Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

JESUS DIANTE DE VOCÊ: O QUE VOCÊ FARÁ?

"Herodes, vendo a Jesus, sobremaneira se alegrou, pois havia muito queria vê-lo, por ter ouvido falar a seu respeito; esperava também vê-lo fazer algum sinal. E de muitos modos o interrogava; Jesus, porém, nada lhe respondia. Os principais sacerdotes e os escribas ali presentes o acusavam com grande veemência. Mas Herodes, juntamente com os da sua guarda, tratou-o com desprezo, e, escarnecendo dele, fê-lo vestir-se de um manto aparatoso, e o devolveu a Pilatos." (Lucas 23:8-11)

"Que farei então, de Jesus, chamado Cristo?" (Mateus 27:22)

Na era em que vivemos, há muita curiosidade sobre as questões espirituais e religiosas. Uma curiosidade ligada ao pensamento humano inquiridor, que tudo quer saber e entender a fim de poder exercer controle. O homem, no anseio incontrolável de estar sempre no controle, tanto da própria vida como de todas as coisas, aplica seus processos cognitivos em tudo o que vê e até no que não vê, nas coisas naturais e nas coisas espirituais (ou sobrenaturais). Isso não é algo novo: os filósofos gregos já sondavam o Universo buscando a compreensão de seus fenômenos; uma busca insaciável que culminará na metafísica aristotélica, focada nas "questões últimas" da filosofia, tais como: há um sentido último para a existência do mundo? A organização do mundo é necessariamente essa com que deparamos, ou seriam possíveis outros mundos? Existe um Deus? Se existe, como podemos conhecê-lo? Existe algo como um "espírito"? Há uma diferença fundamental entre mente e matéria? Os seres humanos são dotados de almas imortais? São dotados de livre-arbítrio? Tudo está em permanente mudança, ou há coisas e relações que, a despeito de todas as mudanças aparentes, permanecem sempre idênticas? Curiosidade, "curiositas", desejo de conhecer.

Conhecer a Deus é, portanto, um desejo humano. Foi colocado em seu coração pelo próprio Deus. No entanto, o conhecimento de Deus - o verdadeiro conhecimento - só pode ser obtido por meio da Revelação. Ou seja, é Deus quem se revela ao homem, quem diz ao homem quem Ele (Deus) é, como Ele é e a vontade de Deus para o próprio homem. A inquirição natural, cognitiva,  é insuficiente para alcançar a Verdade sobre Deus, posto que o homem está afastado de Deus por conta do domínio do pecado em sua vida. No muito, a inquirição natural pode levar o homem a concluir, pela observação do Universo criado por Deus, que há um Deus. Conceber o Universo sem Deus, fruto do acaso (do caos), é o produto natural de alguém que não teve contato com a Revelação e que, portanto, está a "tatear em suas próprias trevas".  Igualmente, são frutos das mesmas trevas interiores as conclusões que levam a inexistência de Deus ou a multiplicidade de deuses.

Assim, a Revelação de Deus, feita pelo próprio Deus, nos ensina que o Universo e a Terra foram criados por Deus (Gênesis 1:1; Jó 38; Isaías 42:5) e por Ele são mantidos (Neemias 9:6; Colossenses 1:17; Hebresu 1:3). Deus criou o homem (Gênesis 1:27). Esse homem, criado por Deus, viveu em amizade com Deus até escolher, ele mesmo, seguir seu próprio caminho independente de Deus - e isso marcou a entrada do pecado na raça humana (Gênesis 3:6-24; Romanos 3:9-20) - todos pecaram a semelhança do primeiro homem (Romanos 3:23), se distanciando cada vez mais de Deus, vivendo como se Deus não existisse. Deus, que é Santo e Justo, poderia ter julgado o homem à pena de eterna separação de Deus - esse era e é o estado que todo homem se encontra - mas por Sua Misericórdia e Bondade nos envia Seu Filho, eterno Deus, que se fez homem a fim de salvar o homem da Justa retribuição que seus crimes mereciam e merecem. Jesus, o filho de Deus, sofre toda a humilhação, cuja morte na cruz, pena capital imposta por Deus ao homem pecador, é seu ato final. Jesus suporta dor extrema, horrível, excruciante pelos pecados dos homens. Sua morte inclui a perda do consciente regojizo de Deus, a experimentação da ira de Deus e tristeza, medo e profundo pavor. Experimentou o abandono, a negação e a traição por seus discípulos mais íntimos, acusações falsas e injustiça, zombaria, açoitamento e crucificação, o abandono pelo Seu Pai, e a plpena consciência do juízo de Deus sobre os pecados dos homens. A humilhação de Cristo se completou, então, quando sua alma expirou com tormento e dor física excruciantes, sendo sepultado e permanecendo morto por três dias. Leva assim, sobre Ele, os pecados e a Justiça divina pelos pecados dos homens. Jesus ressuscita ao terceiro dia dentre os mortos, é assunto aos Céus e hoje está a destra de Deus intercedendo por todos aqueles que entregam Suas vidas a Ele, que reconhecem-se pecadores e que recebem a Cristo como Senhor e Salvador pessoal. 

Aqui, no texto bíblico, vemos um dos momentos da humilhação do Senhor Jesus. Herodes, por sua vez, queria ver Jesus porque ouviu falar sobre os sinais que o Mestre fazia. Herodes tinha somente curiosidade humana acerca do Mestre. Seu desejo não era sincero: nunca fora anteriormente, nem agora o era agora. Herodes esperava ver o sobrenatural, mas viu apenas o lado humano de Jesus. A verdade é que quem procura Jesus pela curiosidade humana acabará se decepcionando, pois verá apenas a humanidade do Mestre. Por que? Nosso Senhor não veio a este mundo para ser um artista, para satisfazer a curiosidade dos homens pecadores. Ele veio redimir a humanidade; Seus sinais estavam ligados ao Seu ministério, ao ato de anunciar o Evangelho e o Reino de Deus. O mendigo mais pobre – Bartimeu – que pediu um milagre para o alívio de sua necessidade, nunca foi negado; Mas este príncipe orgulhoso, que pediu um milagre apenas para satisfazer sua curiosidade, é recusado.

