Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sábado, 24 de dezembro de 2011

O GOLLUM, O MUNDO VIRTUAL E O MUNDO REAL

Quem já assistiu o filme "O Senhor dos Anéis" deve se lembrar de alguns personagens marcantes, como hobbit Frodo Bolseiro, portador do anel, artefato mágico forjado por Sauron, o Senhor do Escuro; de Gandalf, "o cinzento", que torna-se Branco, depois de sua luta feroz contra o Balrog ("As Duas Torres") e do Gollum, Sméagol, uma criatura velha e "pegajosa" que já foi um hobbit, mas que foi possuído pelo poder maligno do "Um Anel", e jamais conseguiu libertar-se dessa atração. 

Num determinado momento, Gandalf faz um comentário com o Frodo acerca do Gollum, o qual é muito interessante: "Meu coração me diz que o mesmo tem algum papel a representar ainda, para o bem ou para o mal, antes do fim". Bem ou mal estavam diante daquele ser, e a escolha deveria ser feita. Com o transcorrer do filme, ora parece que havia esperança para o Gollum, querendo levar os hobbits até Mordor em segurança; ora parece que ele escolhe o mal, tencionando matá-los e apossar-se do Anel que lhe foi roubado. Uma personalidade dividida, por certo.

Recomendo o filme. Há muitos princípios cristãos ilustrados nesta obra de ficção a serem absorvidos, como a fé, a misericórdia, a perseverança, a lealdade, o sacrifício pessoal em prol de uma causa maior, a luta do bem contra o mal, etc. Os próprios personagens têm muito a ensinar. O Gollum é um deles: ele representa o homem dividido em seu mundo interior, fortemente influenciado pela cobiça, que oscila entre dois pensamentos e que, com isso, age de duas diferentes formas.

A cobiça é, de fato, um poder imenso sobre a razão e emoção humanas. Essa ambição desmedida, esse desejo sôfrego é capaz de influenciar o mais forte dos homens e, exatamente como o Gollum, há muitas pessoas que jamais conseguem se libertar desse poder. Praticamente tudo pode ser objeto de cobiça: bens materiais (casas, carros, dinheiro, etc) como pessoas (homens e mulheres). Há uma espécie de "glamour", um magnetismo fortíssimo envolvido naquilo que se almeja desmedidamente, que confere um status de irresistibilidade à coisa toda. A cobiça envolve a criação de um mundo virtual de sentimentos reais, onde a felicidade será alcançada se, e somente se, aquilo que se deseja for obtido: "não possuir aquele(a) ou aquilo" é considerado, ainda que indiretamente, a causa infelicidade e frustração da vida real.

O mundo virtual é tão poderoso e real quanto se puder imaginá-lo. A trilogia "Matrix" mostra isso muito bem, onde real e virtual se confundem como uma coisa só. Com o advento da internet, a criatividade humana para construção do mundo virtual interior foi grandemente potencializada. Hoje, é possível ter uma vida no mundo real e outra vida no mundo virtual, que a cada dia torna-se mais real, mais presente do que o então mundo considerado real. Se a vida no mundo real está condicionada a uma determinada existência e segundo determinada regra, no mundo virtual a pessoa cria sua existência segundo suas próprias regras. No mundo real, sou eu mesmo; no mundo virtual, sou quem eu quiser ser e faço o que eu quiser fazer, pois estou transfigurado num "avatar", vivendo uma espécie de "segunda  vida".

O avanço da tecnologia e da internet proporcionam os meios necessários para que cada vez o homem possa se dissociar do mundo real quando bem entender. Um ambiente virtual muito conhecido e freqüentado por um sem número de pessoas é o "Second Life", que simula em alguns aspectos a vida real e social do ser humano. O termo em inglês significa "segunda vida", ou seja, uma "vida paralela", uma segunda vida além da vida "principal", "real". No "Second Life" é possível ser quem quiser. É possível ser homem ou mulher; ser um magnata de sucesso, rodeado por mulheres (algumas mulheres virtuais são mulheres - ou até mesmo homens - na vida real!), adquirir dinheiro virtual (muitas vezes às custas de dinheiro real), freqüentar uma igreja qualquer. Há, ainda, vários os ambientes ligados à prostituição, como as boates eróticas. Muitas fazem programas e cobram pelo minuto de “serviço”. Outras agem como cafetinas e chegam a agenciar até 20 mulheres. Em 2007, conforme noticiado pelo Estadão, agentes da polícia britânica disfarçados investigaram a ação de pedófilos no mundo virtual do Second Life, por suspeitarem de que  avatares em forma de crianças ofereciam sexo a outros residentes em uma ilha do Second Life chamada "Wonderland" (País das Maravilhas, em português). (ref.: http://www.estadao.com.br/noticias/tecnologia,criancas-oferecem-sexo-virtual-no-second-life-por-dinheiro,73516,0.htm)

De fato, o sexo está bem presente na internet, quer no Second Life, quer nas salas de bate-papo, chats, MSN, etc. Conhecido como "sexo virtual", pode ser considerado uma variação digital do "disque sexo", onde há a exibição de nudez pornográfica e sexo, e não raro, sodomia, pedofilia, lesbianismo, homossexualismo, necrofilia, incesto e bestialismo, com direito a imagem e som. Por meio de câmeras (webcans) e de "sites especializados" é possível qualquer coisa! Com o advento dos celulares com câmera, o perigo é ainda maior. Muitos homens (e até mulheres) sem nenhum caráter colocam à disposição de quem quiser ver jovens e mulheres/homens mantendo relação sexual com eles, os quais são expostos na internet sem ter a menor noção de que isso está acontecendo.

