Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

QUAL É O TEU TESOURO E ONDE ELE ESTÁ?


Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. (Mateus 6:19-21)

A busca por tesouros é parte integrante do imaginário popular. Quem não gostaria de encontrar um baú repleto de magníficos e valiosos tesouros, cheios de jóias de todo o tipo e de moedas de ouro? Quem nunca assistiu um filme que retratava esse sonho? Vários filmes com esta temática já foram exibidos, dentre eles "Allan Quatermain e as Minas do Rei Salomão", "Goonies", "Pécos - O Tesouro de Montezuma ", "O Tesouro",..., só para mencionar alguns. Alegria intensa, realização pessoal e grande e maravilhosa riqueza são alguns dos benefícios advindos da posse de um tesouro. 

Mas, o que é um tesouro? Dentre as muitas definições possíveis, segundo o Aurélio trata-se de "uma coleção de objetos úteis, belos ou preciosos, ou de coisas de grande estimação". Um tesouro é uma coleção de coisas, de objetos, aos quais se atribuem grande valor - monetário ou sentimental. Quem coleciona estes objetos úteis, belos ou preciosos o faz porque estima e deseja preservar estes objetos, mantendo-os juntos sob sua guarda e em lugar seguro, para sempre se assim for possível. Afinal, tesouros são muito cobiçados; é sempre possível que eles se deteriorem, pela ação do tempo, extraviem ou até mesmo que sejam subtraídos por outra pessoa.

Os tesouros são, deste modo, algo precioso - para o seu feliz proprietário e para aqueles que desejam obtê-lo, legal ou ilegamente. De onde vem os tesouros? Podem vir de uma herança ou de conquista pessoal. Pode vir de compra e venda ou de trocas. Não importa a fonte: o fato é que os pensamentos daquele que tem um tesouro voltam-se insistentemente para o objeto de sua estima. Será que está bem guardado, protegido? Como fazer para aumentá-lo? Será que precisa de limpeza, de polimento? Ah, como gosto do meu tesouro! Estas são alguns pensamentos ilustrativos de quem possui algo de que gosta muito.

Jesus nos exorta a ajuntarmos tesouros. Tesouros não devem, em hipótese alguma, estarem espalhados por todos os lados, de forma descuidada! Eles precisam ser aumentados, colecionados. Porém, o melhor lugar para ajuntar este magnífico tesouro é no céu, segundo o Mestre, porque lá não atuam os efeitos corrosivos deteriorantes nem há ladrões que possam roubá-lo. O céu é o lugar onde o nosso tesouro estará plenamente seguro de quaisquer efeitos que possam prejudicá-lo.

Que tipo de tesouro pode ser ajuntado no céu? Não são tesouros físicos, por certo. Não são objetos de ouro e prata, não é dinheiro, títulos de propriedade ou riquezas humanas. Os Faraós do Egito Antigo pensavam o contrário. Eles faziam questão de serem sepultados com seus bens e riquezas, para usufruir delas no outro mundo. Para eles, juntar tesouros na terra era o mesmo que juntar tesouros no céu; os tesouros seriam "espiritualizados" após a morte de seus donos. Ou seja, o tesouro adquirido era entendido como eterno.  Porém, a realidade é outra: os tesouros sepultados nunca foram "rematerializados espiritualmente" no além, mas acabaram ou em museus ou nas mãos de saqueadores de túmulos, muitos milênios após a morte dos seus donos. Nem as lendárias e míticas "maldições da múmia" serviram para afastá-los. Nem mesmo seus corpos mumificados foram poupados!

O fato é que para onde aqueles Faraós foram - e estão até hoje - suas riquezas não puderam acompanhá-los. Por outro lado, onde estão atualmente, os Faraós não mais podem ajuntar tesouros, nem nesta terra física, nem na terra espiritual onde estão. Lá, eles apenas "desfrutam" dos tesouros espirituais que ajuntaram em vida. É muito interessante notar que onde os tesouros são ajuntados é exatamente onde eles serão desfrutrados.

