Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

SINTOMAS DE UM CORAÇÃO EM PROCESSO DE ENDURECIMENTO PARA COM DEUS

"Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto. Onde vossos pais me tentaram, me provaram, E viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos. Assim jurei na minha ira que não entrarão no meu repouso." (Hb 3.7-11)

Não endureça o coração, é o que diz a figura acima. Se começarmos a ler o início do capítulo 3 da epístola aos Hebreus, veremos que o autor faz uma comparação entre Moisés e Cristo, mostrando que ambos foram fiéis a Deus, porém evidenciando a superioridade de Cristo sobre Moisés, "tido por digno de tanto maior glória, quanto maior honra do que a casa tem aquele que a edificou". Seguindo a linha de raciocínio, o autor mostra Moisés como aquele que, como servo, foi fiel em toda a sua casa. Contudo, nosso Senhor, como Filho de Deus, foi fiel sobre sua própria casa. Que casas são essas que o autor se refere? Ambas são Casa de Deus; a que Moisés edificou é a Casa de Israel e fez isso na condição de servo, ou seja, a casa que ele edificou não era a casa dele; Moisés era apenas um servo. Nesse texto, o termo "servo" é a tradução do gr. therapon, que significa "atendente", "servente, aquele que atende alguém", "alguém que presta serviço num tempo particular". Esse termo é diferente de doulos, a palavra comum para escravo, porém tratando-se de alguém que está permanentemente em servidão, em sujeição a um mestre. Assim, Moisés prestou um serviço numa época particular, edificando uma casa que não era a sua. Porém acerca de Cristo é dito que Ele, sendo Filho de Deus, edificou sua própria casa. Essa casa somos nós, os crentes em Cristo, como explica o autor aos Hebreus, SE (note a condicional) "tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim" (v.6). 

Após essa introdução, o autor aos Hebreus então passa a discorrer sobre o destino da Casa de Deus no antigo pacto como um profundo e terrível exemplo para a Casa de Deus no novo pacto. A idéia do autor é muito simples e ao mesmo tempo profunda: "ora se a Casa de Deus no antigo concerto, edificada por Moisés, servo de Deus, fiel em toda a casa não entrou na Terra da Promessa por endurecer seu coração, não deve presumir a Casa de Deus no novo concerto, edificada pelo próprio dono, que ficará impune se errar na mesma coisa que a primeira". A primeira casa foi fielmente edificada pelo Moisés, nada ficando pendente segundo a instrução que ele recebera do dono da Casa para realizar tal edificação. Porém, a segunda Casa foi edificada pelo próprio Cristo, o Filho do Deus vivo, segundo Sua soberana vontade; por isso tem maior honra que a primeira. No entanto, essa diferença entre os edificadores e a natureza da edificação não deve servir de modo algum para soberba ou vanglória, nem de excesso de confiança quanto a impossibilidade de rejeição.  Ele então liga essa reflexão com uma conclusão, utilizando a conjunção "portanto", introduzindo uma oração coordenada que contém a conclusão de um raciocínio ou exposição de motivos anterior. E é nesse portanto que a coisa fica muito feia para o nosso lado!

"Portanto...", começa o autor aos Hebreus, "...como diz o Espírito Santo". Quem diz? O Espírito Santo. Oh sim, Ele fala! E como Ele é eloquente e como Suas palavras são agudas e penetrantes! Sua Palavra é viva e eficaz, mais penetrante que espada afiada de dois gumes! Ela penetra fundo no homem, até a divisão da alma e do espírito (Hb 4.12). O Espírito Santo falou no princípio da criação e continua falando abertamente até nossos dias! Ele fala de diversas formas, sendo que nos últimos dias Ele tem nos falado pelo Filho! Cristo é a expressão verbal do Espírito, é o discurso do Senhor para nós. Ele é a Palavra viva, a Palavra que gera a vida porque tem em si mesmo a vida de Deus, vivendo independentemente e por si mesmo! A geração da vida de Deus àqueles que estão mortos, nas trevas, em delitos e pecados, só pode acontecer por meio da Palavra viva, do Cristo-Palavra, do logos divino, da revelação de Cristo por meio do Espírito pela Palavra.

Parênteses: Sem demérito para com os apreciadores da Teologia - e eu sou um deles, nesses últimos dias a humanidade precisa do Cristo-Palavra, não de teorias sobre Cristo e sobre a fé; precisa de salvação, não de teologias soteriológicas; precisa de Deus, não de teorias sobre Deus; precisa do Espírito Santo e dos dons espirituais. Se nos tempos apostólicos isso - a presença viva do Espírito, anunciando a Cristo palavra viva - fazia toda a diferença, sendo essencial ao desenvolvimento sadio da Igreja, ainda mais o é nos dias de hoje, onde talvez haja problemas ainda mais sérios e graves contra a fé cristã e a Igreja do que naqueles dias. Ensinemos teologia sim, mas ensinemos principalmente a se obedecer à Palavra de Deus. Fecha parênteses.