Abre 1º parênteses: Pais e mães, cuidado com seus filhos! Hoje, o mundo virtual com suas mais variadas ameaças está presente na vida de milhões de lares ao redor do mundo. Cuidado com o que seu filho ou filha vê e faz virtualmente. A sedução, aliada ao sentimento de poder pelo "auto-controle", é uma poderosa arma do diabo para prender as vidas de nossas preciosas crianças. A web pode ser uma verdadeira "teia"; quando mais se mexe, mais preso fica.  A pedofilia está muito presente nestes ambientes e as meninas (e meninos) podem facilmente serem seduzidos à exposição de seus corpos virtualmente, fazerem "sexo virtual", com a desculpa que "não é de verdade, é só brincadeirinha", ou mesmo marcarem encontros presenciais! Apesar do mundo ser virtual, os perigos são reais! Os sentimentos e emoções geradas são reais: é possível ser seduzido por alguém que se apresenta como "bom menino(a)", "boa pessoa", apaixonando-se por alguém que sequer conhece no mundo real! A paixão cega; uma vez cega, a pessoa está sujeita a fazer qualquer coisa em prol da paixão; é assim no mundo real, é assim também no mundo virtual! Lembre-se: Pedofilia é crime! Denuncie! Fecha 1º parênteses.

Abre 2º parênteses:  A mesmíssima recomendação vale para os adultos. Lembre-se: tudo, no mundo virtual, é feito de forma a ser irresistível: os homens e mulheres expostos são os mais belos e o sexo virtual é o mais intenso possível, tudo feito de modo a superar o mundo real. Não são poucos os adultos - solteiros e até mesmo casados - que acabam presos pela sedução real do mundo virtual. Há várias pessoas que arriscam e destroem seus namoros/noivados/casamentos porque foram presos por um sentimento, por uma emoção "mais forte, mais intensa" produzida pelas imagens e sons virtuais. A "traição virtual", como é conhecida, é, invariavelmente, infidelidade real. Há inúmeros relatos de homens e mulheres que, ainda casados, sentem-se atraídos pela pessoa que está do outro lado da tela do computador. Pessoas divididas emocionalmente, que não querem terminar o relacionamento real, mas que estão debaixo de intenso sentimento de culpa e condenação porque escondem o máximo que podem, no seu íntimo, o interesse real por um personagem virtual. Há, também, inúmeros casais, outrora felizes, que se separaram litigiosamente por causa do sexo virtual: famílias separadas, lares destruídos. Fecha 2º parênteses.   
    
Diante de tudo o que foi exposto acima, é fácil perceber que a vida no mundo virtual tem um preço a ser pago. Para se ter "aquilo" que se tanto deseja, há sempre um preço a ser pago, financeiro e até mesmo espiritual, o qual é pago prontamente, sem ponderações. Não é considerado em nenhum momento que esse preço é sempre muito caro, pois traz consequências muito severas; para piorar ainda mais, ao fim, percebe-se que aquilo que foi "conquistado" às expensas daquilo que se possuía, não valeu o preço pago. Mas infelizmente não há devolução!

Assim, os prazeres e emoções advindas do mundo virtual incentivam a cobiça e a mantém viva e forte, tornando-a num incêndio interior quase incontrolável. Como diria o Gollum diante do Anel, "precioso, precioso, precioso! Meu Precioso! Ó, meu Precioso!" Porém, há um preço a ser pago, sempre. Como diria Friedman, Nobel em Economia, "there is no such a thing as a free lunch" ("não existe almoço de graça"). Qual é o preço pelo prazer virtual? Pode ser o preço financeiro; da sua consciência, da sua paz interior; o preço do seu relacionamento, construído com dificuldade; da sua fé cristã; da sua salvação em Cristo; da sua espiritualidade cristã; da sua liberdade; da sua vida ou da vida daqueles que você ama e até mesmo da sua própria alma. Perceba que o preço a ser pago é caríssimo! 

Infelizmente, mesmo diante do alto custo envolvido, há inúmeras pessoas que não se importam com o valor; elas pagam o preço, sem sequer questioná-lo. Na hora do prazer virtual, da atenção do "amigo online", da ficção, maridos e/ou esposas não pensam em nada, apenas em satisfazerem suas carências emocionais. Assim também é com o(a) adolescente que tira sua roupa diante de uma webcan, estimulando e sendo estimulado(a) sexualmente: ele(a) quer apenas sentir uma compensação emocional, suprir uma carência. A pornografia traz consigo emoções fortíssimas, que prendem a pessoa na prática, levando-a a consumir mais e mais daquilo que ela tanto cobiça. 