Assim, que tipo de tesouro é esse a que Jesus se refere? Será que a Bíblia tem alguma resposta para isso? Sim, ela que é a firme Palavra de Deus, que não muda e jamais envelhece, tem a resposta! Para a Bíblia, os tesouros a serem ajuntados no céu são:

a) Conhecimento de Deus (Pv 2.1-6).
b) O Temor do Senhor (Is 33.6) e a Humildade (Pv 22.4).
c)  Redenção pelo Sangue de Cristo e Remissão dos Pecados, Regeneração (novo nascimento), Eleição (colocado na posição de filho de Deus), Predestinação e Preservação - Riquezas da Graça de Jesus (Ef 1.7 e ss).
d) Riquezas da Glória de Cristo: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (domínio próprio), dentre muitas outras.
e) Boas Obras, feitas com a motivação correta e na posição espiritual correta (obs.: valem apenas as realizadas após a conversão).

Estes tesouros são, sem sombra de dúvida, eternos. Se ajuntados no céu, enquanto em vida, estarão lá após a morte, esperando para serem usufruidos, num estoque que durará a eternidade a fora. Não há a menor chance de que eles sejam enferrujados ou de que eles sejam roubados, porque lá onde estão o ladrão não tem acesso; nem há a possibilidade de corrosão. Porque eu sei em quem tenho crido - em meu Senhor e Salvador Jesus Cristo - e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia!

E quanto aos possíveis tesouros nesta terra, o que fazer? É simples: não considere-os como tesouros, mas como meros utensílios. A diferença está em como você considera-os em seu coração. Se você gasta a sua vida na busca e no aumento das coisas materiais, se passa cada momento desta vida somente pensando em como aumentar o seu depósito terreno, em como ser "mais próspero", então o seu tesouro é terreno.

Há muitos pregadores e muitas igrejas hoje em dia ensinando como aumentar tesouros em vida, meramente materiais. Baseiam quase a totalidade de suas pregações e mensagens em como conseguir mais coisas nesta terra: carrões, mega casas, contas bancários abarrotadas, jatinhos... e estão a dizer que foi isso que o Senhor os orientou a fazer! Será que é da vontade de Deus que seus servos sejam avarentos, que façam da piedade cristã mera fonte de lucro? Será que Deus quer que as forças motrizes da nossa alma estejam voltadas para o nosso enriquecimento terreno - corroboraria Deus com essa prática, de qualquer forma, se isto afasta o homem, por quem Jesus morreu, do céu? Veja você mesmo:

Eis que o semeador saiu a semear. E, quando semeava [...] outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera. (Mateus 13:1-8) 

Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!  Porque é mais fácil entrar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus. (Lucas 18:24,25)

EIA, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias. (Tiago 5:1-3)

As riquezas da terra servem apenas para esta terra. Ora, se não somos deste mundo, mas sim peregrinos aqui, então como bom peregrino devo utilizar-me das coisas que estão à minha disposição, sem no entanto envolver-me emocionalmente com elas, sem fazer do meu objetivo a busca de uma vida nababesca.  Precisamos de dinheiro? Claro que sim; é preciso comprar comida, pagar as contas, comprar roupas, comprar eletrodomésticos, etc. Até a igreja precisa de dinheiro, afinal é preciso para as contas de luz e água, o aluguel do galpão e periodicamente fazer alguma benfeitoria; dependendo do caso, é preciso pagar a prebenda pastoral daqueles que vivem do ministério, de forma integral, além do sustento de missionários no campo. Isso é bíblico, justo e correto.

Porém, há um limite claramente definido entre o que é justo e o que é injusto, entre o que é bíblico e entre o que é antibíblico. Mais uma vez, consultemos a Bíblia: "Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei." (Hebreus 13:5) Outra versão do mesmo texto diz: "Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês tem, porque Deus mesmo disse: Nunca o deixarei, nunca o abandonarei".

Qual é o teu tesouro, meu dileto irmão e leitor? Onde ele está? Que tipo de provisão você tem feito para o lugar onde morará? Qual é a sua prioridade? Onde está o seu tesouro, está também o seu coração; e onde estiver o seu coração é onde você ama.

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

Um comentário:

  1. Quantos estão a perder suas vidas por tesouros ilusórios...Coisas que haverão de ficar aqui.A Bíblia nos diz que a riqueza fará para si asas.E assim é.Não existe essa de levar para além-túmulo algum dinheiro para garantir a vida após-morte.Não há um barqueiro a ser pago.Há sim uma oferta:"Vinde comprai sem dinheiro a Salvação".Esse é o Tesouro-a Pérola preciosa,Jesus.Ele não se compra,porque Ele é o comprador.Pagou altíssimo preço,por nossa Redenção.Custamos o Seu Sangue,a Sua Vida.

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.