Infelizmente, muitos procuram Jesus mas acabam se escandalizando nEle e o desprezando, porque procuram-No apenas pela curiosidade. Muitos vão às Igrejas esperando ver sinais, ver algo de sobrenatural acontecer, mas encontram apenas pessoas comuns em atividades comuns aos olhos humanos (cantando, orando, chorando, rindo, conversando, etc). Quem procura Jesus somente como um artista, se decepcionará com Ele. Quem lê a Bíblia, vem a Igreja e participa de um culto com o coração insincero nada verá de divino ou especial.

Jesus espera que Sua Obra, registrada na Bíblia, gere fé ao nosso coração e por meio dessa fé nos cheguemos a Ele. Nenhum desejo insincero de contato com Jesus será atendido por Ele! Os olhos e ouvidos espirituais da humanidade estão cerrados: só estão abertos para entender coisas desse mundo, para entender os prazeres e o pecado. Eles olham para Jesus e não enxergam, ouvem as Palavras de Jesus mas não escutam (Mt 13.14,15).

Curiosidade pecaminosa gera apenas zombaria. Herodes não viu o que procurava: Jesus não respondeu suas perguntas, nem fez os sinais que Herodes tanto ansiava. Herodes então põe-se a zombar de Jesus, vestindo-o com um manto aparatoso (branco brilhante). O fato é que Herodes poderia ter ouvido Cristo centenas de vezes antes e visto os sinais que Ele fazia, se tivesse escolhido fazê-lo. Diante de Caifás, Jesus respondeu: “Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu sempre ensinei nas sinagogas e no templo, onde todos os judeus se congregam, e nada falei em oculto” (Jo 18.20). Mesmo hoje, Jesus tem falado abertamente ao mundo. Falado abertamente a partir da Sua vida, da Sua Obra redentora, da Sua cruz e da Sua ressurreição. Falado abertamente a partir dos sinais de Sua vinda. Hoje, como naqueles dias, os homens zombam de Jesus. Riem e debocham quando Cristo lhes é apresentado. A atitude deles é a mesma de Herodes. Rejeitam a Cristo e, com isso, Dele zombam!

No entanto, Deus fez de Jesus, a quem os homens crucificaram e zombaram, Senhor e Cristo. A verdade definitiva é que o mesmo Jesus que foi crucificado zombeteiramente e que  hoje é desprezado e zombado pelos homens voltará a Terra.  “Verão aquele a quem transpassaram” (Jo 19.37) é a promessa bíblica. “Todo olho o verá” (Ap 1.7). A questão portanto não é se você o verá ou quando isso acontecerá, mas com está sua vida. Está você preparado para vê-Lo, ou não? Você está preparado para esse encontro? Jesus ao voltar pedirá contas a você pela vida que você viveu. Pedirá contas por cada uma das oportunidades e bênçãos que Ele lhe deu. Pedirá contas por cada vez que você ouviu a Palavra e não tomou a atitude correta, por todas as vezes que você O reijeitou. E o que você responderá a Ele, naquele dia?

Jesus jamais responderá àquele que tripudia dele, que só quer satisfazer seus desejos. Esse tal jamais provará as bem-aventuranças de Cristo. Mas Ele está pronto a olhar para aquele que é humilde e contrito de espírito, que treme da Sua Palavra. Madalena, Bartimeu, Zaqueu... prostitutas, trapaceiros, leprosos, endemoniados, paralíticos, lunáticos, cegos... a todos Cristo ouviu, porque viu neles humildade e quebrantamento. Viu sinceridade. Viu fé. E o que Ele vê em você? O que Ele vê em seu coração? Será que Cristo vê em você um Herodes, cheio de soberba e incredulidade? Está o Filho de Deus em silêncio diante de Ti, diante de tua arrogância e prepotência, diante da frieza de tua vida repleta de pecados? Você diz: “Deus, revela-te a mim!”, como se você, mero mortal, pudesse manipular Deus e fazer com que Ele obedeça teus caprichos?

Somente os limpos de coração podem ver a Deus (Mt 5.8): somente os absolutamente honestos e sinceros de coração para com Deus é que irão vê-Lo com alegria eternal (Jo 16.20-22). Essa honestidade e sinceridade passam por você reconhecer quem é: um miserável pecador, incorrigível, pecador inveterado. Alguém quem até as melhores obras não passam de trapos de imundícia, de panos sujos e apodrecidos! Alguém incapaz de salvar a si mesmo. Alguém que precisa URGENTEMENTE de um Salvador, que o salve dos seus pecados e da justa consequência deles (a perdição eterna, eternamente afastado de Deus num local de extremo sofrimento) e que, então, veja em Cristo a solução para sua vida. Jesus levou sobre Si os seus, os meus e os nossos pecados; espera Ele, hoje, que nós humildemente e quebrantados cheguemos à Ele com fé, pedindo que Ele perdoe os nossos pecados e nos conceda a Sua vida. Veja o que o próprio Jesus disse: "Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus." (João 3:36)

No lugar do desprezo e da zombaria pelo Mestre, honre-O com tua fé e glorifique Seu Nome com o teu louvor! Não vista-O em seu coração com o manto do deboche e da incredulidade, mas coroe a Ele como Rei de tua vida! Aceite essa revelação de Deus em seu coração e viva segundo ela!

Pense nisso! Deus está te dando visão de águia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.