Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

quinta-feira, 17 de junho de 2010

FANATISMO RELIGIOSO E A FÉ-EVANGELHO

"Uma menina de seis meses de idade, que estava sendo monitorada por assistentes sociais, morreu depois que sua mãe mentalmente doente sentou-se ela. Julia Lovemore, de 41 anos, tinha arrancado as páginas da Bíblia e enfiado na boca do bebê antes de sufocá-lo sentando sobre a criança. Rebecca Hughes, a enfermeira psiquiátrica, disse à polícia que David Lovemore (marido de Julia) batia com os pés no chão e dizia: "Tire o demônio de Julia". (O Dia, 17/06/2010)





Comentários:

Fanático: Que tem zelo religioso cego, excessivo; intolerante (dic. Aurélio). Geralmente, pessoas fanáticas demonstram agressividade; preconceitos vários; estreiteza mental; ódio; sistema subjetivo de valores e intenso individualismo.  A conduta da pessoa fanática é marcada pelo radicalismo e por absoluta intolerância para com todos os que não compartilhem suas predileções.

De um modo geral, o fanático tem uma visão dicotômica, polarizada, do mundo. O mal reside naquilo e naqueles que contrariam seu modo de pensar, levando-o a adotar condutas irracionais e agressivas que podem, inclusive, chegar a extremos perigosos, como o recurso à violência para impor seu ponto de vista.

Inicialmente, é preciso entender que o fanatismo não é o mesmo que fundamentalismo. Ainda que o fundamentalismo possa levar uma pessoa ao fanatismo, o fundamentalismo refere-se como o nome diz aos fundamentos de uma fé religiosa ou de um sistema de crenças. O fundamentalismo está ligado à razão, aos porquês da fé; já o fanatismo está ligado às emoções, à paixão. Neste, falta de entendimento daquilo que se diz crer.

Assim, dependendo de como os fiéis de uma dada religião são "discipulados" (e isso depende do discipulador) podem surgir ênfases fanáticas que acabarão gerando no adepto ódio por todos aqueles que não professarem sua fé. Por exemplo, aos adeptos do Islã é ensinado pelo Corão, na sura 9, versículo 5, "matai os idólatras onde quer que os encontreis, e capturai-os, e cercai-os e usai de emboscadas contra eles". E mais adiante o livro insiste que nações, não importa quão poderosas, deverão ser combatidas "até que abracem o Islã".  Como explicou o aiatolá Khomeini: "A mais pura alegria do Islã é matar ou morrer por Alá." (http://www.cacp.org.br/islamismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=339&menu=4&submenu=1)

Infelizmente, deste mal padece também algumas Igrejas ditas evangélicas, as quais promovem uma fé desprovida da fé, desprovida de valores e princípios. Com o pretexto de discipulado, querem controlar totalmente a vida das pessoas, impedindo assim que a pessoa caminhe de acordo com sua consciência e que seja transformada naturalmente de glória em glória pelo Espírito Santo. Porém, no afã de controlar tudo e todos, acabam ensinando preceitos de homens e com eles o fanatismo, que leva por exemplo a destruição de objetos de culto de outras religiões.

Abre parênteses: O fanatismo é tal que mesmo um crente pode facilmente sofrer discriminação ao visitar uma Igreja de denominação diferente da sua, principalmente quando há ênfases diferentes de "poder espiritual" entre as denominações. Assim, alguém pode ser tachado de "frio, tradicional e carnal" ou de "fanático, maluco" pelo simples fato de bater palmas ou não durante o culto, por exemplo. Eu mesmo já fui alvo de várias situações como essa (sic). Fecha parênteses. 

O que falta nesses casos é uma boa dose de fundamentalismo, de ensino sistemático sobre os fundamentos da fé cristã, da "fé-evangelho". Fé-evangelho é "fé-boas novas", fé bíblica gerada pelo Espírito Santo, apontando SEMPRE para Jesus - o autor e consumador da fé-evangelho. Numa rápida leitura da Bíblia, por exemplo, encontramos facilmente o ensino de que devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos. Quem ama não fanatiza, não odeia, não é individualista. A propagação da fé-evangelho insere, não exclui; ama, não odeia; é boa notícia, não é a antiga má notícia da violência; respeita àqueles que são contrários, ainda que se reserva ao direito de crer e ensinar diferente.

A fé-evangelho é entendida, crida, praticada e divulgada sem o uso da violência ou da força; mas pelo Espírito que vivifica a letra, o letrado e o iletrado. A fé-evangelho não é show da fé, pois não se destina à diversão de ninguém, tampouco conta com a atuação de vários artistas de larga popularidade, ou mesmo de um só; mas conta com a presença do Senhor da fé. A fé-evangelho não é extravagante, louca, sem sentido ou propósito; mas é racional, em Espírito e em Verdade. A fé-evangelho não exige assassinatos em nome da fé, mas convida a cada pessoa a entregar-se voluntariamente à Cristo através do arrependimento dos pecados e da identificação com a morte, sepultamento e ressurreição do Senhor.   

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

2 comentários:

  1. Cristo veio nos ensinar o Amor.Essa é a maior bom-
    ba nuclear existente.O mundo carece desse Amor.Ho-
    mens matam ,fazem tudo que é barbaridade porque lhes falta esse Dom Maior.Até mesmo nas igrejas,
    ele não tem sido encontrado,há muita teoria,pouca
    ou nenhuma prática.Pessoas são discriminadas onde
    deveriam ser aceitas,sem se olhar vestes,cabelos,
    costumes enfim doutrinas humanas.Jesus,hoje seria
    também mais um discriminado.É por isso que Ele está batendo à porta.Muitos tem lhe barrado a en
    trada ,por não estar do jeito que convém a eles.

    ResponderExcluir
  2. O fanatismo cristão de maior importância para o nosso País, que não é visto desta forma por muitos, mas eu assim o creio, é o LEGALISMO presente nas Igrejas ditas pentencostais, sem contar aquelas tradicionalistas que anulam completamente o poder do Espírito. Na verdad, é como Jesus disse no livro de Mateus: " Errais por não conhecer as Escrituras e nem o Poder de Deus". O Fanatismo não deixa de ser um desequilíbrio, pendendo só para a Palavra ou só para o Poder, o que gera os extremismos presentes nas Igrejas Evangélicas Modernas, ou porque não dizer... "MODERNOSAS". A grande maioria das Igrejas estão lotadas de fanáticos, mas tenho certeza que, se perguntarem a razão da fé e se tentarem retirarem a vida, a fé vazia com certeza levará estas pessoas a negarem o Senhor!

    O equilíbrio e o bom senso é a resposta e a cura para o fanático!

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.