Mas o que diz o Espírito Santo? Ele diz que quando o crente escuta a voz do Espírito, independente do tom dessa voz, não deve endurecer seu coração porque foi exatamente esse o erro que a Casa do antigo concerto cometeu e, com isso, ficaram impedidos de entrar no descanso de Deus, trazendo a ira do Senhor sobre si mesmos. Ao falar sobre o coração endurecido de Israel, mais adiante o autor exorta à Igreja para que não haja um coração mau e infiel em qualquer irmão que seja. Assim, o que é um coração endurecido? É um coração mau e infiel, que insiste teimosamente em se afastar do Deus vivo, que fala na pessoa do Espírito, exortando os crentes a reterem firmemente o princípio da confiança até ao fim de modo a serem participantes de Cristo (v.14).    

Um coração de um crente não fica endurecido da noite para o dia, isso é um fato. Ocorreu toda uma transformação em sua vida, de forma que o coração antes responsivo é agora duro como pedra. Como começa o endurecimento do coração? Começa no primeiro sintoma não combatido, não tratado, não cuidado. Começa quando o crente, ao escutar a voz do Espírito exortando-o em direção a Cristo, quer seja num sermão, num estudo, num aconselhamento ou mesmo numa situação específica em sua vida - sim, Deus fala por meio das situações também - reage fechando seu coração a esta voz. Ele faz isso quando justifica-se a si mesmo diante do erro de sua vida à luz de Cristo-Palavra na voz do Espírito. Cristo é e sempre será o padrão de perfeição do crente; olhando para Ele, para a Sua luz, vemos as nossas trevas e o quanto precisamos de transformação de vida.  É interessante notar que o o termo grego para endurecimento é sklērunēte, um termo médico: esclerose. Aqui vemos um coração esclerosado, fazendo com que a Palavra de Deus não o alcance mais, não o comova mais, fazendo ver os erros dos outros, mas nunca os próprios. Aliás, crente acusador é um problema, porque ele enxerga os erros em tudo e em todos, menos em si mesmo. Assim, quanto mais a Palavra de Deus chega até um coração endurecido, mais ele se vai endurecendo.

Assim, o primeiro sintoma de um coração em processo de endurecimento é a rejeição parcial ou total da exortação trazida pelo Espírito para sua mudança de vida. O crente simplesmente rejeita o que está sendo dito; ele diz "isso não é para mim", "ele fala isso, mas não vive o meu problema", "queria vê-lo em meu lugar, para ver o que é bom para tosse", "é mole falar, quero ver fazer", e por aí vai. Isso tem a ver com a maldade do coração e com a infidelidade do crente, como diz o autor aos Hebreus. Infelizmente, há em nossas igrejas uma ENORMIDADE de crentes que já iniciaram o processo de endurecimento e não perceberam! Pessoas que escutam a Palavra ano após ano, domingo após domingo; que já foram exortadas milhares de vezes (e é fácil ver quando isso acontece, porque ninguém fica passivo ouvinte quando a Palavra viva penetra no interior). Pessoas que são até mesmo obreiros (lideranças em geral - louvor, crianças, escola dominical, juventude, homens, evangelismo, etc -  diáconos, evangelistas, presbíteros, pastores, etc), seminaristas e professores de seminário, etc. Gente que reage negativamente aos apelos insistentes do Espírito, MESMO SENDO CRENTE.

O próximo sintoma do endurecimento é o julgamento, quando o crente se transforma em juiz de tudo e de todos, julgando-os sempre à luz de si mesmos, de sua própria vida. O que acontece é que ao escutar o Espírito falando acerca de alguma coisa sobre Cristo que o crente não vive em sua vida (por exemplo, falta de perdão, santidade, comunhão, etc) o crente passa então da defesa (baseada na auto-justificação) para o ataque (baseada na auto-justiça). Daí ele se torna especialista pós-doutor em microscopia eletrônica de varredura, passa a procurar e "enxergar" defeito e pecado em tudo e em todos, "nos mínimos detalhes". Ninguém mais presta: o irmão não presta, o pastor não presta, a igreja não presta... São os famosos queixumes carnais de sempre: "o pastor (ou a Igreja) perdeu a visão, não é mais como era antigamente", "tem muita Igreja boa por aí, diferente dessa que já se perdeu", "o irmão/obreiro/pastor tá em pecado e o pastor não fala nada, vem falar só comigo que sou pequeno", "só sabe cobrar de mim", "eu sou injustiçado e perseguido aqui", "a igreja não tem amor" (essa é clássica). Eles passam a perseguir as pessoas! E hoje, com o advento das redes sociais, a coisa tá muito pior: facebook, twitter, orkut, instagram... tudo a serviço da vigilância do crente.

