Pesquisar Argumentações No "Ad Argumentandum Tantum"

terça-feira, 13 de julho de 2010

MORTE: A TERRÍVEL CONSEQUÊNCIA DE SE ESCOLHER O CAMINHO SEM DEUS

Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte. (Provérbios 14:12)

Um caminho que parece direito, mas não é; parece bom, mas não é; parece agradável, mas não é. Assim é o caminho que conduz para os caminhos da morte. Um curso de vida que leva a antítese da vida, um modo de agir completamente insano, apesar de correto aos próprios olhos. Aqueles que seguem caminhando, sem ponderar o caminho que trilham e onde a jornada os levará, acabam inevitavelmente conspirando contra si mesmos. Encontrarão, ao final da jornada, vários caminhos, todos eles com o mesmo destino - a morte.

Assim é o caminho escolhido por aqueles que preferem as festanças orgíacas, a licenciosidade, a imoralidade, o sexo livre e irresponsável. Movidos por um sentimento de aparente segurança, sua concupiscência leva-os a esbanjarem-se como e quanto querem, entregando-se os tais aos mais sórdidos pecados. Porém, o pecado, uma vez consumado, gera a morte; esta é uma verdade eterna que atinge crentes e descrentes, não importando classe social ou econômica (Tg 1.15). Muitos que se dizem evangélicos e escolhem tal caminho acabam tornando-se pagãos na prática, adoradores de Baco através de bacanais. Ao final, encontram o destino do caminho escolhido.

Aqui, aproveito a oportunidade para abrir o seguinte parênteses: hoje em dia há muitas pessoas que se autodenominam evangélicas. Ser evangélico tornou-se modismo; parte disso se deve a um esvaziamento de conteúdo, doutrinário e prático, das Igrejas evangélicas. O duro caminho do Peregrino na sua jornada da Cidade da Destruição para a Jerusalém Celestial, ilustrado com excelência por John Bunyan, foi substituído pelo caminho da vida fácil, da sem-vergonhice, do "pão e circo" típicos do Império Romano. Para Deus (e para mim), dizer-se evangélico sem mostrar vida é mesmo que dizer-se pagão ou feiticeiro. Jesus foi muito claro: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade." (Mt 7.21-23) Fecha parênteses.

Da Bíblia, aprendemos que caminhos de mesma natureza sempre convergem num mesmo ponto, num determinado momento; deste modo, aqueles que antes seguiam sozinhos passam a seguir juntos para o mesmo final - a morte. 

A morte sempre será o destino final quando se segue um caminho sem Deus, isoladamente ou em conjunto. A morte pode variar quanto à forma, mas é morte em essência. Morte de sonhos, de projetos de vida, de famílias, de pais e mães; morte física, morte espiritual e ao final morte eterna. No lugar da vida que um dia pensam viver, recebem a morte que sequer cogitam provar. Ao invés de uma longa e próspera história de vida, há uma lápide, onde se lê, em letras capitulares: "Porque o salário do pecado é a morte" (Rm 6.23a). Sim, porque no lugar do dom gratuito que é a vida eterna, pelo qual não se trabalha, mas se recebe como presente de Deus quando se opta em seguir O Caminho - Cristo Jesus nosso Senhor, optaram em seguir um caminho que parecia direito, pelo qual trabalharam arduamente, que ao final desembocou nos caminhos da morte.

Querido leitor, vale à pena continuar no caminho que você está seguindo? Não julgue o caminho pelo que ele te proporciona, mas pelo destino final. O Caminho correto é ao mesmo tempo Verdade e Vida; este caminho sempre conduzirá para o Pai (Jo 14.6): Jesus!

Pense nisso. Deus está te dando visão de águia!

2 comentários:

  1. È verdade querido Pr. Ricardo,
    Se as pessoas refletissem sobre o que escreveu e se dessem conta da terrível tragédia que os espera, quem sabe mudassem de atitudes...
    Tantos vivem mas já estão mortos, como bem argumentou. Morte de sonhos, projetos, etc...
    E é lamentável, como ressaltou no parênteses aberto em seu post, que muitos daqueles que conhecem as consequências de uma vida de devassidão parece que preferem o caminho da perdição.
    Triste fim anunciado.
    A nós, resta tentar alertá-los para o caminho que realmente vale a pena, Jesus.
    Amigo, minha oração é que Deus continue lhe dirigindo para reflexões como essa.
    Um grande abraço,
    Pr. M G. Anselmo.

    ResponderExcluir
  2. A humanidade caminha como que às cegas para o abismo.São milhares que estão vivendo como nos dias de Noé,não se importam com mais nada senão com seus próprios interesses.Até nas igrejas vemos esse tipo de gente.E assim seguem "enganando" e sendo enganadas.Aliás a ida à igreja
    tem só como objetivo bênçãos e se mostrarem santas
    na verdade farisaicas,posto que religiosas.O que é
    uma pena.Estão junto à Fonte mas não se saciam!

    ResponderExcluir

(1) Reservo o direito de não públicar criticas negativas de "anônimos". Quer criticar e ter a sua opinião publicada? Identifique-se. Outra coisa: não publicarei nenhuma crítica dirigida a pessoas; analise a postagem e então emita seu parecer, refutando-a com a apresentação de referências, se assim for o caso (2) Discordar não é problema. É solução, pois redunda em aprendizado! Contudo, com educação. Sem palavrão nem termos de baixo calão! (3) Responderei as críticas na medida do possível e segundo o meu interesse pessoal (4) Não serão aceitos, em hipótese alguma: mensagens com links que dirigem e façam propaganda a sites católicos, espíritas, ateus, ortodoxos gregos, judaizantes, adeptos de teologia da prosperidade, religiões orientais, liberais, nem nenhum outro que negue Jesus Cristo como Senhor, Deus, único e suficiente Salvador. Estende-se essa proibição a mensagens que propaguem essas idéias/crenças e que queiram debater e provocar discussões.