Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Cuidado Pais e Mães: Pulseiras do Sexo, a Nova Mania Adolescente






À primeira vista, uma colorida pulseira de plástico nos pulsos de crianças parece inocente.


Mas na realidade elas são um código para as suas experiências sexuais, onde cada cor significa um grau de intimidade, desde um abraço até ao sexo propriamente dito.


Poderia confundir-se com mais uma daquelas modas que pega, uma vez que é usado por milhares em várias escolas primárias e preparatórias no Reino Unido e custam apenas uns centavos em qualquer banca ao virar da esquina.


A "mania" começou na Inglaterra, em 2003 (na Inglaterra, as pulseiras são chamadas de shag bands), e este ano retomou fôlego na região, chegou aos Estados Unidos e começa a ganhar força em Brasília e São Paulo. As garotas usam o acessório para participar de um jogo erótico com meninos conhecido como Snap.


Mas as diferentes cores das ditas pulseiras de plástico – preto, azul, vermelho, cor-de-rosa, roxo, laranja, amarelo, verde e dourado – mostra até que ponto os jovens estão dispostos a ir: desde dar um beijo até fazer sexo.


Andam uns atrás dos outros nos recreios das escolas, na tentativa de rebentar uma das pulseiras. Quem a usava terá de “oferecer” o ato físico a que corresponde à cor. É o “último grito” do comportamento promíscuo que sugere, cada vez mais, que a inocência da infância pertence a um passado distante.


Quase tão chocante como as “festas arco-íris” – encontros com muito álcool e droga à mistura, em que as meninas usam batons de cores diferentes para deixar a “marca” nos rapazes após o sexo oral -, as “pulseiras do sexo”, que custam apenas um euro (um pacote com várias), têm um custo maior que foge ao alcance de muitos pais.


Significado das cores:
» Amarela – significa dar um abraço no rapaz;

» Laranja – significa uma “dentadinha do amor”;

» Roxa – já dá direito a um beijo com língua;

» Cor-de-rosa – a menina tem de lhe mostrar o peito;

» Vermelha – tem de lhe fazer uma "lap dance" (dança típica de prostíbulos);

» Azul – fazer sexo oral praticado pela menina;

» Verdes – são as dos chupões no pescoço;

» Preta – significa fazer sexo com o rapaz que arrebentar a pulseira;

» Dourada – fazer todos citados acima;



Símbolo de respeito
Como quase em tudo nestas idades, existe um estigma por detrás das pulseiras: quem não as usar é excluído e quem usar as cores preto e dourado é mais respeitado.





Fontes:





Precisamos compreender que enquanto seguimos nossas vidas de forma despreocupada e desatenta, num triunfalismo tolo, como se tivéssemos uma espécie de "mandala da imunidade espiritual", o diabo trabalha incessantemente no afã de roubar, matar e destruir; afinal, ele sabe que pouco tempo lhe resta (Ap 12.12). Nada melhor que destruir àqueles que representam o futuro da humanidade (e consequentemente da Igreja) - as crianças e adolescentes.



Porém, não bastando roubar a pureza das nossas crianças com toda a carga de sensualidade e pornografia presente em desenhos, revistas e filmes, vem o inimigo de nossas almas com o mais novo estratagema: marcar de forma profunda a alma dos jovens, alterando o desenvolvimento natural de sua sexualidade por meio de jogos com conotação sexual, como as pulseiras do sexo.

Veja, não se trata de um dogma ou tabu; aqueles que tiveram a desventura de iniciar a vida sexual de forma antibíblica (fora do contexto da maturidade física e emocional e da estabilidade e proteção do casamento) e chegam à luz da Palavra de Deus, sabem os dramas internos que carregam dentro de si; sabem como é o cenário de batalha interno que passam a viver. E não há psicanálise ou psicologia capaz de solucionar tal coisa!



A dura realidade é que a extrema facilidade das pulseiras tornarem-se moda (e as práticas aliadas ao seu uso) está ligada, dentre outros, ao notório processo de destruição da família e desconstrução dos valores familiares e conjugais, como a banalização sexual.



Quantas vidas estão no presente momento experimentando toda sorte de desolação, de infelicidade, de profunda depressão porque a pornografia está destruindo sua alma. Quantos maridos estão expondo suas esposas a jogos sexuais degradantes porque num dia tiveram contato com filmes pronográficos, destruindo a alma de suas esposas! Quantas esposas estão cobrando "cachê" de seus maridos para manterem relações com eles, por mera fantasia interior!

Quantas moças estão se tornando "predadoras sexuais" porque estão absorvendo, direta e/ou indiretamente, o comportamento de sua mãe ou de seu pai! Quantos rapazes e moças estão se tornando pais e mães antes do tempo, destruindo seu futuro e o futuro da criança que está sendo gerada!


É preciso entender que o sexo é mais do que um prazer; seus efeitos vão muito mais além do que mera liberação de tensões hormonais. Deus, ao criar o sexo, fez com que este tivesse repercussões espirituais profundas na vida do casal. "Serem dois uma só carne" é mais do que morar junto sob um mesmo teto ou um contrato civil entre duas partes; envolve trocas espirituais. Por isso Paulo condena a prostituição (I Co 6.16), pecado contra o próprio corpo: por causa das danosas consequências para a alma humana.


Lembre-se: está nas mãos de vocês, pais e mães, o futuro de seus filhos!




"Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno." (Provérbios 23:13,14)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.