Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

terça-feira, 22 de março de 2011

O TERRÍVEL COSTUME DE COMPLICAR A PRÓPRIA VIDA

A expressão "complicando o jogo fácil" é muito comum no meio esportivo. Um time complica o jogo quando cria, para si mesmo, dificuldades para vencer a partida que antes não existiam. Em determinado momento do jogo, uma equipe que antes dominava a partida inexplicavelmente "surta", dando espaço ao adversário para criar jogadas e ameaçar o resultado final. Geralmente, quando um time complica o jogo, ele acaba sendo derrotado ao final. Outras expressões similares são "arrumar chifre na cabeça de cavalo", "arrumar sarna para se coçar", "dar tiro no próprio pé", etc.

Da mesma forma, algumas pessoas insistem em "complicar" o que até então era simples: a própria vida. De forma quase inacreditável, tem gente que consegue tornar a própria vida num verdadeiro inferno. A vida, antes equilibrada e feliz, converte-se em caos para todos os lados; a entropia (medida da desordem) do sistema "vida" cresce assustadoramente e então o que se vê é um infindável rol de problemas! Pior: problemas desnecessários. Quando você vai sondar as razões que geraram o caos, descobre que não havia a menor razão para que o caos se instalasse. Vivem o complexo de Anaquim Skywalker: com a vida encaminhada para se tornar um grande jedi, acaba se tornando Dart Vader por dar lugar ao lado sombrio da força!

Assim, por exemplo, é o adultério, atitude que transtorna grandemente a vida de qualquer pessoa, que é capaz de destruir casamentos e arruinar as vidas de todos os envolvidos, direta e indiretamente. Quando você escrutina a vida do adúltero, descobre que ele possuía anteriormente tudo o que qualquer pessoa gostaria de ter: uma boa casa, um bom cônjuge - fiel, amoroso, paciente com e nas imperfeições,  planos maravilhosos para o futuro - com plenas condições de realização, etc. Uma vida a ser pedida a Deus. Mas, repentinamente, um dos cônjuges tem um surto; já não mais considera sua vida como agradável, como bênção de Deus. Ao contrário, tem início o flerte com o/a estranho/a - um passo para a consumação do caso extra-conjugal. Quando consumado, mais cedo ou mais tarde virá à tona. Quando isso acontece, tudo o que antes havia é perdido! Só com um milagre tudo será novamente restaurado!

Do mesmo modo, são aqueles que dão lugar às drogas, ao sexo antes do casamento e aos vícios. Muitos jovens que entram por este caminho não tinham a menor justificativa para o fazer. Tinham casa e comida, amor, aceitação, bens materiais, boas escolas - tudo a seu tempo e hora. Veja, por exemplo, o caso do jovem que pratica sexo antes do casamento: se for com um único parceiro e este for saudável, a gravidez indesejada é o destino certo. Se for com mais de um parceiro, a chance de contrair as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) são imensas. "Quem procura, acha", inclusive AIDS. Pergunta-se: era imprescindível que isso ocorresse? Era imprescindível a gravidez indesejada fora do casamento, tonando o/a jovem em pai/mãe solteiro/a? Era imprescindível contrair AIDS? Não! Não era!

Assim também acontece com os crentes. Muitos crentes parecem que têm prazer em viver uma vida de lutas e aflições! Enquanto não conseguem arrumar um problemão para si mesmos, não sossegam! Recebem toneladas de aconselhamentos, terabytes de estudos bíblicos e zilhões de orações; investimento espiritual para torná-los mestres! Num momento, tudo está bem; porém, noutro momento, tudo está mal. E porquê? Por que mesmo após tanto investimento espiritual, o crente não conseguiu resistir à tentação e deu uma dentada profunda no fruto proibido, arrancando mais da metade dele numa só mordidela! "Irmão, o que aconteceu?!?" "Foi o diabo que me enganou pastor, [e eu comi]!" Mesmíssima história!

O que acontece? A confissão, pelo crente, de um paladar nada cristão: "Comi o fruto do adultério!" "Comi o fruto da picaretagem, e dei um 'S' no banco (ou no trabalho)!" "Comi o fruto da agiotagem!" "Comi o fruto da falsificação!" "Comi o fruto da mentira!" "Comi o fruto do cheque sem fundo!" "Comi o fruto da fornicação!" "Comi o fruto da violência, peguei uma arma e...". Variações diversas, mas o fruto é o mesmo. E como fica a vida, após esta "comilança", esta "predileção pelo pecado fatiado, flambado e servido com molho de enxofre" ? Fica uma bagunça completa, tudo destruído, arruinado! O fruto comido dá uma dor de barriga imensa! Esta "dor de barriga" - da qual queixa-se o crente que comeu o que não devia e para qual busca ansiosamente alívio - é o resultado do prato comido. Já lamentava Jeremias: "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados" (leia-se: "queixe-se cada um dos seus próprios hábitos alimentares!") (Lm 3.39)

Novamente, quando você tenta desatar o nó na vida do crente, buscando a ponta do fio, descobre que não havia nenhuma razão ou motivo para que o problema se instalasse em sua vida. O crente era honrado na Igreja, querido por todos, vida sossegada diante de Deus, abençoado pelo Altíssimo com grandes bênçãos! Gente que vive a vida de forma simples, fácil, sem nenhuma complicação fundamental. Gente que ora e Deus responde, que pede e Ele atende! Fez Seminário! Dava até aulas na Escola Dominical! Irmão abençoado! Porém, repentinamente e sem o menor aviso, ele "surta". Começa, então, a fazer pontaria de dar tiro no próprio pé! Arruma para si mesmo uma série de problemas imensos, que acabam virando "dramas existenciais, espirituais e até mesmo físicos"!

Amado leitor, não sabote a sua própria vida! Não haja como um néscio, destruindo com suas próprias mãos tudo aquilo que Deus tem lhe dado como bênção sobre a Terra! Não facilite o trabalho ministerial do diabo e nem complique o trabalho ministerial do seu pastor! Perdão, o Pai está sempre disposto a dar. Porém, há problemas que podem ser tão profundos e cuja consequência pode ser tão ampla que a solução pode não ser viável. Adão e Eva após pecarem foram expulsos do Paraíso; não havia como eles continuarem morando naquele lugar. A vida de ambos fora do lugar da bênção de Deus nunca mais foi a mesma! Não faça por onde para que você também seja expulso do paraíso que Deus lhe concedeu nesta Terra.

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

2 comentários:

  1. O pecado por mais asqueroso que seja,é prazeroso.O fruto devia ser muito gostoso,atraente.Se fosse ruim Eva não concordaria em comê-lo.Assim,a saga continua.Temos tudo,mas nunca estamos satisfeitos.Para muitos de nós,basta ver o fruto.E aí começa a aventura(perigosa)para obtê-lo.E nesse afã não nos importa a quem vamos ferir.Vale tudo!Nessas horas,tudo o que conseguimos,perde a importância.Não pensamos nem nas consequências.É o prazer pelo prazer.É o que interessa.

    ResponderExcluir
  2. Assino embaixo, pastor.
    Pura verdade.
    Ah, se estes crentes ouvissem e entendessem isso...

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.