O problema é, como foi dito, que tudo isso não passa de pecado, diante de Deus, onde o prejudicado é o próprio homem. Certa vez, Deus falou ao homem, dizendo: "Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo." (Êx 20.17) Parodiando o Mestre Yoda, de Star Wars, "a cobiça leva ao lado sombrio, das trevas. A cobiça gera a inveja, a inveja gera o ódio e o ódio leva a morte!" O mundo virtual é uma abstração; nada do que existe nele é real, tal como se entende a realidade. Não existe prazer absoluto, apenas em Deus e isso só será plenamente manifesto quando formos transformados pelo Senhor. O sexo não traz e jamais trará prazer absoluto, isso é sempre uma ilusão. A performance absoluta não existe no mundo real; tudo aquilo que ali está é um mero produto idealizado de forma marqueteira, para seduzir a todos que se detiverem diante da "vitrine global". Esse produto é falso, produzido no inferno, que é a fábrica das falsificações! Por isso mesmo, afirma Tiago: "De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus." (Tg 4.1-4)

Cobiçam, cobiçam e nunca têm nada; nem o que tanto cobiçam, nem o que tinham e não deram o devido valor. Ao invés de viver cobiçando "moscas", viva a sua vida. Você que é casado(a), deixe o sexo virtual e aprenda a desfrutar do seu casamento, com o seu cônjuge: "Bebe água da tua fonte, e das correntes do teu poço. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente." (Pv 5.15,18,19) Dentro do que não é impuro, e por conseguinte pecado, dentro do que a Bíblia não condena, inove no seu casamento! Seja criativo! Viva feliz com quem Deus te deu para estar do seu lado! Por sua vez, você que não é casado(a), que é jovem ou mesmo adolescente, não se deixe prender com essa quimera, com essa fantasia. O mundo virtual não é uma "Ilha da Fantasia", ilha paradisíaca onde qualquer desejo pode ser realizado, onde os sonhos se concretizam no final. No lugar de um simpático senhor Roarke e do Tattoo, o anfritrião do sexo online é o próprio diabo. Uma vez preso, o diabo procurará levá-lo cada vez mais fundo na prática, até que ele possa destruir a sua vida! Não há amor no sexo virtual, nem na pornografia! Ninguém, absolutamente ninguém deve se considerar forte o bastante, assim, evite a primeira vez!

Finalizando, viva a sua própria vida, no mundo real. Aprenda a realizar seus sonhos e anseios no mundo real com aquilo que Deus nos deu de bom, aquilo que Ele criou e santificou para o nosso próprio bem-estar físico, emocional e espiritual. Deus te ama, querido(a) leitor! Ele sabe quais são as suas necessidades e só Ele possui a forma de satisfazê-las sem destruir sua vida! Entregue todas as suas ansiedades nas mãos de Deus. Se você está preso, tenho uma boa notícia: você pode ser livre! Jesus disse que a liberdade que Ele proporciona nos torna verdadeiramente livres! Não importa o quão fundo você tenha ido, não importa o que você já fez ou ainda está fazendo; se você vier a Jesus com sinceridade, achará Nele misericórdia e compaixão por você! Ele nunca deixou de perdoar nenhum pecador que se arrepende! 


Ele te diz: VINDE A MIM, PECADOR!


Pense Nisso. Deus está te dando visão de águia!

Um comentário:

  1. A internet é uma excelente ferramenta.Como tudo mais,necessário é o equilíbrio.Quando mal usada,os estragos são grandes.A mídia tem alertado sobre crimes praticados por aproveitadores.Quantas meninas e meninos perdem suas vidas por conversarem e se deixarem fotografar por pedófilos.Até mesmo adultos e jovens se iludem por falsas promessas de um emprego ou por falso romantismo.
    E o que é pior,certos sites viciam...Muitos no afã de fugir da realidade,"frustrante",imaginam encontrar a satisfação no virtual.Puro engano,que só vão descobrir,muitas vezes,tarde demais...
    Satanás busca almas inquietas,insatisfeitas,famintas por prazer a qualquer preço,e as prende em cadeias terríveis.Ele sabe dourar a pílula!
    Compete aos pais vigiarem e alertarem seus filhos.Aos jovens,não crer em falsas promessas e aos casais,cabe o diálogo franco e aberto.Ouvi algo interessante certo dia:Um cristão reclamou de sua esposa ao pastor.Contou-lhe que não a amava mais,que tinha certos hábitos que não o agradavam e de tantas outras coisas reclamou.O homem de Deus,a cada reclamação,só fazia responder:AME-A.E AME-A mais a cada dia.AME-A como nunca.Assim deve ser.Todos temos defeitos e virtudes.Só o amor pode superá-los.Um bom exercício é olharmos com lentes de aumento as virtudes.Ele ou ela crescerá aos nossos olhos.Quanto ao sexo,o marido cristão jamais poderá exigir que sua esposa tenha atitudes de prostituta.O grande erro aí são as comparações.O varão cristão não deve procurar satisfação em sites pornográficos,ou similares.Fortalezas são erguidas quando se usa dessas práticas.E um abismo chamará outro abismo e logo tenderá a outras práticas tão abomináveis.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.