevas.Isso porque as trevas tem tomado conta dos púlpitos e dos bancos.Há toda sorte de negociatas inescrupulosas com a fé.
Há também,alguns que insistem em permanecer "meninos",aceitando todo tipo de engano.Isso devido à preguiça em ler a Santa Palavra e confrontar assim os falsos pastores e profetas.
Acredito que Deus,em Sua infinita Graça vai abalar as estruturas desse Evangelho oportunista que aí está.Enquanto tal não acontece,vamos suportando,intercedendo e chorando,mostrando o verdadeiro e único Evangelho,sem achismos,distorções e manipulações.Que Ele nos ajude!

Pr. Magdiel G Anselmo disse...

Amém!
Que Deus o ajude nessa missão.
Mas, me permita uma observação.
Creio, pr. Ricardo, que estes dois grupos mencionados pelo sr. existem e estão aí trabalhando a todo vapor, cada um visando seus objetivos, que são totalmene opostos e diferentes.
Todo discernimento espiritual é importante para distinguirmos um do outro. Alguns diriam que é impossível fazermos um julgamento exato e correto quanto a isso. Não sabemos realmente quem são os "joios" e os "trigos" com exatidão.
Penso que, por isso, devemos sempre visar atacar os ensinos errados (heresias) e as práticas não cristãs que perturbam a Igreja e nunca as pessoas de forma implacável e irada que as praticam, pois podem ser irmãos que a Bíblia chama de "débeis" e "fracos" e precisamos suportá-los em amor e em amor adverti-los. Muitas vezes a forma como repreendemos ou defendemos nossas posições traz mais problemas do que soluções (mesmo que estejamos corretos). Um irmão ferido é difícil de restaurar o relacionamento outrora perdido, já diz Provérbios (são como portas de uma fortaleza fechadas).
Creio que essa é nossa mais difícil missão. defender a fé cristã, sem contudo, atirar em nossos companheiros de luta mais fracos e neófitos.
Abraço.
Pr. Magdiel G Anselmo.

Pr. Ricardo Kropf disse...

Amém Pr. Magdiel!

Obrigado pelo comentário. Concordo com o senhor, esse é o ponto; obrigado pelo sábio conselho. Por isso, não cito nomes, a não ser no caso de réplicas a ofensas - como o caso da infeliz citação: "são idiotas os que não pregam a teologia da prosperidade e que deveriam abdicar do pastorado". Citação inclusive que foi enunciada não por um neófito, como pode facilmente ser constatado aqui no blog.
Fora casos esdrúxulos como este, o foco aqui como foi dito é a defesa da fé, combatendo práticas, idéias e doutrinas à luz da Palavra de Deus e da razão, procurando mostrar a Verdade de Deus e exaltá-la em todos os casos, para advertir o ímpio do seu caminho, para que dele se converta.
De fato, nós jamais separaremos o joio do trigo, essa não é a nossa função. Mas a nossa função é pregar, ensinar e exortar segundo a Espada do Espírito. Ela, que tem dois gumes afiadíssimos, cuidará disso em tempo oportuno.
Abraço e mais uma vez obrigado pelo comentário!

Pr. Magdiel G Anselmo disse...

Amém, concordo convosco. Minha observação se deve ao fato de que muitos ao pregar, ensinar e exortar não possuem postura coerente com a mensagem que proferem ou propagam (quem em nosso caso é a Deus), ou seja, não visam restaurar e edificar vidas em Cristo, Estão como o profeta Jonas esteve, em uma posição de julgamento (Nínive devia ser destruída segundo a vontade do profeta)e não entendem como o mesmo profeta que Deus pode transformar vidas se simplesmente pregarmos o Evangelho encharcados pelo amor e paixão pelas vidas perdidas.
Penso, pr, Ricardo, que em nossos dias a falta de amor e perdão tem se confundido com zelo e apologética. Não concordo com isso. Podemos fazer apologética e sermos extremamente zelosos sem contudo deixarmos de amar e perdoar as ofensas daqueles que não "sabem o que fazem".
Sei que não é o vosso caso, mas a net esta permeada de acusadores, maldizentes e detratores e pouco se vê sobre a obra restauradora e perdoadora de nosso Senhor. Aproveito seu blog que tanto me edifica para registrar meu protesto a esse contexto de ausência de misericórdia que nos assola.
Perdão por me estender.
Abraços e vamos sim, ter visão de águia.
Graça e Paz.

Pr. Ricardo Kropf disse...

Novamente, concordo com o senhor, pr. Magdiel. Eu mesmo já tomei a iniciativa de não mais recomendar alguns ditos "blogs apologéticos" por considerar que perderam o propósito de edificar a igreja; inclusive já exclui o banner de um da seção "blogs recomendados". Se perderam nas críticas destrutivas - nunca apresentam soluções aos problemas, só críticas - e nos escárnios. Há, ainda, aqueles que em nome da fé atacam não as idéias, mas pessoas; talvez por mágoa ou outro sentimento, porém é coisa que eu também não concordo.
Estive conversando muito sobre isso com a Pra. Lucy (o senhor a conhece do Facebook). Infelizmente, na ânsia de combaterem o mal, acabam contribuindo para alastrá-lo ainda mais. É como tentar apagar um incêndio com um fole.
Pastor, considero-me honrado pelo senhor considerar meu blog como edificante para o senhor. Saiba que tenho o senhor em alta consideração; deixo aqui registrado que o senhor é um dos poucos pastores que conheço dos quais tenho orgulho de ser considerado irmão. Sinta-se inteiramente à vontade para estender-se sempre que quiser. Seus comentários são repletos de conselho e sabedoria, tanto para mim, quanto para aqueles que nos lêem!
Graça e Paz!
P.S.: Esse negócio de visão de águia pega, rsrsrsrs!

Pr. Magdiel G Anselmo disse...

A recíproca é verdadeira, querido pastor.
Forte abraço e Deus continue a lhes abençoar.
ps. pega mesmo rsrsr...

Postar um comentário

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.

Selo de Qualidade

Selo de Qualidade
Indicado pelo irmão "Amém Brother!" (http://amembrother.blogspot.com/)