O terceiro e último estágio dá-se quando o crente desiste de continuar naquela igreja. Ele pede para sair da igreja não porque haja realmente algum problema acontecendo com aquela congregação, mas porque ele tem um problema dentro de si e que não quer resolver de modo algum. Seu problema não é, na verdade com ninguém, mas sim com a Verdade, diante da qual não há como escapar. Daí, ele prefere sair para outra igreja (em geral, uma em que possa ficar sossegado, sem ser confrontado em sua prática anti-cristã - e há muitos lugares que fornecem esse tipo de "serviço espiritual"), ou mesmo tornar-se "crente em casa" ou até "o que vai pelas igrejas". Afinal, ele se considera auto-suficiente, capaz de cuidar de sua fé sozinho e com a vida "acima do bem e do mal".  Não sabe o grande mal que se abateu sobre sua vida!   O versículo 10 do cap. 3 de Hebreus diz que Deus se indignou contra aquela geração que saiu do Egito e que foi pastoreada por Moisés, por causa do endurecimento! Esse endurecimento foi tão grande que levou Deus a dizer que aquelas pessoas sempre erraram em seu coração, e não conheceram os Seus caminhos. Gente que erra o Caminho de Deus por não quererem conhecê-lo, preferindo seus próprios caminhos errôneos e perdidos;  erram a Cristo que deveria ser o supremo alvo de suas vidas!  Gente endurecida pelo engano do pecado! Incrédulos! Desobedientes! Teimosos! Obstinados! Rebeldes!

Segundo o autor aos Hebreus, nós crentes em Cristo se agirmos de forma igual à Israel, endurecendo o nosso coração à voz do Espírito, teremos o mesmo destino deles: Não entraremos no repouso de Deus. Milhares de pessoas ficaram de fora desse descanso no antigo concerto! Milhões poderão também ficar de fora no novo concerto, basta cair no mesmo erro.Assim, querido(a) leitor(a), Hoje, se você está ouvindo ou ouviu a voz do Espírito, não endureça os seu coração. Cuidado amado(a), não seja desobediente à essa voz! Não seja obstinado! Se Ele falou contigo, mude sua vida! Ele exortou à mudança porque ama você, porque te trata como a um filho, a quem Ele quer bem. Saia deste mau caminho, abandone essa inflexibilidade, essa obstinação; arrependa-se e volte para o Senhor, que é rico em perdoar. Ouça aquele que do Céu fala contigo! Não permita que sua carne subjugue o Espírito e com isso você venha a ficar de fora do repouso do Senhor.

Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações! Pense nisso, Deus está te dando visão de águia!

2 comentários:

  1. É para mim uma honra acessar ao seu blog e poder ver e ler o que está a escrever é um blog simpático e aqui aprendemos, feito com carinhos e muito interesse em divulgar as suas ideias, é um blog que nos convida a ficar mais um pouco e que dá gosto vir aqui mais vezes.
    Posso afirmar que gostei do que vi e li,decerto não deixarei de visitá-lo mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Aproveito para lhe desejar um feliz Natal e um Ano-Novo cheio de felicidades.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se ainda não segue pode fazê-lo agora, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    Que a Paz de Jesus esteja no seu coração e no seu lar.

    ResponderExcluir
  2. É com tristeza, que constatamos essa situação sendo vivenciada na igreja do Senhor. Pessoas, que antes conosco caminhavam e decidiram sair e já não nos olham com afeto. Percebemos a frieza, a escuridão no olhar. O desinteresse nas atitudes. Não querem mais participar de nada. Estão como que contando tempo e esperando a oportunidade para irem embora.Dói nosso coração, pois amamos tais irmãos. Ver quem amamos se rebelando, se insurgindo contra a Palavra, alguém que um dia a ensinou, é duro demais! Às vezes dá vontade de sacudir a pessoa,literalmente(Mas não adianta). O próprio Deus não tem mais acesso ao coração, o que mais podemos fazer?Só nos resta continuar orando, pedindo misericórdia por tal pessoa, para que não se perca definitivamente. A pessoa volta à cegueira de outrora .Não percebe o abismo ,que está aos seus pés. E o que é pior, passa a ser o causador do desvio de muitos na família e na vizinhança.Muitos que conheceram tal pessoa perceberão que algo muito estranho aconteceu, e que a mesma mudou.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.